LAB – Capítulo 89 – 3Lobos

LAB – Capítulo 89

Celebração da vitória (Parte 1)

O inverno deste ano foi completamente diferente do ano anterior. Nos anos anteriores, quando os Meses dos Demônios terminavam, os residentes de Vila Fronteiriça precisavam ficar por mais um mês dentro das favelas de Forte Cancioneiro. Eles esperavam até a neve ter derretido completamente, para só então voltar para casa.

De volta à vila, eles sempre testemunhavam o mais completo caos. Após alguns meses sem tomar conta de suas casas, muitos voltavam e encontravam suas antigas casas em ruínas. Algumas das cabanas menos resistentes haviam sido dominadas pela neve pesada e algumas das casas das pessoas da vila tinham sido usadas pelas bestas demoníacas como esconderijo.

Tudo estaria quebrado e desordenado. Por exemplo, os armários e as mesas estariam cheios de mordidas e os restos de suas refeições ainda espalhados por toda o ambiente. Obviamente, essas casas haviam sido usadas como abrigos e moradia temporária.

Os moradores da vila costumavam passar uma semana só reparando as casas. Seja substituindo todos os móveis mofados, limpando o forte cheiro de podridão dentre outras coisas, estes eram o procedimento ao qual os moradores já estavam acostumados. Mas este ano, pode-se dizer que Vila Fronteiriça parecia completamente nova. A neve foi rapidamente varrida e o Príncipe forneceu à porta de cada casa das famílias de Vila Fronteiriça uma bandeira multicolorida. De longe, a vila anteriormente monótona e em ruínas tornou-se colorida. Quando as cores se misturavam, parecia um mar de flores.

O castelo também espalhou rapidamente a notícia de que no primeiro dia após os Meses dos Demônios, Sua Alteza real faria um grande baile de celebração na praça central! Todos estavam convidados, e se isso não bastasse, ninguém precisaria pagar uma moeda e também receberia comida de graça!

O que é um baile? É uma ocasião social que só a alta nobreza era autorizada a participar. Os habitantes da vila só conheciam os bailes pelas histórias de comerciantes influentes, experientes e conhecedores. No entanto, mesmo assim, nunca foram autorizados a participar. E se o que os comerciantes diziam fosse mesmo verdade, então, mesmo que utilizassem todo o seu dinheiro, nenhum plebeu seria capaz de conseguir um convite. Mas agora, Sua Alteza permitiria que todo mundo assistisse? De graça?

— Vossa Alteza, o senhor não vai fazer isso mesmo, certo? — Carter perguntou desaprovando a atitude do Príncipe — Não temos nem banda nem dançarinos para puxar e animar a festa! Então, quem controlará o ritmo do baile? Além disso, aqui, numa vila remota, mesmo os nobres não são necessariamente capazes de dançar, então os cidadãos só vão arruinar tudo.

Durante o tempo de Carter em Castelo Cinza, ele só havia assistido a um baile. Ele foi convidado por um marquês para comemorar o aniversário de sua filha. A música tocada era uma música graciosa de instrumentos de cordas misturada com batidas de tambor apaixonadas, enquanto a dança continha muitos giros e deslocamentos. Mas, se os instrumentos fossem tocados individualmente, as senhoras dançariam a música melodiosa, enquanto os homens fariam uma dança rápida e poderosa ao ritmo do som dos tambores. Durante as pausas, os atendentes se misturavam na multidão e distribuíam bebidas e lanches.  Até a última música, os homens ainda teriam tempo e espaço para encontrar e convidar sua mulher favorita para uma dança, e se tivessem sorte, além de serem recompensados ​​com uma dança, eles também poderiam ter um encontro romântico.

Carter suspirou. Embora ele ainda fosse muito jovem para convidar sua garota favorita naquela oportunidade, ele ainda podia se lembrar do sabor daquela atmosfera elegante e romântica. As pessoas da nobreza eram treinadas diariamente para se portar de forma elegante. Como os aldeões, que lutaram contra as bestas demoníacas diariamente poderiam se comparar com eles? Deus, ele não podia imaginar tal cena dentro de Vila Fronteiriça.

— Dançarinos para puxar e animar? Bem, é verdade. — Roland tinha comandado a milícia para remover as esculturas de pedra e a forca da praça central — Mas Machado de Ferro e os membros da milícia assumirão essa parte.

— O homem da areia? — Carter ficou atordoado.

Como o capitão do Esquadrão de Caçadores, e com a sua performance durante os Meses dos Demônios, Machado de Ferro finalmente ganhou o reconhecimento do cavaleiro-chefe. Se não bastasse ele ser claramente um estrangeiro da Tribo Moji, como ele poderia conhecer a etiqueta e os modos do Reino de Castelo Cinza?

No entanto, Roland apenas sorriu misteriosamente e disse:

— O baile não vai ser como os outros, porque sou eu e somente eu quem está organizando. Bem, você vai entender quando começar.

Roland não tinha muito trabalho para preparar o baile; seu maior trabalho era remover as obstruções colocadas na praça central e, no lugar delas, colocar uma pilha de madeira no centro. Além disso, eles construíram mesas de pedra, usadas para preparar um churrasco delicioso. Sim, este era o plano que Roland havia inventado: uma combinação de fogueira com um churrasco ao ar livre.

Roland havia pensado há muito tempo sobre esse problema, em como aumentar o sentimento de pertencimento das pessoas de Vila Fronteiriça. Depois de uma longa vida trabalhando sob seu Lorde anterior, o conceito de status e nacionalidade estavam profundamente arraigados nos aldeões rurais e analfabetos. Somente seus bens e a vida de sua família eram de sua preocupação. Quanto mais atrasadas as pessoas fossem, menos elas se preocupariam com essas coisas.

A lei mais básica para o desenvolvimento da civilização, é que a civilização é tão grande quanto as ideias de seu povo. — Roland pensou profundamente.

Mas isso não significa que ele podia ignorar a ideia de elevar o espírito do povo, e essa celebração de vitória era um dos métodos que ele havia descoberto para transformar os pensamentos dos aldeões.

Na verdade, Roland mal acreditou que Vila Fronteiriça não possuísse uma celebração geral após o fim dos Meses dos Demônios. Enfrentar a invasão das bestas demoníacas uma vez por ano era como um desastre natural. Vencer esse mal era algo digno para se lembrar e festejar.

Então ele decidiu nomear o primeiro dia após o fim dos Meses de Demônios de Dia da Vitória. De modo que, dentro de todo o território que lhe pertencia, este dia tornou-se um feriado público, no qual seriam realizados muitos tipos de celebrações. Enquanto ele pudesse fazê-lo por três a quatro anos, esse tipo de celebração se tornaria uma tradição, e mais tarde continuaria sem Roland. E com o tempo, as pessoas sob o governo de Roland iriam gradualmente perceber que eram diferentes das outras pessoas sob o jugo de outros Lordes.

E por falar em celebração, ainda nem era meio dia e a praça já estava cheia de pessoas. Os membros da milícia estavam alinhados em volta da pilha de madeira para que ninguém mais pudesse se aproximar.

Parece que distribuir comida de graça é bastante atraente, acho que pelo menos metade dos habitantes da vila já chegaram. — Roland pensou.

No fim das contas, mais de mil pessoas estavam lado a lado, deixando a praça cheia. Mesmo com a fogueira no meio, a praça estava tão cheia que não havia espaço para fazer mais nada. Roland até descobriu que algumas crianças haviam escalado os telhados das casas nos arredores para que pudessem ver tudo tranquilamente.

Como essa era a primeira vez deste tipo de celebração, ainda havia algumas deficiências. Roland pensou que agora era o momento certo para entrar em cena e fazer seu discurso.

Este já era o seu segundo discurso público realizado na praça central. Graças a isso, Roland estava muito mais calmo que da última vez.

— Meu povo, boa tarde. Eu sou o 4º Príncipe de Castelo Cinza, Roland Wimbledon. — Ele ainda usou a mesma introdução da última vez, mas hoje seu efeito foi completamente diferente.

Sua voz ainda não havia diminuído, mas a multidão gritava animava.

— Viva o Príncipe, Sua Alteza Real!

— Viva Sua Alteza!

Roland, de repente, sentiu uma espécie de calor se espalhando em seu peito. Desta vez, ele não havia espalhado ninguém no meio do povo para fazer propaganda. Então, quando ele ouviu as saudações espontâneas de sua própria milícia e das pessoas da vila, um sentimento de satisfação e realização brotou em seu coração.

Quando as vozes finalmente se acalmaram um pouco, Roland continuou de forma pausada, para que todos pudessem ouvi-lo:

— Os Meses dos Demônios finalmente acabaram! Graças à luta heroica da milícia, as bestas demoníacas não conseguiram atravessar a muralha nem um passo. Este ano, Vila Fronteiriça só precisou pagar um preço muito pequeno para lutar contra as bestas demoníacas. Isso prova que se nós nos mantermos unidos, não precisaremos da força de Forte Cancioneiro, e podemos fazer de Vila Fronteiriça a nossa terra! Forte Cancioneiro quis ameaçar nossa vila com comida, com o medo da fome e frio, tentando nos forçar a ceder. Mas a vitória de hoje provou que tudo isso é inútil!

Algumas pessoas gritaram na multidão:

— É verdade, eu não quero nunca mais voltar para lá!

— Com Sua Alteza Real, não precisamos ter medo de passar fome durante o inverno!

— É mesmo, eles não podem mais chantagear a gente, Sua Alteza Real é muito gentil!

— Vamos comemorar este triunfo esplêndido e glorioso juntos! — Roland gritou, aproveitando as emoções crescentes dentro da multidão — É um dia para ser lembrado, e declaro que, a partir de hoje, todo o primeiro dia após o fim dos Meses dos Demônios será conhecido como o Dia da Vitória! A celebração de hoje é precisamente para esse fim! Meu povo, aproveite este dia ao máximo! Agora, que a dança comece!

Com isso, uma tocha foi jogada na pilha de lenha. As chamas se levantaram, colocando toda a atmosfera instantaneamente em chamas.


JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: