PA – Capítulo 38 – 3Lobos

PA – Capítulo 38

Uma evolução inesperada

 

 

Para ser mais preciso, o colchão era na verdade um cobertor fino e preto. Quando ela deitou sobre a cama, ela sentiu um cheiro ruim… Sanji virou para o lado, e a cama fez um barulho alto e irritante.

Mesmo que estivesse completamente escuro, Sanji ainda conseguia ver tudo claramente dentro do cubículo. A circulação de ar no subsolo era ruim, então havia um cheiro de mofo no ar. Haviam alguns pregos nas paredes do cubículo, que provavelmente eram usados para pendurar roupas. A condição das acomodações eram ruins — ela conseguia até mesmo ouvir o barulho da pessoa dormindo ao lado se coçando mesmo através das paredes. Enquanto ela estava na cama incapaz de dormir, ela considerou se era por causa do novo lugar onde ela estava.

Se as pessoas aqui só desenvolveram resistência ao calor devido à medicação, como o Changzai tinha falado, ela não via nenhuma razão para ficar aqui. Afinal, o maior propósito ao se juntar ao Oásis era para encontrar um cônsul e não por causa da comida ou água.

Quais as chances de ter um cônsul aqui, já que a maioria da população são pessoas comuns?

Entretanto, não parecia certo deixar o lugar depois de ter acabado de chegar. Sem saber o porquê, Sanji de repente se lembrou do vulto suspeito que ela tinha visto.

Está tudo bem, nós podemos ficar aqui alguns dias e observar a situação…

Um monte de pensamentos aleatórios passaram pela cabeça dela, e antes que ela percebesse, seu olhos ficaram pesados e ela ficou sonolenta. Quando estava prestes a dormir, uma energia intensa começou a fluir por todo o seu corpo…

Sanji abriu os olhos imediatamente enquanto ela tremia incontrolavelmente. Seu corpo estava tremendo tão violentamente que a cama começou a bater fazendo um barulho “pa pa pa”, que soava claramente nesse lugar tão quieto. Ela queria se mexer, mas descobriu que assim como antes, tinha perdido o controle de seu corpo. Mesmo que a energia que estava percorrendo seu corpo não parecesse a mesma, a sensação não era inteiramente desconhecida.

Merda! Tinha como minha habilidade escolher uma hora pior do que essa para evoluir?

Cerrando os dentes, ele queria se jogar ao chão por que a cama estava fazendo muito barulho e poderia atrair muita atenção. Enquanto ela estivesse evoluindo, ela não conseguiria se defender, e se algum estranho entrasse no cubículo… Embora o Oásis parecesse pacífico, ela não queria correr tal risco.

Entretanto, ela nem conseguia se mover, então como é que ela iria se virar e cair no chão?

Usando o impulso dos movimentos do seu corpo, ela conseguiu se afastar um pouco da parede e seus longos cabelos caíram da cama.

Isso não é o suficiente… — Sanji pensou. Mas era tarde demais. Os sons da respiração do vizinho pararam subitamente e Sanji ouviu uma barulho vindo da cama do vizinho. A pessoa do outro lado parecia ter levantado. Depois disso, ela escutou passos indo para a entrada do cubículo 1629. Os passos pararam nas cortinas.

— Ei… você é novo aqui? — Uma mulher falou bem baixinho com uma voz irritada. — Como é que você pode fazer isso enquanto todo mundo está dormindo? Vocês dois não tem vergonha na cara? Pare com isso agora!

Mesmo que ela não conseguisse controlar o seu corpo, sua mente ainda estava clara. Atordoada, Sanji demorou alguns momentos até perceber o que a mulher queria dizer. Ela teve vontade de arrancar os cabelos — aquela mulher estava achando que ela estava fazendo aquilo! Entretanto, ela não podia negar que a cama estava fazendo bastante barulho.

A mulher esperou do lado de fora, mas o barulho continuou ritmicamente. Ela finalmente desconfiou que tinha algo estranho e abriu a cortina. Ela imediatamente gritou assustada quando viu a Sanji.

— Ei, você está bem?

Apesar de incapaz de falar, Sanji momentaneamente se sentiu aliviada mas o sentimento foi rapidamente substituído por preocupação novamente. A vizinha que entrou no cubículo era uma mulher de cabelos longos por volta dos trinta anos vestindo um pijama amarelo claro do Ursinho Pooh. A mulher parecia ser uma pessoa de atitude, pois ela imediatamente ajudou Sanji a sair da cama e colocou a cabeça dela em sua coxa.

— Ei, você consegue falar? — A mulher bateu no rosto da Sanji repetidamente, e os barulhos dos tapas soaram pelo lugar. — Esta é uma das suas crises de epilepsia?

Sanji já não sabia mais se estava tremendo por causa da evolução ou por causa da raiva.

Por sorte, o processo foi bastante curto. Pouco tempo depois, ela gradualmente se acalmou e recuperou o controle do seu corpo. Quando ela percebeu que já conseguia se mover, Sanji imediatamente se levantou da coxa da mulher e fuzilou a mulher com os olhos. Ela queria falar algo, mas por fim, Sanji percebeu que a mulher não tinha feito nada de errado, então finalmente se forçou a falar:

— Eu estou bem. Obrigada.

A mulher olhou para Sanji de forma inexpressiva, mas ainda assim perguntou:

— Que tipo de doença você tem? Isso acontece frequentemente? Isso acontece frequentemente quando você dorme? Eu tenho que pedir para a Yu mudar o seu quarto?

A mulher conseguia deixar ela louca de raiva. Sanji cerrou os dentes e rosnou.

— Eu não estou doente! Você não entende. Essa é apenas uma reação normal que acontece quando sua habilidade evolui.

— Huh? — Como esperado, surpresa, a mulher olhou Sanji por inteiro. — Você evoluiu naturalmente? Eu também!

Sanji se sentiu decepcionada quando a sua vingança foi por água abaixo, ela suspirou.

— Então por que você não sabia o que estava acontecendo?

— Eu não sabia que era assim… Eu cheguei aqui bem no começo. Minhas habilidades não evoluíram mais mesmo que eu já esteja aqui por um tempo.

Provavelmente, porque o Oásis era pacífico demais.

— Tudo bem… De qualquer forma, eu agradeço pela ajuda. Eu sou Sanji Lin, e você? — Sanji rapidamente ajustou suas emoções e estendeu sua mão para a mulher.

A mulher encostou na mão dela brevemente, e Sanji considerou como um aperto de mão. Depois disso, a mulher respondeu.

— Eu sou Dani Fang. E vamos manter distância. Afinal de contas, eu não sei por quanto tempo você sobreviverá.

Depois de falar essas palavras misteriosas, Dani levantou e se virou para sair.

Isso significa que os pós-humanos que vivem em Oásis são todos estranhos sem cunho social?

Sanji teve uma forte vontade de cobrir o rosto com as mãos e se lamentar.

— Ei, o que você quer dizer com isso?

Dani olhou para ela inocentemente.

— Novos membros como você com habilidades fortes geralmente têm missões difíceis. Então, a taxa de sobrevivência do seu tipo não é alta. — Depois de falar isso, a mulher foi embora sem demonstrar nenhuma preocupação.

Sanji só observou enquanto a mulher saia, sem saber o que falar. As paredes não eram suficientes para abafar o barulho e ela ouviu claramente Dani voltar para o cubículo dela e deitar na cama. Não demorou nem dez minutos para ela já estar dormindo novamente.

É psicologicamente frustrante falar com aquela mulher!

Sanji xingou mentalmente, sem dar importância sobre os comentários da Dani sobre as missões difíceis. Ela já tinha experimentado sua porção de experiências estranhas e difíceis aqui, neste Inferno Hipertermal.

Será possível que as missões aqui no Oásis sejam mais letais que aquele Glitch?

Dos barulhos que a Sanji estava ouvindo, ela tinha certeza que Dani estava dormindo profundamente. Depois de deitar no escuro por um longo tempo, Sanji finalmente estendeu a palma da mão cuidadosamente.

Ela resolveu verificar a situação da sua habilidade. Desta vez, quando a evolução tinha terminado, ela teve uma vontade intensa de invocar uma carta. Ela tinha certeza que a evolução desta vez era relacionada à sua habilidade de invocar cartas. Com um pensamento simples, uma carta apareceu em sua mão. Não teve nenhum sinal da luz que sempre brilhava quando ela usava a habilidade. Ao invés disso, a carta apareceu sem nenhuma indicação.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.
FONTE
Cores: