TA – Capítulo 113 – 3Lobos

TA – Capítulo 113

Solo de Piano

A cidade inteira estava aplaudindo o desempenho de Lucien. Neste mundo, as pessoas não estavam acostumadas a fortes estímulos sensoriais desse tipo. Elas ficaram chocadas.

— Eu quase não consigo respirar, — disse Lilith. — A regência do Sr. Evans deu uma nova vida para a sinfonia.

— Ninguém conhece uma obra melhor do que seu compositor! — Sarre ainda estava aplaudindo, com seus olhos brilhando de emoção.

Comparado com o estilo conservador dos maestros tradicionais, as pessoas que não tinham muito conhecimento sobre música absolutamente prefeririam a maneira de reger que Lucien usou.

— Ele é louco. — Verdi ficou impressionado no início, mas logo sentiu que era demais para ele. — Lucien simplesmente não tem ideia do que é elegância!

Verdi não estava sozinho nesse sentido. Muitos outros músicos conservadores que aderiram às práticas usadas no passado concordaram com a cabeça quando o conde fez aquele comentário. Era fácil prever que haveria uma enxurrada de críticas à regência de Lucien no Crítica Musical e no Notícias Sinfônicas que seria publicado em breve.

— Eu não penso assim, Verdi. — Natasha balançou a cabeça, parecendo bastante animada. — Esta maneira de reger nasceu para a Sinfonia do Destino! Você não acha?

— Eu concordo com a alteza. — Christopher, a autoridade, estava do lado de Natasha. — O estilo de regência de Lucien trouxe à tona a grande paixão de toda a orquestra, e juntos eles nos presentearam com uma versão ainda mais emocionante da Sinfonia do Destino. Eu diria que este estilo de regência cai muito bem nas músicas temáticas.

— Mas, Sr. Christopher… — Verdi olhou para ele.

— Eu entendo o que você quer dizer, Conde Verdi. — Christopher sorriu. — Na verdade, Lucien estava forçando um pouco a barra. Ele estava sendo muito direto quando estava apresentando a Sinfonia do Destino, o que deixou ao público menos espaço para imaginação.

Mesmo Natasha teve de admitir que o que Christopher disse era verdade.

— No entanto, acho que não devemos ser muito críticos com um jovem músico em seu primeiro concerto. — Entrelaçando os dedos, Christopher olhou para o grão-duque. — Precisamos de uma geração jovem mais criativa, e ser tolerante e de mente aberta é o primeiro passo para permitir isso.

O grão-duque sorriu e acenou com a cabeça. O que Christopher disse foi exatamente o que ele estava pensando.

Os argumentos que Natasha e Verdi tinham haviam sido mencionados por Christopher. Verdi virou o rosto para o outro lado.

— O que me intriga, por favor, perdoe a minha interrupção, alteza, é por qual razão Lucien escolheu colocar a Sinfonia do Destino como a segunda a ser tocada no concerto desta noite. — Michel, o príncipe do Reino de Siracusa, perguntou confuso, — Quero dizer… a parte restante do concerto é praticamente composta apenas por solos de piano. Isso parece bastante desequilibrado para mim.

— Hum? — O grão-duque pegou a cartilha com o repertório ao seu lado e deu uma olhada rápida, — É isso mesmo… Michel, seu argumento realmente faz sentido. O que você acha, Christopher?

— Bem… A obra mais conhecida de Lucien é a Sinfonia do Destino. Usar a Sinfonia do Destino como a obra de encerramento do concerto parece ser o arranjo mais ideal. — Christopher gentilmente coçou o queixo, — Por enquanto, como o príncipe Michel disse, o repertório parece bastante desequilibrado para mim, e eu não percebi isso antes.

Sard estava descansando um pouco com seus olhos semicerrados. Ele sorriu e disse a eles:

— Eu acredito que Lucien não é um idiota. Talvez ele esteja muito confiante em seu solo de piano, ou talvez ele preparou algo novo. É interessante essa expectativa para ver o que acontece, não é?

No momento em que eles chegaram a essa conclusão, a orquestra inteira já tinha saído. Agora, só havia um piano no palco.

Em vez de estar de frente para o público, o piano estava posto em um ângulo diferente.

Vendo Lucien aparecer no palco através da cúpula de cristal novamente, Piola perguntou a seus amigos:

— Por que é que o piano não está na posição certa?

Isso era o que muitas outras pessoas estavam se perguntando naquele momento.

No palco, Lucien fez uma reverência a sua audiência e se sentou em frente ao piano. As mãos dele começaram a se mover suavemente pelo teclado, tocando as teclas de forma cadenciada.

— É o Cânone em D maior, tocado no piano! — Sharon reconheceu a bela e familiar melodia imediatamente.

Embora simples, Cânone em D maior poderia ser a peça de música mais clássica daquele mundo. Ao iniciar uma ou mais repetições das sequências anteriores depois de um determinado período, a repetição da melodia suave e gentil acalmava a mente de cada ouvinte como uma brisa fresca. O público gradualmente se recuperou do impacto trazido pela Sinfonia do Destino, e agora muitos deles relaxaram seus corpos em seus assentos e apreciaram a música de uma forma muito descontraída.

Sentado em frente ao piano e tocando com seu coração e alma, a bela silhueta de Lucien e seus dedos longos e ágeis também deixaram o público com uma impressão marcante.

Cerca de sete minutos depois, aplausos calorosos explodiram novamente. Desta vez, o aplauso foi menos furioso e louco, parecendo suave como a melodia. O público sentiu a beleza e a alegria encontrados na paz com que Lucien tocou.

— Pequenas mudanças fizeram uma diferença significativa. — A melodia do cânone ainda permanecia na mente de Piola. — É muito diferente das versões tocadas no violino ou na harpa.

— Essa é a vantagem do som do piano, é puro e preciso. — Havia um sorriso doce no rosto de Graça. — O Sr. Evans parecia tão encantador quando estava tocando… Seu rosto… Suas mãos…

— Agora eu entendo por que você quis colocar o piano em um determinado ângulo, Lucien!

Do outro lado, em um camarote no Salão dos Salmos, Natasha sorriu e pensou consigo mesma, parecendo bastante empolgada, — Você queria que o público visse diretamente o seu movimento. Mas por que não me disse isso antes, quando eu estava prestes a tocar piano na frente da Silvia? — Natasha também culpou Lucien um pouco.

— Ele definitivamente pensou muito no que colocar em seu concerto. É fácil perceber isso pela maneira como ele colocou o piano, — disse Christopher. — Simples, mas fascinante. Esta peça de Cânone vai se tornar muito popular novamente.

Lucien não se mexeu depois de terminar de tocar. Ele ainda estava sentado no banco do piano, como se estivesse se preparando e esperando por algo.

Houve apenas um curto intervalo entre as duas composições. Um tempo depois, as mãos de Lucien começaram a se mover novamente. Era hora do solo de piano recomposto a partir da Sonata para Violino em G menor.

Após a parte introdutória da obra, que dava prioridade à concisão e fluência, Lucien começou a tocar notas muito curtas de uma forma rápida. Seus dedos eram como dois dançarinos girando sobre as teclas do piano.

— Sonata para Violino em sol menor? — Alguns ouvintes sussurraram uns aos outros, — É para violino. É impossível para piano…

Como o solo se consistia principalmente de sequências de semicolcheias, as mãos de Lucien estavam se movendo cada vez mais rápido. Double-stops, ostinatos, escalas e arpejos… Lucien combinou quase todas as técnicas em sua atuação, que foi um deleite aos olhos do público.

Eles quase não conseguiam acreditar que era um ser humano que estava tocando.

O dedilhado extremamente extravagante de Lucien mostrou plenamente o potencial do piano. Esta música foi mais do que apenas uma demonstração das habilidades notáveis ​​do músico, mas também uma homenagem ao grande potencial do piano como um novo instrumento musical neste mundo.

À medida que o tom ficou cada vez mais alto, a melodia se tornou cada vez mais emocionante. O público estava se esforçando para segurar suas emoções. A apresentação ainda não havia terminado.

Como Lucien terminou sua apresentação com uma técnica muito desafiadora e uma nota tônica, os ouvintes na praça irromperam em aplausos e gritos, enquanto os nobres e músicos no salão também aplaudiram vigorosamente.

A apresentação de Lucien renovou os conceitos que eles tinham quanto ao potencial do piano!



¹Lembrete aos leitores que não viram o post de lançamento do capítulo: a sonata e o cânone linkados nesse capítulo não são exatamente as obras que Lucien está tocando. Na verdade, as linkadas são obras do nosso mundo, mas Lucien usou obras daquele mundo para recompor os dois solos para piano, então, embora parecidos, os resultados são diferentes. E, é claro, o leitor se baseou nas duas obras para criar as “do outro mundo”.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: