TA – Capítulo 111 – 3Lobos

TA – Capítulo 111

Pressão

A cúpula de cristal no ar criada pelo poder divino desapareceu, mas as pessoas ainda permaneceram na praça, absorvendo as sensações da última sinfonia tocada, chamada A Guerra da Aurora.

Seguindo a tendência de tema musical iniciada pela Sinfonia do Destino, a mais recente obra musical do Sr. Christopher foi definitivamente magnífica.

— Comparativamente falando… — Sarre estava um pouco hesitante, — embora A Guerra da Aurora possa ser magnífica, a Sinfonia do Destino, para mim, é ainda mais impressionante.

Lilith concordou com a cabeça.

— Sim, eu sinto que a determinação que a Sinfonia do Destino carrega ainda é mais forte. — Então, ela franziu a testa e as sobrancelhas, parecendo preocupada. — Mas o concerto do Sr. Christopher ainda foi um grande sucesso. O concerto desta noite deve ter colocado ainda mais pressão sobre o Sr. Evans.

— Ele vai ficar bem… — Sarre realmente não sabia o que dizer. — O Sr. Evans não vai nos decepcionar.

— Mas e se ele decepcionar? — Lilith levantou a cabeça, — Afinal, o Sr. Evans vai ser comparado com o presidente da Associação dos Músicos.

Sarre olhou para sua irmã e suspirou.

Ao mesmo tempo, no último andar da prefeitura, Felícia deu um longo suspiro, como se ela estivesse tentando afastar a preocupação e nervosismo em sua mente.

No entanto, nem todo mundo estava sentindo preocupação com a apresentação de Lucien. Mekanzi era uma das exceções, tendo ficado muito animado após o concerto dessa noite, mas na verdade não por causa do grande progresso que o Sr. Christopher fez em seus últimos anos, mas sim porque Mekanzi acreditava que o concerto impressionante do presidente da associação faria o desempenho de Lucien no dia seguinte ser considerado medíocre em comparação.

O grão-duque, a princesa e outros nobres mais renomados ficaram no Salão dos Salmos depois do concerto e agora eles estavam falando com o Sr. Christopher em um camarote separado, parabenizando-o por sua grande conquista na música e lamentando que ele não iria realizar mais concertos no futuro.

Os outros nobres e músicos permaneceram em seus assentos, trocando opiniões sobre o concerto.

— Você é agora quase um especialista no campo da música temática, Lucien. — Victor ficou impressionado com a interpretação de Lucien no primeiro movimento de A Guerra da Aurora. — Eu percebo que você está moldando seu próprio estilo musical e suas ideias fundamentais.

— Obrigado, Sr. Victor. Infelizmente, temo que eu ainda tenha um longo caminho a percorrer antes de alcançar esse nível, — respondeu Lucien humildemente. — O que eu estava falando era basicamente o mesmo do Crítica Musical e do Notícias Sinfônicas. Eles produziram alguns comentários de música bastante perspicazes na área da música temática nos últimos meses.

Na verdade, todo o conhecimento que Lucien estava trocando com Victor e Marcus era de sua biblioteca espiritual.

— Ah… Eu li esses artigos também. Sim, eles são ótimos como meio de instrução, — concordou Marcus, mas depois ele mudou de assunto, — Você se sente pressionado por saber que o seu concerto amanhã será comparado com este concerto perfeito, Lucien?

Quando Lucien estava prestes a responder, Victor deu um tapinha no braço de Marcus para fazer ele parar. Em seguida, Victor disse a Lucien:

— Nunca se compare com os outros. Faça o que você quiser fazer.

Na verdade, o próprio Victor estava muito preocupado que os solos de piano amanhã pudessem não ser capazes de passar uma sensação musical impressionante o suficiente para o público, mas ainda assim ele escolheu confiar em seu aluno.

Lucien não estava tão estressado como as outras pessoas pensavam. Embora soubesse que o seu arranjo e repertório do concerto estivessem muito à frente da tendência atual, e os vários solos de piano pudessem ser um grande risco, Lucien acreditava que só ele mesmo sabia o que queria.

— Eu só vou dar o meu melhor. — Ele assentiu.

Alguns minutos depois, os nobres começaram a sair do salão, seguidos pelos músicos. Alguns nobres e músicos cumprimentaram Lucien com comportamentos estranhos. Claramente, eles estavam tentando evitar mencionar o concerto dele no dia seguinte.

Era o quinto dia de abril, o último dia do Festival de Música de Aalto.

Às sete e meia da noite, quase todas as pessoas em Aalto estavam se reunindo ao redor da praça central e nas ruas nas proximidades, esperando pelo último concerto.

Piola, Sharon e outros membros da banda chegaram na praça no início da tarde para garantir um lugar relativamente bom. Agora eles estavam sendo espremidos por cada vez mais pessoas e cercados por conversas cada vez mais fervorosas.

Olhando para a cúpula de cristal, Piola murmurou como se estivesse sonhando:

— Eu gostaria de poder realizar um concerto aqui. Eu estaria disposto a morrer por isso.

— Não é possível de verdade, infelizmente. — Green, o violista, balançou a cabeça e suspirou, embora tivesse o mesmo sonho em sua mente.

— Estamos apenas em nossos vinte anos. Ainda somos jovens. Não seja tão pessimista, Green, — disse Sharon. — O Sr. Christopher ainda está em busca de novos feitos na música mesmo em seus setenta anos, enquanto nós vamos levar nossos sonhos em diante até conseguir realizá-los.

— Falando em jovem — Graça entrou na conversa, — dizem que a cerimônia de maioridade desse Sr. Evans ainda vai demorar alguns meses para acontecer.

Sharon, que nasceu em uma família de músicos, adicionou:

— O músico mais jovem na história realizou seu concerto no Salão dos Salmos quando ainda tinha quinze anos, mas quando ele se apresentou aqui, ele já tinha realizado vários concertos em diversos lugares. O Sr. Evans estará fazendo seu primeiro concerto aqui, e ainda por cima durante o Festival de Música de Aalto, que é algo que vai certamente ser gravado na história da música.

Christopher havia tido seu primeiro concerto no Salão dos Salmos durante um dos festivais anteriores, quando ele tinha vinte e seis anos. O músico mais velho, que realizou seu concerto com a idade de cento e doze anos no Salão dos Salmos, também era um grão-cavaleiro, sendo assim considerado um recorde quase inquebrável.

— Todo mundo está ansioso pelo desempenho do Sr. Evans esta noite, — disse Graça. — Eu acho que… contanto que seu concerto tenha metade da qualidade do que o Sr. Christopher fez, já vamos chamá-lo de sucesso.

— Eu concordo… — Piola assentiu, — Afinal, o Sr. Evans estuda música faz menos de um ano. Ele já é um gênio por ter chegado tão longe, e ele ainda é muito jovem.

— Eu não acho que outras pessoas vão concordar com a gente, infelizmente. — Sharon suspirou, — Deve haver pessoas que estão torcendo pelo fracasso do Sr. Evans.

Fora do Salão dos Salmos, Lucien, vestindo um fraque preto, estava recebendo os ilustres convidados juntamente com Rhine e alguns outros membros da orquestra.

Muitos nobres e músicos enchiam o saguão. Entre eles estavam o Conde Hayne, Conde Rafati, Conde Hill, Sr. Othello, e outros nobres e músicos estrangeiros que Lucien não conhecia.

Então, Christopher apareceu com sua aluna Silvia. Ele acenou para Lucien com um sorriso gentil e pediu para ele relaxar. Silvia sorriu para Lucien para mostrar seu incentivo.

Lucien também convidou especialmente a sua “família” em Aalto para que viessem. John, Joel, Alisa, Iven e até Elena foram convidados. Eles chegaram junto com Victor e Felícia, e alguns deles pareciam ainda mais nervosos do que Lucien. Ele sorriu para eles, dizendo que estava se sentindo ótimo.

Finalmente, a carruagem do grão-duque chegou. O grão-duque e a Princesa Natasha foram cercados por muitos nobres quando desceram, e o mesmo ocorreu na chegada do Príncipe Michel, o príncipe do Reino de Siracusa, e também Sard, o Santo Cardeal da Igreja.

Natasha levantou suas sobrancelhas violetas ligeiramente para Lucien e sorriu:

— Eu confio em você, meu consultor.

No camarote, o Grão-Duque Violeta¹ disse a sua filha:

— Natasha, eu acho que você foi bastante imprudente quando programou o primeiro concerto de Lucien para ser realizado após o do Sr. Christopher, e principalmente como o concerto de encerramento do Festival de Música de Aalto. Você por acaso está querendo que ele estrague tudo?

— Claro que não, pai. — Natasha riu. — Eu só tenho fé nele. Eu sei que ele consegue.

— Bem… Somente a sua fé não faz dele um músico qualificado para esta ocasião, — Verdi disse a Natasha. — Tudo o que ele tinha era a Sinfonia do Destino e… provavelmente Para Silvia.

— Eu acho que esta é uma ocasião adequada para um músico jovem e talentoso crescer. — Christopher concordou com Natasha, — O concerto mais valioso para um músico é aquele que pode ajudá-lo a superar seus limites.

Sard também concordou.

— Eu percebo por aquela sinfonia que este jovem é muito persistente. Ele tem um coração que não vai ceder às dificuldades. Que Deus o abençoe.

Tendo o apoio de Christopher e Sard, Natasha sorriu para Verdi.

— Agora, o que você acha?

— Bem… vamos ver. — Verdi não estava se pegando muito com Natasha esta noite. Sua mente parecia estar um pouco ocupada com outra coisa naquele momento.

Quando Lucien apareceu no palco, Piola apontou para a cúpula de cristal e exclamou:

— Ele… ele é o Sr. Evans?!

Piola ficou de boca aberta. Ele não podia acreditar em seus olhos. Sharon levou alguns segundos para organizar algo para dizer.

— Sim, acho que sim. O rapaz com quem conversamos antes… é Lucien Evans.

— Não é de se admirar… — Graça murmurou para si mesma.

Em pé na frente da orquestra, Lucien sorriu para Rhine e deu um aceno de cabeça.

Então, Lucien ergueu a batuta.



¹Violeta: anteriormente, tanto o ducado quanto o título do grão-duque apareceram como “Orvarit”, mas após algumas discussões sobre termos com algumas pessoas, eu e a Kris concordamos em adequar a tradução para bater com o nome da família, “Violeta”. Destarte, o grão-duque, daqui para frente e também nos capítulos anteriores, será chamado de Grão-Duque Violeta, e o ducado terá o nome de Ducado Violeta.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: