PA – Capítulo 17 – 3Lobos

PA – Capítulo 17

A Perseguição

 

 

Suas lembranças eram como um caldo turvo, como se alguém tivesse adicionado água fervente e feito sopa com elas. Ela só conseguia se lembrar de estar dormindo em sua cama enquanto a temperatura aumentava a cada momento. E ela ficava cada vez com mais sede… De repente, se sentiu gentilmente preocupada com o homem ao seu lado. Ela segurou na mão dele e sussurrou:

— Estou com sede…

— Foi nesse momento que você inconscientemente ativou sua habilidade, inadvertidamente absorvendo seu marido durante aquele momento de confusão. Quando você despertou, obviamente, apenas o pijama dele tinha sido deixado para trás… — A voz fria da Sanji reverberou no quarto escuro em direção à mulher que agora estava sentada no chão. Sanji estava apreensiva e com medo da habilidade da mulher.

Quão poderosa é a habilidade dela? Naquele curto período de torpor, ela realmente conseguiu absorver inteiramente uma pessoa adulta? Ela não deixou nem um fio de cabelo sequer!

Yun olhava para cima desnorteada, com uma expressão estranha, e parecia que estava prestes a chorar ou a rir. A expressão dela se tornou malévola enquanto ela pronunciava um “Ha!”, mas as suas lágrimas escorreram de qualquer jeito.

— Bobagem! O que você sabe? Você só disse isso porque você não quer que eu te absorva! É por isso que você está falando besteiras!

— Tem certeza? Então, deixa eu te fazer uma pergunta. Quando você acordou, você ainda estava com sede? — Sanji desafiou suavemente.

Esta frase foi a última gota d’água antes do copo transbordar. Ela devastou Yun completamente. De repente, Yun soltou um grito estridente. Os outros ficaram tão assustados que não puderam evitar se afastar dela. Depois disso, ela enterrou o rosto em seus braços e se enrolou no chão. Ela balançava o corpo gentilmente como se estivesse se confortando, enquanto começou a chorar alto.

— Eu… eu não sei! — Yun gritava e chorava ao mesmo tempo. Seu rosto estava coberto de lágrimas, e suas palavras estavam abafadas e difíceis de entender. — Todo mundo falou que eu era boa demais para ele. Mas na verdade, ele que era bom demais para mim… muito mais do que eu merecia! Ele era uma pessoa tão gentil… uma pessoa tão… — Seus gritos soavam como um pedaço de pano sendo rasgado, cheios de profunda ira e dor, tanto que não se podia deixar de sentir medo e desconforto quando o ouviram.

— Por que você está esperando aí?

De repente, Sanji sentiu o seu braço sendo puxado. Ela virou a cabeça para descobrir que era Marcie, que sussurrou:

— Vamos aproveitar esta chance para fugir! Você quer esperar até que ela recupere sua compostura e te absorva?

Só então Sanji voltou a si. No final das contas, Lutero, que estava com o rosto tenso, já tinha se esgueirado para fora da sala de estar, passo a passo. Quando viu que as duas ainda estavam de pé no mesmo lugar, ele ficou realmente bravo com elas, apressou-se e moveu a boca para dizer silenciosamente:

— Vocês duas são idiotas?

As duas apressaram seus passos e passaram por Yun. Essa última parecia ter esquecido onde estava e enquanto lamentava as coisas ao seu redor, seus dez dedos cavavam profundamente no sofá. Ela cavou vários buracos profundos no material macio do sofá e estava absolutamente ignorando os movimentos das pessoas perto dela.

Assim, sob o som de seus gritos angustiados, eles escaparam silenciosamente e desceram as escadas. Depois dessa situação tensa a ponto de causar uma parada cardíaca, a viagem de volta ao supermercado foi o contrário, sem nada fora do comum. Eles correram todo o caminho de volta até a rua em frente ao shopping, e então se moveram rapidamente pela fila de carros, andando a passos largos.

O barulho dos passos acordou as pessoas morrendo em seus carros. Enquanto o grupo passava pelos carros, algumas pessoas conseguiram se sentar, batendo inutilmente nas janelas em desespero. Embora estivessem vivos, suas expressões não eram diferentes das dos mortos, sem uma única centelha de vida.

Sanji olhou para eles com pena. Dentre os dez pares de braços dentro dos carros, ela se perguntou quantos conseguiriam sobreviver até que evoluíssem…

— Esperem! — Lutero, que os liderava de repente parou. Ele se virou para instruir Marcie:

— Mantenha a vigia na estrada, certifique-se de que Yun não está nos seguindo. Ji, me dê a sua faca.

Com um brilho branco, Sanji entregou para ele a Faca do Chefe e perguntou intrigada:

— O que há de errado?

Lutero inclinou a cabeça para o Volkswagen Bora branco, e seu rosto endureceu:

— Olhe ali, aquela pessoa vai se transformar em um degenerado em breve.

Seguindo a direção que ele tinha apontado, Sanji sentiu uma onda de arrepios em seu corpo. Um rosto de pele morena escuro estava pressionando fortemente contra o pára-brisas do Volkswagen Bora, e era impossível dizer o seu gênero. A maior parte da sua umidade já tinha evaporado, deixando apenas uma camada de pele enrugada que tinha empilhado nos dois lados das bochechas. Sua área da sua boca estava crescendo como se um espinho fosse estourar de sua pele a qualquer momento. Uma de suas pálpebras já havia caído, e a outra pálpebra balançava enquanto estava pendurada precariamente sobre um dos seus globos oculares.

O par de globos oculares brancos estava olhando fixamente para os três.

Segurando a respiração, Lutero caminhou cautelosamente para o lado do carro. Os olhos dentro do carro também giraram e olharam em direção a ele.

“Bamm!” com um barulho alto, a janela do carro do lado do motorista foi quebrada. Em seguida, antes mesmo que a pessoa dentro do carro pudesse reagir, Lutero atacou e enfiou a faca no cérebro daquele meio-homem meio-degenerado. O processo foi tão rápido quanto um relâmpago, e antes que Sanji tivesse tempo de responder, ela ouviu um som áspero e gutural e o corpo dentro do carro escorregou de volta para o banco.

Depois de limpar a faca casualmente na camisa do cadáver, Lutero devolveu a faca para Sanji. Ao ver ela franzindo o rosto, Lutero só pôde suspirar.

— Eu sei que é desconfortável para você, mas não podemos simplesmente deixar ele daquela maneira, certo?

Sanji assentiu com a cabeça e pegou a faca.

Embora aquela pessoa ainda tivesse o semblante de um humano, era óbvio que ela não podia ser salva. Aparentemente, era melhor tentar se acostumar com tal cena no futuro. Enquanto Sanji continuava novamente com seus passos largos, ela tentou engolir as ondas de desgosto que sentiu — afinal de contas, era bastante diferente de matar em legítima defesa.

Eles não sabiam se Yun ainda estava tomada pelo sofrimento, mas parecia que ela não seguiu eles. Os três correram para o supermercado, chocados, mas ilesos, e rapidamente fecharam as persianas de metal. Só depois de trancar as persianas pelo lado de dentro, foi que Sanji deslizou para o chão, apoiada na persiana e respirando profundamente.

Marcie pegou algumas garrafas d’água e entregou uma garrafa a cada um deles. Ela pegou o Agente Aprimorador de Habilidade que tinha conseguido recuperar anteriormente e colocou-o em uma das prateleiras ao lado deles, usando ele para iluminação. Quem teria adivinhado? Era muito mais forte que as velas. Um dos canto do supermercado estava iluminado como se lá houvesse uma luz fluorescente.

Depois de descansar por alguns minutos, Sanji não conseguia parar de pensar no pedaço de papel.

— Então, o item que encontramos agora… Ao dizer isso, ela pegou o pedaço de papel. De repente, as duas pessoas restantes também se concentraram e olharam para o pedaço de papel.

As letras no papel podiam ser claramente vistas sob a luz prateada. Como o que ela viu era muito surpreendente, Sanji inadvertidamente esmagou os cantos do papel sob seus dedos.

 

【VISTO】

Local de emissão: Cidade da Morte Negra

Destino válido: Inferno Hipertermal

Válido a partir de: Seis meses antes da chegada do Inferno Hipertermal

Este visto foi emitido pelo agente consular da Cidade da Morte Negra.

 

Apesar de já ter visto o pedaço de papel antes, Sanji ainda estava estupefata. Ela passou o visto para Lutero e Marcie. Ambos também estavam completamente perplexos.

— Eu não entendo… Quando chegamos aqui, nós não tínhamos nenhum visto, mas nós entramos neste lugar mesmo assim? — Lutero murmurou várias vezes repetidamente. Ele virou o visto várias vezes, examinando-o.

— Se pensarmos cuidadosamente, sua situação era diferente da dele. — Sanji fez uma pausa, aparentemente pensando.

— Você teve que aguardar um período total de catorze meses antes de poder entrar em outra dimensão alterada, mas quando o Ren veio aqui para o meu mundo, ainda era normal. A mutação nem tinha começado…

Aparentemente, um visto não só pode atribuir a um destino, mas também pode permitir que uma pessoa viaje para uma dimensão antes dela mudar?

Marcie apontou para a linha “Viagem Concluída” na parte de trás do visto. Ela explicou suavemente:

— Ren definitivamente veio para cá com este visto.

— Você dois nunca ouviram nada parecido com esse visto? — Sanji continuou perguntando implacavelmente, mesmo que parecesse sem esperanças.

Ambos balançaram a cabeça como esperado. Lutero colocou o visto no chão, olhando-o e dizendo amargamente:

— Se nós soubéssemos que isso existia, não teríamos que acordar com uma bomba como da ultima vez.

Isso faz sentido. — Sanji abaixou a cabeça, seu coração estava cheio de um sentimento incompreensível.

— Se primeiro ignorarmos como esse homem com o sobrenome Nan obteve o visto, imagine as vantagens de entrar numa dimensão seis meses antes dela mudar! — Lutero estalou com sua língua, falando com Sanji: — Você pode começar a fazer todos os tipos de preparações enquanto ainda é pacífico. Seja suprimentos, ou treinamento corporal… Suas chances de sobrevivência serão muito maiores do que os habitantes originais daquele mundo.

Isso é verdade.

— Mas eu acho que esse tipo de visto é muito mais útil para o Ren… Não importa o quão bem nos preparemos, não podemos garantir que tudo irá funcionar. No entanto, com a habilidade dele, ele poderia ganhar muito mais valor potencial de crescimento nos seis meses. — Enquanto ela pensava nos perturbadores últimos seis meses, um sorriso frio de auto repúdio apareceu em seu rosto.

Lutero suspirou e acariciou o ombro de Sanji para demonstrar seu suporte de uma forma mais madura.

— Eu me pergunto como ele conseguiu o visto. Mesmo se quisermos descobrir, não há ninguém a quem possamos perguntar. — Marcie ainda estava mexendo com o papel obstinadamente.

— Ele não tinha muitos itens, então eu não acho que ele tenha passado por muitos mundos… — Os olhos de Lutero de repente iluminaram, e ele disse, sorrindo: — Se pudermos encontrar o oficial consular do Inferno Hipertermal, talvez possamos sobreviver juntos, e não nos separaremos quando formos transportados para outro mundo.

Lutando através de um infinito número de mundos apocalípticos, todo mundo passa como uma folha na corrente de um rio. Este é realmente um assunto preocupante. Era bastante raro conhecer alguém com quem se podia compartilhar um bom relacionamento, então se eles pudessem se tornar companheiros, não tinha como ficar melhor!

O problema era que tinham que encontrar o oficial consular. Todos os três pensavam da mesma forma. Sanji estava prestes a falar quando ouviram uma batida nem fraca nem forte na porta.

— Vocês devem estar aí dentro, certo? Por que não abrem a porta? — Yun ainda tinha aquela voz nasalmente rouca como alguém que gritou por muito tempo, mas seu tom estava muito mais calmo.

Berjkley
Analista de Sistemas, Game Developer, Mestre de RPG. Gosta de Doctor Who, Não gosta de Vampiros Purpurinados.
FONTE
Cores: