PA – Capítulo 21 – 3Lobos

PA – Capítulo 21

Bem-vinda de volta

 

A terceira habilidade que ela desenvolveu na noite anterior não podia ter vindo em melhor hora.

No escuro, Sanji conseguiu rapidamente desviar da faca de cozinha que foi arremessada contra ela da sala dos funcionários. Ela agradeceu aos céus silenciosamente. Sem sua habilidade de Aprimoramento Físico Completo, ela não teria conseguido desviar da fedorenta faca de cozinha que Sisi jogou contra ela de repente, e muito menos dos ataques do astuto e rápido cipó verde.

A faca caiu não muito longe dela com um barulho alto. Assim que Sisi errou o ataque, Sanji já tinha pulado rapidamente para trás e convenientemente fechado a porta com uma batida, bloqueando qualquer outro ataque. Só então ela ouviu uma série de barulhos de algo sendo arrastado do outro lado. Depois disso, ela ouviu as vozes abafadas de Lutero e Marcie.

Mesmo através de duas portas, a preocupação na voz da Marcie era perceptível:
— Ji, você está bem? Tente sair rapidamente, nós não temos as chaves da porta!

— Eu estou bem! Eu já saí da sala! — Sanji respondeu em voz alta. — Esse pequeno cadáver dissecado tirou a faca da sua boca e acabou de jogar ela contra mim, mas eu não me machuquei!

Sisi sibilou com raiva enquanto Sanji sentiu de repente a porta que ela estava segurando vibrar. Parecia que ela tinha sido acertada violentamente por algo — provavelmente a boca da Sisi. Sanji deu alguns passos apressados para longe da porta e rapidamente a trancou novamente com a chave. Depois de ouvir o grito frustrado da Sisi, Sanji tirou o isqueiro do bolso e o acendeu.

Desde que seu corpo tinha sido aprimorado, a visão noturna dela tinha melhorado significativamente: mesmo sem luz, ela podia ver com uma clareza de 60% a 70% no escuro, então ela não precisava olhar cegamente para uma fonte de luz como uma mariposa. Entretanto, essa também era a razão pela qual ela não examinou os arredores cuidadosamente. Ela estava completamente focada em retornar ao supermercado e correu diretamente quando ela viu a porta, e foi assim que ela deu de cara com o rosto deformado da Sisi alguns momentos atrás.

Como ela não conseguiria retornar imediatamente, ela decidiu usar a luz do isqueiro para explorar a área. Quando ela olhou ao redor, Sanji prendeu a respiração involuntariamente. A dez passos de distância dela, ela viu fileiras de prateleiras de mercadorias que tinha a altura de pelo menos duas pessoas. Só de olhar, era aparente que as prateleiras eram diferentes daquelas no supermercado. Elas quase encostavam no teto, e cada nível nas prateleiras estava cheio de caixas devidamente embaladas. Ela sabia que a maioria das caixas eram comida ou bebida.

Ela suprimiu sua empolgação e correu para a frente das prateleiras, não conseguindo evitar de encostar suavemente nas caixas de água mineral com a sua mão. Na noite passada, depois que sua habilidade foi descoberta, os três começaram do zero e contaram a quantidade de comida e água que eles tinham. E eles tiveram que admitir que o que tinha restado eram só as sobras depois da pilhagem. Apesar de ter uma quantidade significativa de coisas, eles já tinham consumido algumas coisas, de modo que haviam suprimentos suficientes para apenas mais duas semanas.

— Eu estava pensando do porquê que a gente não tinha encontrado o estoque… — Sanji riu até começar a cair lágrimas de seus olhos. Falando sozinha, ela xingou baixinho, — Então era aqui que você estava se escondendo, e ainda por cima com um cadáver dissecado vigiando a porta!

Quando ela voltasse, teria que pensar em alguma maneira de armazenar todas essas coisas que estavam no estoque.

As garrafas de “Fonte de Vida” envoltas na dura caixa rosa brilhavam sob a luz das chamas. Ao ver a prateleira cheia de água mineral, Sanji abriu uma das caixas e pegou uma garrafa de água, já que estava com sede.

Neste momento, ela ouviu mais uma vez a voz de Marcie e Lutero do outro lado da sala dos funcionários:
— Ji, o que você está fazendo aí? Você consegue pensar em alguma maneira de voltar?

— Eu estou bem! Eu encontrei o estoque do supermercado… — Sanji respondeu. Depois de decidir descansar por um momento para recuperar suas forças, ela se sentou do lado de fora da sala dos funcionários. Sua voz estava confiante e determinada quando ela falou, — Eu vou encontrar uma maneira de voltar, não se preocupe.

Ela ouviu algumas outras palavras abafadas vindas do outro lado, como se os outros dois estivessem tentando dar a elas instruções, mas depois de um tempo ela não ouviu mais nenhum barulho. Sanji apagou o isqueiro e o armazém voltou a sua escuridão silenciosa de antes.

Nesse momento, a Sisi deve estar pensando em alguma estratégia do outro lado da porta, certo? Sanji pensou enquanto bebia um gole d’água, aproveitando a bebida fresca passando por sua garganta.

Ela realmente não poderia subestimar aquele pequeno cadáver. Ela tinha feito muito barulho e se movido muito enquanto pegava as chaves para abrir a porta, mas Sisi propositalmente ficou bem quieta, então, Sanji realmente não tinha ideia que o que ela estava abrindo era a porta para a sala dos funcionários. Se ela não tivesse sentido o fedor de algo podre que saiu quando ela abriu a porta, ela não estaria alerta o suficiente para desviar do ataque da Sisi.

Agora, os dois caminhos de volta para o supermercado estavam bloqueados, semelhante a quando o caminho deles foi bloqueado pela Land Rover quebrada. No salão principal do shopping, havia uma floresta estranha e imprevisível. Se ela decidisse ir pela sala dos funcionários, ela teria que passar pela Sisi.

De qualquer forma, ela teria que escolher dos males o menor. Depois de esperar por uma quantidade desconhecida de tempo, Sanji finalmente tomou sua decisão. Ela se levantou silenciosamente no escuro e colocou o isqueiro, a garrafa de água, e outras coisas aleatórias de lado. Ela girou as mãos e suspirou suavemente. Era hora de testar quão forte era a sua habilidade Aprimoramento Físico Completo.

Ela colocou a chave na fechadura lentamente e girou para a esquerda uma vez. A fechadura de metal fez um pequeno barulho. No silêncio absoluto, esse pequeno barulho era tão alto que chegava a assustar. Era impossível que Sisi não tivesse escutado, e quase imediatamente para provar que ela estava certa, vários sons “gugu” podiam ser ouvidos. Sanji podia sentir algo se aproximando.

Ela não falou nem uma palavra sequer, mas silenciosamente girou a maçaneta da porta. A porta lentamente abriu até que o espaço fosse suficiente para uma pessoa passar.

A densa escuridão continuou silenciosa, e parecia que até mesmo o ar tinha parado de circular. Quase abruptamente, um vulto negro disparou da abertura na porta. Ele mirou na área bem atrás da maçaneta da porta. O ataque foi muito rápido, e mesmo com seu corpo aprimorado, Sanji definitivamente não teria sido capaz de desviar dele…

Entretanto, o ataque que supostamente não tinha chance de errar não acertou o seu alvo.

— Huh? — Sisi fez um som humano depois de algum tempo. Ela balançou a sua boca na área ao redor da porta e percebeu que Sanji de repente tinha desaparecido e não estava mais visível.

Hesitando por um momento, Sisi caminhou dois passos em direção à porta cautelosamente. Uma voz doce saiu da boca:

— Mana, onde você está? Sisi não quer brigar com você. A Sisi só quer ir embora, okay?

Ninguém respondeu ela. Do lado de fora da porta meio aberta, ainda era a mesma escuridão silenciosa. Ela não conseguia ver a Sanji ou ouvir qualquer movimento. Era como se nunca tivesse existido uma pessoa ali.

Uma mão tão ressecada que nem parecia mais com a mão de um humano apareceu perto da porta, como se fosse empurrar ela. A mão parou e recuou. Depois de um tempo, uma coisa de aparência horripilante saiu silenciosamente da sala. Essa coisa era Sisi. Depois de não terem visto ela por alguns dias, ela estava completamente enrugada, parecida com o segurança do residencial. Sua pele agora estava caída em camadas uma sobre a outra. Por causa do chute do Lutero, tinha uma grande marca no peito dela, desta forma, até mesmo esse último vestígio de humanidade foi perdido. A abertura não era grande, mas era o suficiente para Sisi.

— Mana! Mana! Eu saí. Não fique com medo, tá? Sisi só quer ir para casa para procurar a mamãe… — Seus dois globos oculares brancos giraram em volta procurando no armazém, mas não conseguiram encontrar Sanji. Ela girou sua boca nervosamente. Ela conseguia sentir o cheiro do sangue de um humano vivo, mas ela não conseguia dizer de onde estava vindo. Isso deixou Sisi, que não tinha comido por dias, apressada e nervosa. A voz infantil que saia da boca dela estava cheia de um tom choroso, — Mana, se você não aparecer, eu vou considerar que você concorda. Sisi está saindo, ela vai para casa…

A voz da menina reverberou na escuridão. Ela atacou com sua boca em direção a parte de trás da porta — o único lugar onde uma pessoa poderia se esconder!

Sua boca que cintilava com uma luz metálica perfurou o vento.

— Você vai sugar sua mãe até ela secar? — uma voz simples e zombeteira veio de cima dela.

Sisi ficou em choque. Ela imediatamente olhou para cima. Antes que ela pudesse puxar a boca de trás da porta, um vulto negro caiu em cima dela. Em seguida, a porta prensou a boca dela. Antes que Wang Sisi pudesse gritar, houve um súbito brilho de luz acima da cabeça dela, e antes que ela percebesse, a faca do chef tinha penetrado seu crânio. Em um instante, o corpo de Sisi, juntamente com a boca, caiu no chão com um “pa” já que tinha perdido toda a sua força.

Ao ver que o cadáver estava imóvel, Sanji suspirou aliviada. Ela estava agachada no topo da borda da porta, e continuou quieta antes de escolher uma oportunidade para pular dali. Esta foi uma façanha extremamente difícil — ela nunca imaginou que seria capaz de executar uma sequência de ação semelhante a um ninja antes do Novo Mundo chegar.

Ela tapou o nariz enquanto caminhava cuidadosamente, passando pelo cadáver, e foi abrir a outra porta na sala dos funcionários.

Quando a porta se abriu, a luz prateada que parecia com a luz do luar emanada pelo agente de aprimoramento de habilidade, brilhou em todo o corpo da Sanji. As prateleiras, usadas para bloquear a porta do outro lado, já tinham sido removidas pelos dois do lado de fora. Lutero estava de pé, e Marcie estava sentada enquanto esperavam silenciosamente até ela voltar.

— Bem-vinda de volta. — Lutero cumprimentou alegremente, inclinando-se contra a parede, enquanto segurava o agente aprimorador de habilidade em uma mão.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.
FONTE
Cores: