LAB – Capítulo 87 – 3Lobos

LAB – Capítulo 87

Crepúsculo do Inverno (Parte 1)

— Preparar! Atacar!

Ao ouvir esse comando, Van’er colocou todas as suas forças para atacar o alvo com seu pique. Ele estava segurando o pique com as duas mãos e, quando ele atingiu a cabeça do lobo, o pique emitiu um som agudo. O lobo tinha pelos macias e seus olhos eram de uma cor vermelho-cobre. Quando abriu a boca, Van’er viu duas fileiras de dentes afiados em que os dentes maiores eram tão grandes quanto um polegar. Era a primeira vez que ele estava tão perto de uma besta demoníaca. A besta tentava golpeá-lo com suas garras, até mesmo jogando flocos de neve em seu rosto.

Van’er sentiu como se seu cérebro tivesse dado um branco e ele estava agindo com instintos aprendidos durante o treinamento. Por exemplo, agarrar o pique firmemente e atacar com toda a força eram movimentos já gravados em seu subconsciente. De repente, Van’er teve a impressão que o tempo estava fluindo mais devagar. Ele viu o pique se curvar ao máximo. No entanto, o pique não conseguiu penetrar o suficiente na barriga da besta demoníaca, dando a Van’er o pensamento de que as garras afiadas do lobo rasgariam suas bochechas.

De repente, uma explosão foi ouvida. O pique não foi capaz de suportar o impulso do lobo e, finalmente, quebrou em dois pedaços. No mesmo momento em que o pique quebrou, o fluxo de tempo voltou ao normal e o lobo caiu. Suas garras pousaram na muralha da vila, deixando uma série de marcas. A outra metade do pique de Van’er foi esmagada na muralha da vila junto com o lobo.

— Carregamento das pistolas completado!

— Atirar à vontade!

De repente, o cano de uma pistola apareceu ao lado de Van’er. Vendo isso, Van’er deu meio passo para trás o mais rápido possível e baixou a cabeça para evitar que a fumaça e os restos da pólvora atingissem os seus olhos. Quanto a proteger seus ouvidos, ele não teve tempo para isso.

Logo após os disparos, Van’er voltou à frente para observar quantas bestas demoníacas na base da muralha da vila foram mortas. O lobo que Van’er havia atacado estava entre os mortos. Quando virou a cabeça, Van’er pôde ver seu colega de quarto sorrindo com orgulho para ele.

Um soldado só precisa de uma semana para aprender a usar sua arma, então não tem nada pra ficar orgulhoso. —  Van’er mal olhou para seu colega e já voltou sua atenção de volta ao campo de batalha — Em uma situação como essa, o Esquadrão de Artilharia de Sua Alteza seria útil, mas, agora a gente ainda precisa usar essas merdas de pique!

— Ô, seu pique está quebrado, pega esse novo aqui. — Garra de Gato jogou um novo pique para Van’er— Esse grupo de bestas demoníacas está louco? Estão há duas ou três horas nos atacando, não é?

— Sim, estão todos doidos. — Van’er respondeu, pegando o pique e voltando ao lugar para aguardar a próxima onda de ataque. — Quão tarde já é?

— É quase meio-dia. — Garra de Gato suspirou. Aproveitando que o comandante responsável por este setor da muralha não estava olhando para eles, Garra de Gato olhou para ambos os lados e perguntou — O que aconteceu com Jop e os irmãos Rodney?

— Não procure por eles, se concentre, ou você quer ser morto pelos lobos? — Van’er cortou a conversa —Eles foram designados para outros setores da muralha. Provavelmente devem estar no terceiro ou quarto grupo. Como você conseguiu mudar para o grupo um?

— Eu faço parte da equipe de substitutos. — Garra de Gato respondeu com raiva — Se tiver alguma necessidade, eu venho e ajudo. Na última onda, um Lorde ficou ferido e agora é a minha vez …

— Prepare-se! — A voz do comandante responsável soou, interrompendo as palavras de Garra de Gato.

Ao olhar para a muralha, todos podiam testemunhar uma dúzia de bestas demoníacas avançando rapidamente. As bestas demoníacas estava tão perto que eles já podiam até mesmo discernir suas espécies. Essa onda tinha somente dois lobos, enquanto o resto era de uma espécie de javali selvagem, raposas e ursos, nada muito perigo, a muralha daria conta.

— Atacar!

No entanto, todos ainda obedeceram às ordens do comandante, levando a cabo um ataque de pique unificado. Com certeza, desta vez, o impulso de pique de Van’er atingiu apenas o ar. Mas quando trouxe de volta seu pique, Van’er viu que os dois lobos já tinham sido abatidos por um grupo de caçadores. Como esta onda de bestas demoníacas era mais lenta, o esquadrão de caçadores se exprimiam entre a equipe com os piques a atiravam à vontade.

Eles já estavam lutando com esta tática desde o amanhecer. Quando o primeiro chifre soou, a maioria das pessoas ainda estava dormindo. Van’er bocejou. Desta vez, o ataque das bestas demoníacas estava mais intenso do que nunca. Normalmente, eles tinham que manter esse tipo de batalha por apenas uma ou duas ondas, mas hoje, os corpos das bestas demoníacas já estavam se acumulando na base da muralha. Eles já haviam sido substituídos pela equipe da segunda milícia no meio da manhã para que pudessem comer alguma coisa, descansar por um curto momento e depois voltar para a muralha.

Mas, de forma inesperada, Van’er percebeu que estava muito mais calmo. Ele pensou que estaria bastante nervoso, mas, ao contrário de suas expectativas, mesmo quando ele precisava recuar, deixar a Equipe de Fuzileiros avançar para atirar e assim sucessivamente, ele se viu muito calmo, fazendo todos os movimentos exatamente como treinou durante as últimas semanas. No começo, tudo isso parecia um monte de regras e deveres estranhos, mas agora as ordens eram úteis e incrivelmente eficazes.

Os outros agiam da mesma forma que Van’er. Todos agarravam firmemente seus piques e tinham uma expressão séria no rosto, mas alguns pareciam muito nervosos. No entanto, todos ficavam imóveis com o corpo reto, e ninguém dava sequer um passo para trás.

No entanto, Van’er sabia que o maior motivo para a moral da milícia permanecer alta assim não era devido ao treinamento diário, mas, sim, de Sua Alteza. Naquele momento, depois que os esquadrões com as pistolas dispararam, Van’er olhou para o meio da muralha, próxima ao castelo, onde todos podiam ver claramente. Ali, era a posição em que Sua Alteza estava de pé, observando a batalha.

Pouco tempo após o chifre soar pela primeira vez, Sua Alteza tinha ficado no topo da muralha da vila. Desde então, ele estava parado na muralha, segurando continuamente a linha de defesa sem descanso. Mesmo quando era hora de comer, ele não desceu. Em vez disso, Sua Alteza permaneceu no topo da muralha e enviou seu cavaleiro-chefe para trazer seu café da manhã.

Quando Van’er recordou o comportamento do último Lorde, lembrou-se de que o Lorde se retirou de navio o mais rápido possível no início dos Meses dos Demônios. O Lorde foi seguido pela nobreza, e depois por toda a população civil.

Se alguém possuísse peças de prata, esse alguém fugiria de navio, mas se não tivesse dinheiro, só poderia correr por conta própria para Forte Cancioneiro. — Ao pensar nisso, Van’er sentiu-se completamente motivado.

Sim, o exército do Lorde de Forte Cancioneiro e a equipe da milícia de Vila Fronteiriça de Sua Alteza eram completamente diferentes. O primeiro grupo confiava completamente em suas armaduras e armas, e muitas vezes agiram com tirania dentro dos distritos novos e velhos, até mesmo chantageando comerciantes estrangeiros. Mas na visão de Van’er, além do capitão da segunda equipe da milícia, não havia diferença entre os ladrões, ratos e eles. Sendo guiados por Sua Alteza Real, a milícia era uma equipe tão poderosa que nem sequer tinham medo de proteger Vila Fronteiriça das bestas demoníacas, tornando impossível para as bestas avançarem. No passado, apenas Forte Cancioneiro conseguiu fazer isso.

Bastava olhar para o Pelota[1], que era um antigo gangster do velho distrito. Ele era muitas vezes alvo de escárnio das outras pessoas, mas depois de se juntar à equipe da milícia e pegar o pique, ele se tornou um modelo de um bom cidadão a ser seguido. Havia também Fermi. Sua cabeça era grande e ele era um pouco lento, então ele foi muitas vezes espancado pelas pessoas do velho distrito. Mas agora, ao lutar com um pique, além de ficar extremamente rápido e implacável, ele também demonstrou ser mais habilidoso do que a maioria das pessoas. Toda vez que os outros já haviam terminado seu treinamento, ele ainda iria praticar o ataque com o pique mais umas cem vezes, porque Sua Alteza havia dito:

— Se o pássaro inflexível quiser ultrapassar os mais ágeis, ele precisa alcançar o ritmo deles e fazer muito mais!

No início, obviamente, tudo isso era apenas para conseguir um ovo a mais na comida, mas agora os soldados estavam felizes por terem se juntado à milícia. Todos os dias havia mudanças sutis em todos, e todos os dias podiam treinar mais do que o dia anterior. Van’er pensou que ele não era o único que se sentia assim. Em vez disso, ele achava que todos estavam se sentindo assim. Ele não sabia como descrever seus sentimentos. Talvez esse sentimento podia ser melhor descrito pelas palavras frequentemente usadas por Sua Alteza: eles eram uma equipe jamais vista em todo o reino.

*Woo, woo!*

De repente, dois toques curtos puderam ser ouvidos. Este era o sinal de alerta para quando uma espécie híbrida fosse avistada. Então, Van’er olhou ao longe e descobriu uma espécie híbrida com asas e uma cabeça de leão, que era muito semelhante à besta que eles enfrentaram da última vez.

Hoje é o nosso segundo encontro — Van’er pensou —, mas agora, vai ser diferente da última vez. Além da Equipe de Fuzileiros [2], também temos ajuda de outras forças.

Quando virou a cabeça para o lado e olhou para o meio da muralha, Van’er viu uma garotinha com cabelos loiros flutuando ao lado do Príncipe.


 

 

[1] O nome desse indivíduo é 鱼丸 é o nome de um prato típico chinês, algo como bolinhos de peixe.

[2] Equipe de Fuzileiros é o nome da equipe que possui pistolas de pederneiras.

JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: