TA – Capítulo 20 – 3Lobos

TA – Capítulo 20

O Diário da Bruxa

Como esperado, Lucien não encontrou nada especialmente útil nas quatro horas seguintes antes de adormecer. Ele leu cerca de dez páginas, mas a maioria delas dava a impressão de serem palavras soltas ao invés de frases significativas, provavelmente porque várias palavras nas anotações sobre magia eram realmente incomuns.

Lucien certamente tinha suas próprias suposições sobre o significado de algumas delas, mas afinal de contas, aquilo era magia. Ele tinha que ser mais do que cuidadoso antes de realmente tentar algo. Lucien não queria morrer por causa de um erro estúpido de leitura ou algo do tipo.

Felizmente, a proprietária anterior das notas tratou elas como um diário. Alguns de seus pensamentos e experiências estavam escritos também. Nestas partes, a bruxa usou palavras e gramática comuns, através das quais Lucien conseguiu entender parte da história dessas anotações sobre magia, ou melhor dizer, deste diário.

A bruxa nasceu na última família feiticeira do antigo Império Mágico Sylvanas, hoje já destruído. Quando o poder em Aalto foi tomado pela Igreja, a família dela se escondeu em seu antigo castelo no meio das montanhas para evitar a perseguição da igreja. Porém, depois de centenas de anos lá, a população da família declinou drasticamente. No final, só restavam três pessoas: a bruxa e seus pais.

Os pais da bruxa morreram em um acidente quando tentaram invocar uma criatura cujo nome Lucien era incapaz de compreender. Então a bruxa ficou órfã e herdou dois livros mágicos: Astrologia e Elementos Mágicos; e Ilustrações de Materiais Relacionados à Magia.

Lucien desejou que as anotações estivessem relativamente completas para que ele pudesse entendê-las, caso contrário teria que aprender a língua perdida de Sylvana, o quê, por assim dizer, era impossível.

Quase todos os trabalhos disponíveis no Coroa de Cobre estavam sob o controle da gangue de Aaron, assim Lucien ficou desempregado de novo. Ele teve que acabar com as suas economias para se sustentar.

Por outro lado, aquilo era bom porque Lucien poderia aproveitar a chance de ficar concentrado em seus estudos, além de evitar a possível vingança da gangue nas ruas. Joel ainda estava tocando nas ruas movimentadas do distrito comercial, enquanto Alisa estava lavando roupa para a associação. Ambos estavam relativamente longe da área do mercado, onde a gangue de Aaron era mais ativa.

Todos concordaram que Lucien ainda estava em primeiro lugar na lista dos que mais corriam risco de vida. Eles orientaram Lucien para não sair da cidade, para não ir a qualquer lugar deserto, e até mesmo lhe disseram para ficar alerta de madrugada caso alguns bastardos tentassem queimar sua casa.

Assim, depois de lavar o rosto e comer o seu pãozinho marrom amolecido em água fervente, Lucien sentiu que não havia nada mais para ele fazer. Porém, o sentimento não durou mais de um minuto. Logo ele saiu e encontrou uma área aberta. Ele começou a praticar sua esgrima com um bastão de madeira, seguindo as orientações de John.

Lucien desejava ter forças para se proteger, mesmo sabendo que seu treinamento havia começado tarde demais. John disse a ele que, depois dos dezesseis anos, a chance de uma pessoa ativar a benção era muito pequena, quase zero, a menos que ele recebesse a Água da Luz Santa da igreja.

Lucien também manteve a adaga de Jackson sempre à mão, para se caso o perigo aparecesse.

Depois de praticar um pouco, ele voltou para casa. Eram nove horas da manhã, e o sol no céu apenas começou a mostrar seu verdadeiro poder. Depois de fazer uma pausa breve, Lucien abriu os livros novamente e começou a revisar. Ele estava muito mais diligente e disciplinado do que nunca.

Rua Snehva, nº 12, Distrito de Gesu.

— Você nunca realmente aprendeu isso antes? — Victor perguntou com grande surpresa, — Nenhum deles?

O progresso de Lucien foi mais que impressionante. Ele respondeu todas as perguntas perfeitamente e fluentemente. Ele ainda fez algumas perguntas que ele encontrou na ortografia, que a maioria dos alunos não tinha nem chance de notar antes de terem constituído uma base sólida. Com apenas um dia de estudo, Lucien tinha quase alcançado seus colegas de classe, Colin e Renee. Os dois estudantes mais fracos da classe vinham estudando aqui por mais de três meses.

Lucien era um gênio? Ou apenas um mentiroso? Os alunos estavam formando suas opiniões.

— Juro que não, Sr. Victor. Já estamos falando a língua comum no dia a dia, não estamos? Eu não sei ler, mas eu sei que as conexões entre as letras e os sons são mais importantes. Eu usei minha imaginação. — Lucien explicou. Ele queria que as pessoas acreditassem que ele era apenas inteligente, ao invés de considerá-lo como um monstro incompreensível, o que possivelmente lhe traria problemas no futuro.

Com certeza Lucien não podia contar pra ele sobre a biblioteca. Victor acenou com a cabeça e sorriu em aprovação.

— Bom, muito bom. Você tem um dom para a leitura.

Lucien era invejado pela maioria dos alunos da turma. Ouvindo o elogio de Victor, dois dos alunos que estavam sob a orientação de Victor por cinco anos, Lott e Felícia, trocaram um olhar de suspeita.

— Parece uma ideia útil. — Felícia concordou com a cabeça com as mãos cruzadas sobre o colo. Como uma menina nobre, ela sempre se sentava de forma impecável.

Lott estava prestes a dar de ombros, mas foi interrompido pelo pensamento de que o gesto poderia não parecer elegante. Ao lidar com Felícia, sua concorrente de longa data, Lott tendia a ser mais cuidadoso, então respondeu:

— Os pobres falam a língua comum também. Eles simplesmente não sabem soletrar nem ler. É sempre melhor do que começar do zero, não é? — Ele também acrescentou, — Mesmo que eles aprendam, não será muito útil para aprender música.

— Tenho minha própria ideia para aprender música, não sou como você. — Felícia respondeu bruscamente, — Você é talentoso, mas o dom não vai te carregar pra sempre. Se eu fosse você, passaria mais tempo praticando em vez de ficar paparicando garotas por aí. — Ela então olhou para Lucien, — Mesmo o menino pobre alí, se ele começar a aprender música, ele provavelmente será bem melhor do que você. — Ela sorriu com seus dentes belos e brilhantes.

Todos os colegas acreditavam que Lucien queria se tornar um músico. Eles não sabiam a verdadeira razão pela qual ele escolheu Victor como seu professor. Aos olhos das pessoas comuns, a escolha de um professor representava o caminho para se percorrer no futuro. Por exemplo, se uma pessoa quisesse ser um funcionário da prefeitura ou do tribunal, ele ou ela escolheria definitivamente um professor com antecedentes na área do direito ou história, ao invés de um músico.

Mas todas as carreiras precisavam ser reconhecidas pelos nobres. Só então isso indicaria sucesso real.

— Se ele for melhor do que eu, ele também será melhor do que você, Felícia. — Lott zombou.

Felícia estava prestes a retrucar, mas notou que Victor estava olhando na direção deles. Ela levantou a mão para arrumar os cabelos ruivos, baixou a cabeça e voltou aos estudos.

Victor começou a acelerar o aprendizado de Lucien. Logo terminaram o resto das regras de ortografia e passaram para a gramática básica, que era exatamente o que Lucien esperava.

Sexta-feira, o último dia de estudos de Lucien naquela semana.

Depois de alguns dias de aprendizagem, Lucien tinha dominado a maior parte da gramática. Se não fosse pela falta de vocabulário, ele poderia até começar a aprender magia agora. Ele também tinha feito um progresso enorme com o diário da bruxa, onde ela explicava por que veio para Aalto:

“Após o aumento do meu poder espiritual, tornou-se mais difícil para mim imergir no estado meditativo… Será que eu devo tentar a meditação da maneira que só os feiticeiros de verdade usam?” (…)

“Foi muito perigoso. Eu quase morri. Talvez eu devesse melhorar o método de meditação do nível aprendiz com base em minha experiência.” (…)

“Eu me perdi, por completo. Não é de admirar que nenhum dos mais velhos tivesse tido qualquer melhoria. Eu sou fútil demais, arrogante demais. Mesmo a estrutura mágica do primeiro círculo é complicada demais pra mim. Eu não consigo encontrar uma maneira de construir um modelo para minha impressão mágica. Isso está me deixando louca… Eu já tenho a poção, mas sem o modelo eu não tenho como prosseguir para me tornar uma feiticeira de verdade!” (…)

“Eu não sei… talvez eu devesse tentar fazer uma poção de Portal Mágico. Ela seria uma magia de primeiro círculo. Talvez eu consiga desta maneira.” (…)

“Eu preciso de Carqueja Nevada… Talvez eu devesse ir para Aalto. É a maior cidade do continente oeste. Também deve haver muitos feiticeiros escondidos lá. É perigoso, mas ainda terei uma chance.” (…)

Até aquele momento isso era tudo o que Lucien havia conseguido entender do diário. Ele estava muito curioso sobre a experiência dela em Aalto, mas decidiu terminar as poucas páginas restantes mais tarde esta noite.

Hoje Lucien também queria pedir ao Sr. Victor um dicionário da língua comum e colocá-lo em sua biblioteca. Se tudo corresse bem, Lucien poderia começar a aprender magia no fim de semana.

Seu coração estava cheio de esperança.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: