LAB – Capítulo 9 – 3Lobos

LAB – Capítulo 9

Meses dos Demônios (Parte 2)

— Não muitos, Vossa Alteza — respondeu o caçador —, durante todos os Meses dos Demônios só aparecerão de duas a três espécies de bestas demoníacas, caso contrário, Forte Cancioneiro teria grandes problemas.

— Bem, você parece ser muito observador — Roland ordenou ao homem que se levantasse e perguntou —, qual é o seu nome? Você não parece um homem do meu Reino de Castelo Cinza.

— Metade da minha linhagem é do Clã Mojin, os habitantes da vila me chamam de Machado de Ferro.

O Clã Mojin é um povo da Nação da Areia, localizado a sudoeste do deserto no Extremo Sul. É dito que eles eram descendentes de gigantes. Roland procurou dentro de seu cérebro qualquer lembrança relacionada ao Clã Mojin e percebeu que Machado de Ferro não usava o nome de seu clã, mas sim o nome dado pelo povo de Vila Fronteiriça. Aparentemente ele não queria ter nenhuma relação com a Nação da Areia. Quanto ao porquê, como era óbvio que ele era da fronteira sudoeste das terras desoladas, ele deduziu que deveria haver uma série de histórias tristes envolvidas.

Mas, no momento, aquelas histórias não eram importantes. Todos eram bem-vindos em Vila Fronteiriça, independentemente do seu passado.

Roland bateu palmas:

— Não foi por isso que eu pedi que você estivesse aqui, Carter, conceda a cada um deles dez peças de prata e então eles podem ir embora.

— Muito obrigado pela recompensa, Vossa Alteza — disseram os três em uníssono.

Logo depois, eles foram levados por Carter. Assim que terminou sua tarefa, Carter voltou mais uma vez e perguntou:

—Alteza, por que você fez essas perguntas? Você quer ficar aqui?

Roland não expressou qualquer opinião e em vez disso perguntou:

— O que você acha?

— Este assunto está fora de questão, Vossa Alteza! — Disse o cavaleiro em voz alta — De acordo com a declaração do caçador, mesmo um urso demônio selvagem seria difícil de lidar. Um tiro de besta não teria efeito a mais de cinquenta metros. Teríamos que esperar até que ele chegasse próxima a trinta e cinco ou mesmo até trinta metros antes de atirar. Apenas os nossos soldados de elite podem fazer isso. Além disso, os demônios são muito numerosos, e não podemos confiar em paredes fortes, apenas em pé, lado a lado com os guardas locais para detê-los. Receio que as baixas ultrapassem as conquistas, a nossa derrota seria certa.

— Você já viu o que uma bruxa é capaz de fazer, então por que você não consegue pensar positivamente? — Roland suspirou.

— Isso …. as bruxas são más, mas Anna … a senhorita Anna não parece tão má assim, como seu Cavaleiro Comandante, eu tenho que buscar verdades procurando por fatos.

— Se eu construísse uma muralha ao redor da vila, você acha que será possível?

— O que? —Por um momento Carter suspeitou que tinha ouvido mal.

— Se eu construir uma muralha entre a encosta norte da montanha e o Rio Vermelho — Roland acentuou cada palavra que disse —, embora não fossem tão altas quanto as muralhas de Castelo Cinza, acredito que ela ainda seria capaz de deter os animais.

— Senhor, você sabe o que está dizendo? — O cavaleiro não sabia se ficava com raiva ou se ria do que acabara de ouvir — Mesmo suas bobagens devem ter um limite, se você não parar, você terá que me desculpar por ser desagradável.

— Ainda temos três meses, não é? Olhei para os registros passados, a primeira neve geralmente cai aqui no final do segundo mês a partir de agora.

— Mesmo se tivéssemos três anos, não seria suficiente! Construir um muro exige muitos trabalhadores. Para estabelecer a base eles precisam comprimir a terra e cada 1,5 ou 3 metros teria que ser reforçada. Caso contrário, teria um alto risco de colapso. Esse seria o mais simples das muralhas de terra. — Carter balançou a cabeça repetidas vezes — Paredes de tijolo e pedra são ainda mais difíceis de construir e precisaria de centenas de pedreiros que, primeiro teriam de cortar as pedras ou cozer a argila em tijolos, e depois eles teriam que construir bloco a bloco. Vossa Alteza, todos os muros foram construídos desta maneira, sem exceção. Uma vila sendo construída no tempo de um dia e uma noite, isso é apenas material para contos.

Roland indicou ter ouvido o suficiente:

— Entendo. Você não precisa ficar tão chateado, se não houver nenhuma muralha confiável no lugar, eu vou sair da vila com você para o Forte Cancioneiro. Eu não vou jogar minha vida fora neste lugar.

O cavaleiro ajoelhou-se:

— E eu vou te proteger!

Depois, nos belos jardins do castelo, Roland bebericou sua cerveja amarga. Olhando para Anna que estava comendo vorazmente bolos de creme, seu humor ficou muito melhor.

Tinha decidido parar as bestas demoníacas em Vila Fronteiriça. Juntando os soldados de elite com os guardas da vila, também intensificaria a agricultura expandindo a área que os guardas patrulhavam. Se ele quisesse construir a muralha, conectando a inclinação norte da montanha e o Rio Vermelho dentro de três meses, ele precisa usar uma tecnologia apropriada dos tempos modernos.

Roland não pensou isso repentinamente. Ele tinha verificado anteriormente os limites de Vila Fronteiriça, mesmo que não pudesse ir pessoalmente. Em sua memória permanecia um quadro claro: a encosta norte da montanha e o Rio Vermelho são separados por aproximadamente 550 metros em seu ponto mais próximo. Era como um gargalo natural. E devido à mineração durante todo o ano na mina da encosta norte, ela fora cercada por cascalho de rocha extraído da caverna.

Estes resíduos de cascalho eram cinzas escuras, contendo uma abundante quantidade de carbonatos de cálcio, que poderiam ser usados como calcário após serem triturados. Com o calcário ele tinha a solução perfeita, pois serial tal qual o cimento.

Sim, isso mudaria a história da humanidade. Por ser capaz de utilizar em construções um material com capacidade de dar pega e endurecer na presença de água, com matérias-primas de fácil obtenção e que é relativamente fácil de se preparar, com toda certeza esse método estaria em primeiro lugar entre todas as formas mais eficientes de pavimentar a estrada para o futuro.

Roland estimou o tempo necessário, e mesmo que ele implementasse novas tecnologias, mesmo com cimento ele não tinha certeza se era possível. A quantidade de cimento que eles precisariam era muito grande, e ele não tinha certeza se eles poderiam calcinar tanto cimento em três meses. E a dureza do concreto seria inferior, no final teriam de reforçá-lo com aço. Assim, a probabilidade de ter sucesso na construção de uma muralha de concreto na vila não era tão grande.

Eles tinham que maximizar o uso dos materiais existentes e economizar cimento, de modo que a construção de uma muralha com pedras não trabalhadas seria a escolha mais adequada.

A pedra não trabalhada é a pedra que não sofreu qualquer lima ou talho, pois era apenas um subproduto natural da mineração. Por conta da forma irregular das bordas e cantos dessa pedra, não havia nenhuma maneira de usá-la diretamente na construção, em vez disso, primeiro precisa ser talhada pelo pedreiro em tijolos utilizáveis. Mas a construção de uma muralha de pedra não trabalhada é possível com o uso de cimento como aglomerante, independentemente de quão estranhamente a pedra, ela poderia ser usada. O buraco entre as pedras seria preenchido pelo cimento, poupando cimento e usando materiais da sobra.

Com isso a direção principal foi definida, mas quanto a implementação real, ele estava com receio de que teria que fazê-lo por si mesmo, pensou Roland. Independentemente de ser o cimento calcinado ou muralha de pedra, ambos eram coisas novas. Exceto por si mesmo, ninguém tinha visto essas coisas e também ninguém sabia como fazê-las. Ele estava com medo de estar muito ocupado nos próximos três meses.

— Ei, veja só.

O som claro da voz de Anna veio por de trás dele.

Quando Roland se virou, viu um pequeno aglomerado de chamas em sua palma queimando em silêncio. Não havia vento, mas a ponta da chama estava subindo e descendo, como se acenasse para ela. Ela mexeu o dedo, e o fogo era como uma criança, movendo-se lentamente em direção à ponta do dedo. No final, o fogo estava no topo do dedo indicador, queimando lentamente.

— Você conseguiu!

Era uma cena incrível. Roland sentiu admiração do fundo do coração. Isso não era mágica de ilusão, nem um truque químico, mas realmente um poder sobrenatural. Contudo, esta não era a coisa mais atraente para Roland. Muitas vezes mais deslumbrante que a chama, era o olhar de Anna.

Enquanto ela olhava atentamente para a ponta dos dedos, os olhos límpidos como a água do lago refletiam a chama vibrante, como se um elfo estivesse selado dentro de uma safira. Os vestígios deixados pela tortura no calabouço já haviam desaparecido, embora ela raramente sorria. Mas seu rosto não estava mais sem vida. Na ponta do nariz da jovem senhorita estava uma gota de suor. A cor rosada de suas bochechas em sua pele branca emitia vitalidade. Até mesmo olhar para ela deixaria qualquer pessoa de bom humor.

— O que aconteceu com você?

— Ah … Nada. — Roland percebeu que ele olhou para ela por muito tempo, ele virou o rosto e tossiu. — Bem, então, tente usá-lo para derreter o ferro.

Nos últimos dias, exceto para comer e dormir, ela sempre repetia sua prática na frente do trabalhador incansável que Ronald se tornara, ainda que sempre estivesse corado de vergonha. Mesmo quando prestou vestibular ele nunca se esforçou tanto.

Aparentemente, ela não vai precisar de muito tempo até que apreenda a dominar completamente este poder — pensou Roland. Em seguida, suas ideias sobre novos projetos poderiam, enfim, ser incluídas na agenda.


 

 


Para informações sobre concreto assista.

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: