TA – Capítulo 83 – 3Lobos

TA – Capítulo 83

O Baile

Enquanto Victor, Rhine e Lott estavam falando sobre a mansão da família de Felícia, Lucien estava olhando para a paisagem do lado de fora da janela lateral da carruagem.

— Você está bem, Lucien? Você não está interessado no Berne, o vinho produzido exclusivamente no chateau da família Hayne? — Percebendo o silêncio de Lucien, Rhine sorriu para ele e perguntou.

O vinho Berne era muito famoso em Aalto. As uvas especiais produzidas nos campos da mansão eram de excelente qualidade. Apenas as pessoas que eram convidadas para a mansão poderiam ter uma chance de provar a bebida.

— Eu estou bem, Sr. Rhine. Na verdade… eu estou um pouco preocupado, já que eu não sei nada sobre dança de salão. É… é meio vergonhoso. — Lucien encontrou uma desculpa para disfarçar a tensão em sua mente.

— Eu posso ensiná-lo, embora você não seja uma mulher, — Rhine brincou, — Você pode me conduzir como sua bela dama.

Lucien colocou um sorriso estranho no rosto.

— Não há nada para se preocupar, Lucien, — Victor o confortou. — Nós todos sabemos sobre sua origem. Ninguém vai convidar você com o propósito de te humilhar. Mas se você quiser aprender a dançar, eu tenho certeza que muitas das belas senhoras lá estarão dispostas a lhe ensinar.

Lucien gradualmente relaxou naquele ambiente feliz, sabendo que o nervosismo em nada ajudaria o seu plano esta noite.

A carruagem logo saiu dos limites da cidade e passou pelo rio Belém, em direção à mansão que ficava no norte da Floresta Negra Melzer.

A mansão da família Hayne era magnífica. Construída com granito de primeira, tudo na mansão parecia luxuoso.

Usando um vestido de debutante vermelho-fogo, Felícia já estava esperando na frente do salão, com duas fileiras de servos em pé atrás dela. A chama amarela dos seis tocheiros de bronze iluminava a noite, já passando das sete horas.

— Boa noite, Sr. Victor e Sr. Rhine. Boa noite, Lucien e Lott, — Felícia os recebeu. Esta noite ela era a anfitriã, e seus pais não vieram.

Cada dama nobre devia ser capaz de realizar um baile ou uma festa por conta própria.

— Você está linda esta noite, Felícia. — Victor abraçou Felícia rapidamente e sorriu.

Usando aquele vestido vermelho, os olhos vermelhos e a pele clara de Felícia estavam ainda mais bonitos.

Felícia agradeceu seu professor de uma maneira nobre, e então se virou para receber os outros muitos convidados. Não havia só os colegas de turma de Felícia, mas também muitos de seus amigos nobres.

Seguindo Victor e Rhine, Lucien entrou no salão, que poderia acomodar mais de uma centena de pessoas.

A longa mesa de jantar estava posta em um canto do salão. Havia vinho e diversos tipos de saladas e tortas, salsichas, carne, frango, pato, pão, frutas e muitas sobremesas bonitas que Lucien não conseguia nem lembrar o nome.

A banda convidada estava tocando uma música animada, tornando esta noite ainda mais agradável.

Lucien pegou um prato na mesa de jantar e encheu ele com muita comida. Comendo tranquilamente no canto, ele estava esperando Felícia anunciar o início do baile.

— Obrigado a todos por terem vindo esta noite. É um prazer enorme para mim e para toda a família Hayne! — Felícia disse a todos os convidados em uma maneira nobre. — Agora, vamos dançar e curtir a noite!

Quando ela terminou de falar, o salão se aquietou e a banda mudou a música.

Os senhores caminharam em direção às jovens e começaram a dançar em um estilo conhecido como Rodopio do Palácio de Tria. Enquanto o Rodopio era muito popular entre os jovens nobres, os nobres mais velhos e conservadores condenavam o estilo como muito inadequado e imoral por causa da intimidade entre aqueles que rodopiavam.

— Lucien, você ainda está comendo? Isto é um baile! — Depois da dança de abertura com o Sr. Victor, Felícia finalmente encontrou Lucien no canto ao lado da mesa de jantar.

Baixando o prato, Lucien deu de ombros.

— Eu não sei como dançar desse jeito, Felícia.

Lucien estava sempre com bastante fome após despertar a Bênção. Além disso, uma tarefa difícil estava esperando por ele naquela noite.

— Eu posso te ensinar, Lucien, — Felícia disse a ele com sinceridade, — Dançar, juntamente com a apreciar música e caçar, é muito importante na vida social. Se você deseja se dar bem com os nobres, você tem que saber dançar.

— Eu não sei… Eu não fui feito para isso. — Lucien estava um pouco nervoso, mas ele não queria agir de forma estranha no baile. Ele desajeitadamente estendeu a mão para convidar Felícia para uma dança.

— Você começou bem. — Felícia colocou a mão na de Lucien, — Não se preocupe. A primeira vez nunca pode ser perfeita.

Colocando uma das mãos levemente na cintura de Felícia e a outra no ombro, Lucien começou a dançar após as instruções dela, mas ele estava conscientemente mantendo uma distância do corpo de Felícia.

Vários minutos depois, Felícia olhou para Lucien com surpresa.

— Você consegue dançar muito bem… exceto que você está um pouco travado demais. É a sua primeira vez praticando o Rodopio?

— Não… na verdade não. — Lucien não podia contar a ela sobre sua Bênção e rapidamente inventou uma desculpa, — A princesa me ensinou um pouco antes.

— Não é de se admirar. Afinal, a princesa é uma grã-cavaleira, e ela deve ser uma boa professora de dança, também. — Felícia assentiu e, em seguida, riu de repente, — Sua Alteza é meia cabeça mais alta do que você, e ela é uma grã-cavaleira. Quando você estava dançando com ela, provavelmente parecia mais com a dama do que com o cavalheiro.

Felícia tinha definitivamente ouvido alguns boatos sobre a princesa. Afinal de contas, Natasha nunca escondia sua natureza, mesmo na frente das outras pessoas.

Lucien ficou sem palavras. Então, uma ideia lhe veio à mente.

De repente, Lucien perdeu o equilíbrio e caiu no chão. Ele soltou um gemido de dor.

— Você está bem? — perguntou Felícia com preocupação, — Você precisa de um médico?

— Meu tornozelo está doendo. — Lucien sacudiu a cabeça. — Você pode arrumar alguém para me levar a um quarto de hóspede? Acho que eu só preciso ficar quieto um pouco.

Felícia concordou e pediu para um servo levar Lucien a um quarto de hóspedes no terceiro andar.

O quarto era limpo e agradável, e o cobertor sobre a cama era leve e macio.

Sentado sozinho na cama, Lucien tirou a carta e escreveu várias palavras nela:

“Eu preciso da Cena.”

Era perto de oito da noite, e estava escuro lá fora. Mais de dez minutos depois, os hereges responderam:

“Abra a janela.”

Quando Lucien abriu a janela, a música animada tocando lá embaixo imediatamente chegou até ele. Junto com a música, uma pequena bola preta foi atirada para dentro do quarto.

Lucien pegou a bola como um gato.

Desta vez, em vez de quebrar a bola, Lucien deu uma espiada no interior dela. Através da densa fumaça preta nela, ele viu a mesma cabine.

Felizmente, os sequestradores não se moveram.

Ele colocou a bola de volta no bolso e respondeu através da carta:

“Vou acalmar John amanhã de manhã quando eu encontrá-lo.”

“Sua colaboração é bem-vinda”, respondeu a carta friamente.

Lucien dobrou a carta, colocou-a de volta no bolso de seu paletó preto, e o pendurou em um cabideiro.

Durante a hora seguinte, algumas pessoas vieram visitar Lucien, incluindo Victor, Rhine, e até mesmo alguns jovens nobres que Lucien não conhecia. Yvette pareceu um pouco desapontada quando visitou Lucien, já que, obviamente, o jovem ferido não iria conseguir fazer muita coisa naquela noite.

Depois das nove e meia, o quarto de hóspedes finalmente se acalmou. Lucien trancou a porta por dentro, apagou as velas e deitou no escuro.

Um pouco mais tarde, ele finalmente se levantou e serviu água em um copo. Ao mesmo tempo, ele secretamente deixou cair dentro da água uma das safiras dadas por Camil.

— Você encontrou alguma coisa, Lucien? — A voz de Camil soou diretamente na mente dele.

Lucien respondeu a Camil silenciosamente em sua mente:

— Sudeste da Floresta Negra Melzer, perto da Montanha Lubeck. — Então, fingindo que foi um acidente, ele deixou cair o copo no chão.

A direção era muito imprecisa, e era longe de onde a cabana estava de verdade. Mesmo se Camil fosse procurar toda a área, ela não seria capaz de encontrar a cabana.

Lucien xingou um pouco pelo copo quebrado e voltou para a cama. Ele enfiou as outras duas safiras sob o travesseiro e se cobriu com o cobertor grande e macio.

O baile ainda estava acontecendo, e o barulho da festa fez a noite parecer ainda mais inquieta. Alguns cães aleatórios estavam latindo longe. A lua de prata estava nos céus, e o luar entrou furtivamente no quarto. Sob o luar, a manta que cobria Lucien se torceu ligeiramente.

Lucien escapou novamente pela janela que foi propositalmente deixada aberta por ele.

Com sua visão aguçada, Lucien viu uma silhueta preta tentando se esconder atrás de uma grande árvore, não muito longe da mansão. Partindo na direção oposta, Lucien subiu por cima do muro da mansão e correu para a floresta que ocupava toda a parte de trás dela.

Na floresta, ele vestiu o manto negro de feiticeiro que ele preparou com antecedência e, em seguida, correu para o Cânion Larnaca.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: