Soberania – Capítulo 3 – 3Lobos

Soberania – Capítulo 3

Descobrindo a magia negra (2)

Kang-jun trabalhava em uma conveniência das 21:50 até as 07:00. Depois tomava um banho e dormia um pouco. Acordava lá pelas 17:00. Usava o tempo livre para jogar ou assistir TV antes de voltar ao trabalho. Esta rotina entediante era repetida de segunda a sexta-feira.

Na verdade, ele conseguiria muito mais dinheiro se ele encontrasse um trabalho diferente do de meio período na loja de conveniência, já que até era um pouco fortinho. No entanto, ele feriu gravemente o pé depois de um atropelamento onde o responsável não prestou socorro. Isso não foi nada fácil para Kang-jun. Agora mal era qualificado o suficiente para trabalhar na loja de conveniência. Além disso, a perda de cabelo começou após o acidente devido ao seu abalo psicológico.

Eram 21:40. Kang-jun já tinha terminado de comer seu macarrão e tomou um banho. Agora era hora de ir trabalhar. Ele colocou seu chapéu e saiu do quarto. A loja de conveniência ficava a 50 metros de distância. No entanto, haviam várias pessoas na parte de fora da loja de conveniência.

Aconteceu alguma coisa? — Uma menina bonita de uns 20 e poucos anos chamada Choi Yuri estava de pé na frente do balcão, com uma careta no rosto. — Eu devia perguntar para a Yuri o que está acontecendo.

Então uma mulher vestida com um terno branco saiu de um carro preto no estacionamento.

— Ah! Kang-jun chegou?

— Sim, chefe!

Uma senhora de 40 e muitos anos, Lee Jeong-sook, era a proprietária da conveniência 24 horas, bem como a dona do imóvel. Os imóveis em Gangnam eram caros, mas ela possuía diversos outros prédios. Portanto, era de um outro nível, mas ela sempre tratou Kang-jun relativamente bem.

Claro, isso era porque Kang-jun trabalhava muito. Mas hoje a atmosfera estava um pouco estranha.

— Kang-jun. Por que você não se senta aqui? — Lee Jeong-sook se virou para Kang-jun com uma expressão profissional e continuou. — Estou atarefada, então vou falar rapidamente. A loja de conveniência vai ser fechada, assim, de um dia pro outro. O que que eu posso fazer, não é? Agora você vai precisar encontrar um outro emprego.

— Hã?

— Você é honesto, então se dará bem onde quer que vá, não é mesmo? O salário deste mês será depositado amanhã. Bom, preciso ir. — Lee Jeong-sook resumiu rápido assim.

*Biiiiii Biiiiiii!* — Uma buzina de carro soou.

— Querida! O que você está fazendo? As crianças estão com fome. Eu também estou com fome. — O carro importado preto estacionou na minha frente.

— Eu sei. Já acabei. — Lee Jeong-sook foi até o carro e abriu a porta.

Um homem com bem mais de 50 anos usando um terno estava sentado no banco do motorista e havia um casal de 20 e poucos no banco de trás. A família de Lee Jeong-sook. Suas roupas indicavam que a família estava indo viajar para algum lugar.

Lee Jeong-sook colocou o cinto de segurança e perguntou para os de trás.

– Vocês estão com fome? Vamos comer o quê?

– Filé de costela!

– Eu também!

– Ho ho ho, mesmo? Então vocês vão se empanturrar. Docinho! Iremos para nossa casa em Cheondamdong.

– OK. É ótimo porque o restaurante está aberto 24 horas.

O homem acelerou e foi embora.

*Vruuuuum*

Kang-jun olhou para o carro ao longe com uma expressão confusa. Uma casa em Cheongdamdong? Ele ouviu mesmo aquilo. Uma porção de filé de costela custava mais de 80 mil won¹. Haviam muitas pessoas que comiam, mas Kang-jun não se atreveria. O preço de uma porção era maior do que o que ele ganhava por dia. Aquela gente que não tinha que se preocupar com dinheiro poderia comer e jogar pelo resto de suas vidas. Elas nasceram em berço de ouro.

No entanto, agora Kang-jun não tinha um emprego e precisava se preocupar com as despesas do próximo mês.

— Kang-jun, meu velho!

De repente, ele ouviu uma voz de mulher atrás dele. Ele se virou e viu Choi Yuri parada ali.

— Yuri! O que está acontecendo?

Choi Yuri deu de ombros e apontou para dentro.

— Você não está sabendo? O prédio foi vendido. Todo o edifício será transformado em uma clínica de cirurgia plástica.

— O que? Cirurgia plástica?

— Teve um bafafá enorme sobre isso. Os novos proprietários vão derrubar o prédio e construir a clínica.

— Mesmo?

— Cirurgia plástica dá muito dinheiro hoje em dia. Um dia vou ganhar muito dinheiro e abrir uma clínica.

— Faça isso.

Kang-jun sentiu-se murchinho. — Agora não é hora de estar batendo papo. Preciso procurar um novo emprego. — Ele iria procurar um trabalho de meio período na internet quando retornasse ao seu quarto. Assim que Kang-jun se aproximou do edifício do seu pensionato, alguém agarrou seu ombro.

— Eae, manquinho!?

Kang-jun enrijeceu e se virou. Havia um brutamontes meio punk com cara de poucos amigos. Cho Sang-jin. Um malandro que pertencia a um grupo de gangsters que agiam nos arredores de um Bar ali próximo. Ele sempre causou repúdio em Kang-jun.

Cho Sang-jin disse com uma risada — Vá para a loja de conveniência e me traga um maço de cigarros.

— A loja de conveniência não está aberta.

— O que?

— A loja de conveniência está fechada.

— Olha só esse pirralho! Então agora você não quer me pagar cigarros? — Era uma loja de conveniência 24 horas que ficava aberta até mesmo no Ano Novo Chinês e nos feriados importantes, — Ou está querendo morrer?

— Então vai lá e veja com seus próprios olhos.

— Então vai para outro lugar comprar. Por acaso existe só uma conveniência?

Kang-jun ficou agitado. Na verdade, isso já tinha acontecido muitas vezes. O karaokê bar ficava no subsolo do prédio onde Kang-jun morava, então ele não tinha como não dar de cara com eles de vez em quando. Nessas vezes, Kang-jun fechava os olhos e obedientemente comprava os cigarros. Talvez porque ele fosse fraco? Não era bem isso. Cho Sang-jin sempre dava alguns tapas nele, mas agora Kang-jun estava cansado daquilo.

Não foi fácil conseguir um quarto por 250 mil won¹ neste bairro. No entanto, agora ele precisava repensar as coisas. A loja de conveniência fechou, e com ela foram suas chances de ficar no pensionato.

— Eai! O que você está fazendo? Não vai comprar os cigarros?

— Se você quer tanto fumar então compre você mesmo.

Cho Sang-jin ficou boquiaberto com as palavras repentinas de Kang-jun.

— Seu desgraçado! O que é que você disse?

— Eu disse para ir comprá-los sozinho. Você é surdo?

— Caralho! Parece que alguém tá loco pra bater com as 10. Você realmente vai morrer… — Cho Sang-jin levantou as mãos para Kang-jun com uma expressão maquiavélica.

Mas então algo estranho aconteceu. Cho Sang-jin de repente ficou pálido e cambaleou, — Ugh… Por que eu fiquei tonto de repente?

Ele perdeu o equilíbrio e caiu. Ao mesmo tempo, uma frase vinda direta de um livro de fantasia apareceu na frente de Kang-jun.

[Mana 10/100]

[Completar sua capacidade de mana abrirá a porta para Hwanmong]


TN¹: Won é a moeda coreana. 250 mil won equivalem atualmente a R$ 675; 80 mil são R$ 215.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: