Soberania – Capítulo 17 – 3Lobos

Soberania – Capítulo 17

Construção do Quartel (1)

No dia seguinte Kang-jun continuou a vender meias no tradicional mercado K. Ele conseguiu vender oito caixas antes de anoitecer, o que rendeu de cerca de 1,2 milhão de lucro. Ele ganhou uma quantia estupenda de mais de dois milhões em apenas dois dias.

Hu hu, eu estou ficando com todo o dinheiro da feira!

Nesse ritmo ele conseguiria ganhar mais de 10 milhões nos 10 dias que tinha contratado, e tudo isso devido ao poder da habilidade de captação de clientes. Ele tinha potencial para ganhar dinheiro e não precisaria mais viver na pobreza. Seria esse o final feliz de uma dura e longa vida de sofrimento?

O problema era que ele precisava sobreviver em Hwanmong para aproveitar essa felicidade! Mesmo se ele ganhasse bilhões, ou mesmo centenas de bilhões de won, de nada adiantaria se ele fosse derrotado em Hwanmong.

Ele tinha que ganhar. A tensão só aliviaria depois que ele cumprisse as 100 missões. Porém, ganhar 2 milhões já era bem tranquilizador. Kang-jun depositou o dinheiro ganho em um caixa 24 horas e voltou para o pensionato com o coração satisfeito.

A porta para Hwanmong irá se abrir esta noite. — Ao entrar lá ele teria que cumprir a terceira missão, de construir um quartel no quarto 413. — Tenho que pegar a chave. — Ele assinou um contrato de aluguel há dois dias. O contrato formal começaria à noite, quando a porta para Hwanmong se abrisse.

Kang-jun acabou de jantar e tomou uma ducha antes de visitar o escritório do gerente para pagar os 180 mil restantes a Kwon Myeong-cheol.

— Não sei por que você quer o quarto, mas tenha cuidado. Deveria dormir no quarto 406, se possível. — Kwon Myeong-cheol disse com uma expressão preocupada, enquanto entregava as chaves do quarto 413. Kang-jun sorriu.

— Você realmente viu um fantasma?

— Eu vi. De qualquer forma, você foi avisado. Não jogue a culpa em mim depois.

Kang-jun pensou que o gerente estava falando a verdade, mas ele nunca tinha visto um fantasma antes. Ele imediatamente se lembrou que, apenas alguns dias antes, ele tinha visto um cadáver debaixo de sua cama…. o choque e o horror daquele momento! Seria realmente inimaginável.

Claro, foi graças ao poder da magia negra de Hwanmong. Mas até isso era extremamente incomum. Kang-jun não poderia supor que a ideia de um fantasma existir fosse absurda. — Cadê o fantasma? Ele pode até aparecer em Hwanmong, mas esta é a realidade.

E mesmo assim ele não sentiu medo. Afinal, tinha a magia negra ao seu lado.

*Nheeeeeeek*

Kang-jun abriu a porta do quarto 413 e acendeu as luzes. Estava frio no quarto, mas ele não viu nada que se assemelhasse a um fantasma. Então por que Kwon Myeong-cheol disse a ele para ter cuidado? Havia alguma coisa estranha ali?

Será que… — Kang-jun procurou debaixo da cama. — Também nada aqui. — Ele pensou que era bobagem. Não havia mais ninguém lá. Foi naquele momento que as luzes se apagaram, e a escuridão tomou conta do cômodo.

Oi? Que que foi isso? — Ele não estava nem perto do interruptor para ter desligado as luzes. — Talvez ela queimou? — Ele decidiu ir lá dar uma olhada. No entanto, ele teve a certeza de que aquilo não era o problema quando algo apareceu de repente em sua frente. Uma existência que podia até mesmo ser vista claramente na mais completa escuridão!

Uma mulher de branco com cabelo preto bem arrumado. Uma ninfeta de uns 20 aninhos, com um sorriso no rosto. Ela definitivamente não era humana. Kang-jun tinha certeza que ela era um fantasma, não um ser humano. Era óbvio para seus sentidos.

Um calafrio percorreu seu corpo. Mesmo que um fantasma de verdade tivesse aparecido, ele estava calmo e confiante.

— O que você é? — Kang-jun perguntou enquanto encarava a fantasma. Então ela respondeu, com raiva.

— Saia deste quarto!

Foi um sentimento macabro que penetrou profundamente na alma dele. A mulher estava sorrindo, mas a voz dela causou muito medo.

— E-eu?

— Você! E não volte. — Um fantasma, querendo passar a impressão de que iria machucá-lo se ele não saísse.

O que ele devia fazer? Uma pessoa comum fugiria assim que ouvisse aquilo. Kang-jun também sentiu uma vontade súbita de fugir, mas ele não podia fazer isso. Ele tinha contratado este quarto por 200 mil won. Kang-jun tinha o direito de usá-lo com exclusividade, por um mês. Como poderia ele ser expulso por um mero fantasma? Ele nunca aceitaria isso.

— Este é o meu quarto. Você que devia se mandar.

O fantasma encarou Kang-jun silenciosamente, com gelo nos olhos! Kang-jun sentiu seu coração afundar. — Vishe, droga! — Ele não podia perder para um fantasma. Então ele usaria sua magia negra!

— Então desapareça! Fantasma maligno!

Kang-jun amaldiçoou o fantasma com o seu poder. Ele esperava que o mostro perdesse sua força e ficasse incapacitado ao absorver a energia vital dele. No entanto, a situação foi diferente do que ele estava esperando.

[O alvo resistiu]

Inacreditável! Resistência! — A mensagem não era nova, mas ainda assim era surpreendente.

[Você pode abrir o campo de batalha e lutar contra ele]

[Grandes quantidades de mana poderão ser absorvidas se você ganhar. No entanto, sua capacidade de mana está atualmente cheia e você não pode absorver mais. Além disso, você perderá uma grande quantidade dela se você perder]

[Gostaria de abrir o campo de batalha? Sim/Não]

[Abrir o campo de batalha consumirá 1 ponto de mana]

Seria impossível absorver a magia negra mesmo que ele ganhasse. Por outro lado, ele iria perder grandes quantidades se perdesse. Desta forma, seria tolice abrir o campo de batalha. O rosto do fantasma se contorceu. Ela notou que Kang-jun tinha tentado fazer alguma coisa.

— Como se atreve!? — O fantasma saltou em direção a ele. Kang-jun reflexivamente mandou um chute e acertou o queixo do fantasma.

*Pow*

A cabeça do fantasma pendeu para trás com o movimento. Kang-jun saltou e meteu uma voadora de dois tempos no peito do espírito.

*Pow Pow*

O fantasma caiu no chão. — Não é grande coisa. — O fantasma tinha um corpo de espírito, mas ele conseguiu chutá-lo duas vezes. No entanto, Kang-jun ainda não se sentia seguro. — O fantasma era pra ser tão fraco assim? — Não podia ser.

E exatamente como seus medos internos já haviam previsto — *Suuok!*

O fantasma levantou num pulo e olhou ameaçadoramente para Kang-jun.

Vishe! — As roupas anteriormente brancas ficaram pretas. O cabelo arrumado se eriçou formando uma confusão selvagem. Mas isso não era tudo. Não, os olhos dela ainda ficaram vermelhos, sedentos por sangue.

*Beondduk!*

Sangue começou a jorrar pelo cabelo preto!

Vishe vishe vishe vishe!

Kang-jun se encolheu. A situação tinha mudado. Até olhar para ela já tinha se tornado difícil. — Pre-preciso fugir disso!! — De repente, os braços do fantasma se esticaram e agarraram a garganta de Kang-jun.

*Kwack*

O fantasma agarrou Kang-jun pela garganta e o ergueu no ar. — Ai! — Ele não conseguia respirar, e urgentemente tentou se livrar das mãos do fantasma, mas era como se elas fossem feitas de aço!

— Ki ki ki ki. Eu vou matar você!

O fantasma soltou uma das mãos e com ela puxou uma faca.

Ah! Merda! — Ele agora tinha certeza que estava enganado. Ele devia mesmo ter deixado o quarto quando ela mandou da primeira vez. Kang-jun agora entendia por que as pessoas tinham medo de fantasmas. Contudo, esse conhecimento não iria fazer diferença no ritmo em que as coisas iam.

Kang-jun balançou seu corpo suspenso no ar e usou o impulso para chutar a cabeça do fantasma com força.

*Pow Pow*

O corpo do fantasma chacoalhou ligeiramente. Ao mesmo tempo, o aperto da mão segurando seu pescoço enfraqueceu, e ele usou aquela oportunidade para se afastar rapidamente das garras do monstro. Ele fugiu direto para a porta aberta. Eu preciso escapar.

Onde é que alguém estaria seguro quando perseguido por um fantasma? Kang-jun instintivamente correu para o quarto 406. Ele estaria a salvo se entrasse lá, embora não tivesse certeza do motivo. Mas agora não era o momento de entender a razão. Ele pensaria sobre tais coisas mais tarde.

O perturbado Kang-jun correu pelo corredor e chegou na frente do seu quarto. Ele abriu a porta e se virou involuntariamente.

*Suuk*

O fantasma que estava no final do corredor apareceu na frente de Kang-jun em um piscar de olhos. A incrível velocidade parecia até um teletransporte. — Nossa! — Foi como uma cena memorável de um filme de terror. Kang-jun entrou no quarto rápido como o vento e bateu a porta.

*Béng!*

Imediatamente ele trancou a porta e respirou fundo. — Ridículo! Tem um fantasma, real, de verdade, vivo, na minha porta! — O pior era que o fantasma acabou por se revelar um inimigo, e tentou matar Kang-jun.

*BAM BAM BAM!*

Algo bateu na porta com força. Claro que foi o fantasma. Kang-jun deu um pulo assustado dentro do quarto.

*BAM BAM BAM BAM BAM!*

A porta parecia estar com risco de quebrar. Kang-jun aguardou com uma expressão inquieta. — Estranho. Por que o fantasma não entra? — Não havia nenhuma razão para um fantasma arrombar uma porta. Ele poderia passar direto por ela. Mas o fantasma não entrou, e continuou batendo.

*toc toc*

Para ficar ainda mais estranho, as batidas agora pareciam suaves como as de um visitante simpático. E ainda tinha mais.

— Me desculpe. Preciso de um minuto da sua atenção por favor. Poderia abrir a porta?

O fantasma estava pedindo gentilmente para ele abrir a porta, em uma suave e bela voz de mulher. Uma voz doce. Tão bonita que ele quase, sem se dar conta, abriu a porta.

Mas Kang-jun não se rendeu à súplica. Seu subconsciente estava enviando sinais de perigo! Não podia abrir a porta, não importa o que acontecesse. E a porta para Hwanmong iria abrir assim que ele pegasse no sono. Seria sua salvação! Será que o fantasma iria embora quando a porta se abrisse?

*toc toc*

— Só um minutinho. Por favor, abra.

A voz não parava de pedir. Kang-jun cobriu as orelhas e se deitou na cama. — Eu tenho que dormir! Dorme logo!

No entanto, não era fácil dormir com um fantasma incomodando na porta. Quem conseguiria dormir numa situação dessas? Ainda assim, Kang-jun continuou deitado em baixo dos cobertores na cama. Em algum momento, ele cochilou.

E então uma voz estranha ressoou.

[A porta para Hwanmong se abriu]

[Você entrou no mundo de Hwanmong]

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: