PA – Capítulo 36 – 3Lobos

PA – Capítulo 36

O walkie-talkie desaparecido

 

 

A palavra “temporariamente” que a Sanji tinha falado não diminuiu em nada o entusiasmo de Jinfeng. Ele juntou as mãos com um barulho alto e falou fervorosamente:

— Esse é o espírito! Todos no Oásis se tornarão parte da história da humanidade e serão lembrados através das eras!

As pessoas que estavam de bobeira perto da entrada da fábrica perceberam que os novatos resolveram se juntar ao Oásis. Eles comemoraram e correram em direção ao grupo da Sanji. Todos começaram a bater palmas. E nenhum deles estava aplaudindo desentusiasmado. Todos aplaudiam com muito entusiasmo e não demorou muito para atrair mais pessoas que também começaram a aplaudir.

— Bem-vindos! Novos membros!

Sanji se sentiu um pouco perdida encarando uma multidão tão entusiasmada. Ela se virou e olhou para Lutero e Marcie, apenas para descobrir que os dois branquelos estavam corando até as orelhas. Quando Lutero percebeu o olhar dela, ele sussurrou envergonhado:

— Eles são tão entusiasmados… Eu nunca fui recebido assim tão calorosamente.

Sanji segurou a risada, mas ela estava sentindo a mesma coisa.

Jinfeng só conseguiu acalmar a multidão depois de acenar várias vezes para eles pararem.

— Meus companheiros, a coisa mais importante para os nossos novos integrantes agora é se familiarizar com este novo ambiente. O sol já nasceu, então pessoal, voltem para as suas camas e vão dormir por favor. Nós podemos celebrar a chegada deles mais tarde, durante a noite!

As palavras dele desencadeou mais uma rodada de aplausos.

— Yu, por favor, informe o pessoal da cantina que hoje teremos três novos membros. Fale para eles não esquecerem de preparar a porção deles! — Irmã Li pediu com um sorriso radiante, e uma moça com rabo de cavalo correu de volta para a fábrica. O resto do pessoal também se foi depois de um tempo, incentivados pelo Jinfeng, o tempo todo sorrindo para a Sanji e os demais.

Aparentemente, as pessoas aqui no Oásis também descobriram que era arriscado fazer qualquer coisa durante o dia com o sol ainda no céu, e a melhor coisa a se fazer era se esconder e dormir durante o dia.

Em seguida, irmã Li falou para eles.

— Os dormitórios são muito quentes durante o dia, então nós separamos dois andares no subterrâneo e carregamos as camas para lá. Venham comigo que eu mostro para vocês.

— Onde nós devemos estacionar nossos veículos? — Obviamente, essa pergunta foi feita pela Sanji, que já tinha decidido que não se importaria em parecer a chata da história com as perguntas agressivas.

— Entre dentro do pátio da fábrica, lá você vai encontrar um espaço aberto que dá para estacionar, — Irmã Li respondeu calorosamente, ela não parecia descontente desta vez.

Os três concordaram. Eles dirigiram os veículos para dentro do pátio da fábrica e estacionaram em um dos cantos vazios. Sanji só percebeu quão grande era o complexo quanto ela entrou. As paredes que separavam quatro ou cinco fábricas foram demolidas, criando uma grande área aberta. Tinha mais de dez edifícios no Oásis. Cada um desses edifícios tinha dois andares subterrâneos e tinham sido convertidos em dormitórios para os membros. Painéis reflexivos cobriam o teto de cada um desses edifícios, e sob o sol perigoso, luz branca era refletida em todos os lugares. Então, enquanto eles andavam no lugar, eles mal conseguiam abrir os olhos.

Com os olhos semi-cerrados, Irmã Li olhou para eles e falou um pouco envergonhada.

— Nós já vamos chegar. Consegue ver aquele prédio com o número ’42’? Os outros prédios estão totalmente ocupados, aquele é o único com quartos sobrando.

— Se não tem ninguém morando nos andares aqui em cima, qual o propósito desses painéis reflexivos? — Curiosa, Sanji perguntou.

— Professora Bai está fazendo uma experiência sobre isolamento térmico. Ela espera baixar a temperatura lá dentro para uns 50°C. Se ela conseguir, nós poderemos morar aqui em cima e até mesmo cultivar plantas usando o sistema aeroponico… — enquanto ela explicava isso, ela exclamou, — No passado, 50°C soaria tão ameaçador! Mas graças aos medicamentos que a Professora Bai desenvolveu, todo mundo tem uma resistência ao calor muito maior.

— O quê? — Os três se viraram e olharam para a irmã Li quando eles ouviram isso.

Medicamentos? Do que ela está falando?

Sanji parou por um momento querendo fazer outra pergunta, mas eles já estavam em frente ao prédio 42, e a moça Yu Xiao, que usava um rabo de cavalo, estava parada na porta. Ela sorriu e acenou para eles entusiasmada:

— Irmã Li! Eu separei as camas para eles. Nós pegamos alguns lençóis novos e algumas roupas de cama no armazém. Por que você não vem verificar, Irmã Li?

— Não precisa. Eu confio em você, — A Irmã Li respondeu e se virou para os três. — Vocês podem ir com a Yu. Ela é a encarregada das acomodações neste prédio. Podem entrar primeiro, eu tenho algo para conversar com ela.

Os três concordaram sorrindo. Estava até parecendo que eles tinham entrado em um internato. Eles empurraram a porta e entraram no corredor.

Quando eles entraram no prédio, sentiram que a temperatura era muito mais baixa. A pele deles, que tinha sido torturada pelo calor extremo, finalmente conseguia respirar novamente. Mesmo que eles soubessem que não era 50°C, estava quase nessa temperatura. Comparado com o calor assassino do lado de fora, o sistema de isolamento que a Professora Bai tinha criado tinha um resultado surpreendente mesmo no estágio atual.

Sanji foi a última a entrar. Ela tinha acabado de passar quando a Yu abriu a porta completamente. Vendo a reação espantada deles, Yu sorriu rapidamente e gesticulou para que eles esperassem lá dentro. Sanji concordou e se virou para caminhar corredor adentro, mas então ela parou como se estivesse pensado em algo. Uma luz brilhou sobre a mão que ela tinha atrás de suas costas, e um walkie-talkie apareceu. Era um dos walkie-talkie que o Ratinho tinha dado para eles.

Ela não sabia porquê, mas ela estava curiosa para ouvir o que os membros do Oásis conversariam em particular quando não houvesse nenhum forasteiro perto deles. Quando Yu se virou para sair, Sanji furtivamente colocou o walkie-talkie no vão da porta antes de caminhar apressadamente para o saguão principal no primeiro andar. Não tinha ninguém mais no saguão principal, provavelmente por que todo mundo já tinha ido dormir, então só a Marcie e o Lutero perceberam o que ela tinha feito.

Já que eles tinham compartilhado algumas situações de vida ou morte com ela, nenhum deles disse nada, apesar deles estarem um pouco chocados. Eles ajustaram a expressão facial para parecer que tudo estava normal enquanto Sanji pegava o walkie-talkie pendurado na cintura da Marcie e o ligava secretamente.

Em meio à estática, eles podiam ouvir a voz da irmã Li:

— Mesmo que o executivo Chen tenha aparecido… Quem avistou eles primeiro foi eu… Eu mesma trouxe eles para perto… — O walkie-talkie não era uma escuta no final das contas, e além do mais, o som vinha por detrás da porta, então a qualidade era realmente ruim.

Justo quando os três estavam para pregar o ouvido no alto-falante, eles ouviram claramente:

— Esses três devem contar como meus, não importa o que digam, certo?

Os três ficaram chocados. Eles se entreolharam e se reuniram em torno do walkie-talkie novamente. Yu parecia evitar uma resposta direta enquanto falava:

— Normalmente, eles contariam como seus… mas como o Executivo Chen participou…. por que você não pergunta…

— Procurar ele… ele é um Executivo… — A Irmã Li reclamou, mas rapidamente riu e disse para a Yu. — Não fale nada para os outros. Você sabe que eu…

Yu parecia ter concordado.

— Rápido! Guarde! — Lutero que estava vigiando os arredores, falou. — A conversa delas está terminando.

Sanji desligou o walkie-talkie e Marcie pendurou ele na cintura novamente. Os três rapidamente se separaram. Ao mesmo tempo, Yu já tinha se despedido da irmã Li e aberto a porta. Sanji olhou cautelosamente na direção do local onde ela havia escondido o walkie-talkie. Infelizmente, já não dava mais para pegar ele de volta, por que a Yu já tinha falado com eles.

— Venham comigo. Vocês podem olhar os dormitórios. Nós gastamos um tempão para tentar deixar eles confortáveis!

Sanji não tinha escolha senão procurar outra oportunidade para recuperar o walkie-talkie. Ela andou devagar, de forma que se tornou a última do grupo. Com uma luz branca, uma carta voou para cima do walkie-talkie e um pano preto cobriu ele.

Felizmente, Yu não tinha visto nada. Ela era uma garota de rosto redondo, não muito alta, e a primeira impressão que ela passava era que era uma pessoa amigável e direta. Mas depois de conversar com ela, eles conseguiam perceber uma atitude subserviente resultante do fato dela ter entrado para a sociedade ainda muito nova. Entretanto, essa atitude estava escondida atrás de um sorriso e não era irritante. Yu levou eles para o subsolo e sorriu um pouco, se desculpando:

— O nível mais baixo é mais frio, por isso ele está totalmente ocupado. Então vocês vão ter que dormir aqui.

Depois de falar isso, ela abriu a porta de metal na frente deles. Já não dava mais para saber para o que e subsolo era usado no passado. A grande área estava cheia de vários pequenos cubículos divididos com compensado branco. Cada um dos cubículos tinha uma entrada retangular e cortinas com várias estampas estavam penduradas no lugar das portas.

Os quartos dividiam o espaço em algumas grandes áreas, e os corredores eram todos muito estreitos. Embora houvesse luzes fluorescentes no porão, a eletricidade estava desligada, então os corredores estavam extremamente escuros. O barulho baixo de ronco vinha de alguns dos quartos e a presença de outros seres humanos criava uma atmosfera estranha que dava sono.

— Vamos. Senhorita Lin, você pode ficar aqui.

Ela abriu a porta e caminhou cerca de sete a oito minutos. Yu finalmente parou em um cubículo e abriu a cortina. Sanji ergueu os olhos e viu o número do cubículo dela: 1629. Ela olhou dentro. A cama de metal não era grande, e tinha apenas um colchão fino. Havia um lençol que provavelmente servia como um cobertor e um travesseiro baixo. Se isso fosse antes do Apocalipse, poderia ser considerado pior que uma favela, mas para a Sanji, realmente não era nada mal, já que ela tinha dormindo no chão por quase um mês.

Os cubículos do Lutero e da Marcie ficavam muito longe do dela. Um deles era o 1734, e o outro era o 1736. Tinha cerca de cem cubículos entre eles. Yu explicou que isso era devido a crescente população do Oásis, então os quartos estavam acabando.

— Quando o experimento de isolamento de calor da Professora Bai der certo, nós poderemos mudar lá para cima. Eu vou pessoalmente organizar para que os três fiquem juntos, — ela disse sorrindo.

— Pode ir na frente, eu vou me ajeitar aqui, — Sanji disse para a Yu, já que ela queria recuperar o walkie-talkie o mais rápido possível e essa era uma boa oportunidade.

Yu concordou e lhe deu alguns conselhos antes de ir embora com Lutero e Marcie. Eles mal tinham saído quando Sanji imediatamente correu para o saguão principal no primeiro andar. Ela abriu a porta e olhou ao redor. Assim como antes, não tinha ninguém por perto. Ela correu para a porta na entrada. Inesperadamente, ela não encontrou nenhum vestígio do walkie-talkie.

Ela ficou assustada.

— Huh?

Ela exclamou baixinho enquanto olhava ao redor. Foi então, que ela sentiu um toque em seu ombro.

— O que você está procurando?

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.
FONTE
Cores: