LAB – Capítulo 80 – 3Lobos

LAB – Capítulo 80

Artilharia

Uma semana após o navio de concreto ter sido colocado em um galpão para secar, finalmente chegou o dia de lançamento no rio.

Todos os trabalhadores ficaram chocados quando o Príncipe ordenou que colocassem aquela banheira enorme dentro d‘água. Eles ainda estavam tentando processar se tinham escutado direito. Qual foi a surpresa de todos ao perceberem que eles tinham escutado corretamente.

Os trabalhadores tiveram que desmontar o galpão temporário e fazer uma vala íngreme do local exato onde estava o navio de concreto até o rio. Esta etapa precisou ser feita com grande cuidado, devido à fraca resistência à tração de produtos feitos de cimento. Mesmo uma pequena batida no chão seria o suficiente para criar pequenas rachaduras, podendo evoluir e destruir o navio por completo.

O navio foi colocado em cima de troncos e a velocidade em que deslizava era controlada com cabos. Quando tudo estava preparado, os trabalhadores deixaram o cabo grosso de tração deslizar lentamente entre suas mãos, com muito cuidado para que a embarcação sempre deslizasse em linha reta. Enquanto os trabalhadores cantavam seu lema em sincronia, o navio deslizava lentamente sobre os troncos, criando um forte som de fricção.

Felizmente, tudo correu bem e Roland pôde ver como o navio baixou lentamente na água. O navio afundou quase meio metro, com mais de um metro ainda acima da superfície. Os trabalhadores ficaram totalmente surpresos ao ver que essa construção maciça feita de pedra e metal não afundou diretamente no leito do rio com um estrondo alto, mas, ao invés disso, flutuava pacificamente sobre a superfície.

— Rápido, peguem os cabos e amarrem nos cabeços de amarração! — Roland ordenou em voz alta.

Se o navio não fosse amarrado rapidamente nos cabeços de amarração, a correnteza iria levar o navio direto para o sul.

Apesar de Rouxinol não se mostrar publicamente, ela não conseguia mais se segurar após ver essa cena chocante, perguntando:

— Por que esse navio conseguiu flutuar?

— Hum, para falar a verdade, é bastante simples. A densidade média do navio é menor do que a da água. Sempre que alguma coisa tiver a densidade média menor do que a água, ele vai flutuar. — Roland explicou, e após pensar um pouco, ele continuou — O fato do navio ser construído por ferro e concreto não é importante. Na verdade, você já deve ter visto barcos à vela enormes, que também pesam muito mais do que pedras, não é mesmo?[1]

Como não ouviu a voz de Rouxinol novamente, Roland assumiu que ela ainda estava processando o que ele disse. Mesmo Anna não conseguiria entender imediatamente o conceito que ele havia explicado. Percebendo isso, Roland sorriu e continuou a orientar os trabalhadores.

O navio de concreto demorou muito tempo para secar completamente, e toda vez que começava a nevar fortemente, o trabalho tinha que ser interrompido. Os trabalhadores só conseguiam continuar o trabalho quando a neve parava de cair por mais de uma hora. A tarefa mais demorada foi a construção do convés, que foi construído a partir de muitas tábuas de madeira e suportado por muitas estacas pequenas, postas entre o fundo e o convés. Mesmo que isto fosse um desperdício de espaço, ao se levar em conta o objetivo principal do navio de concreto, isso acabava não tendo muita importância.

Depois, eles começaram a aplicação dos materiais isolantes, para evitar que a madeira apodrecesse. Os carpinteiros conheciam muito bem o processo. Primeiro, eles escovavam a madeira com uma camada de óleo, deixando todo o convés com um cheiro pungente. Quando o óleo secou, ​​eles repetiram este procedimento várias vezes até que finalmente eles revestiram a madeira com uma tinta vermelha. Uma vez que a construção do convés foi concluída, a fase de instalação da parte superior foi iniciada.

A parte superior consistia em um galpão de madeira que estava colocado entre dois mastros e que mais tarde seria utilizada para armazenar armas e munições. Quando começasse a chover, o galpão também poderia ser utilizado pela tripulação como abrigo. O telhado do galpão de madeira era muito grosso, construído de tal forma que uma pessoa poderia ficar em cima sem problemas, tendo inclusive um lugar especial criado apenas para Wendy. Enquanto ela estivesse no telhado, Wendy conseguiria utilizar sua habilidade mágica em toda a vela, pois a distância entre a vela e o telhado era pequena.

O leme da popa foi feito com ferro fundido e sua instalação era um pouco difícil. Primeiro, era necessário que eles colocassem o eixo do leme através de um buraco previamente feito, que agora está debaixo d’água. Para dirigir o navio, Anna soldou uma placa triangular ao lado do eixo do leme, que agora também estava debaixo d’água. Na outra extremidade do eixo do leme, que chegava no convés, foi fundido um anel de ferro que poderia girar livremente.

A soldagem foi feita naturalmente por Anna, que também ficou chocada e confusa com o fato de que uma banheira de pedra pudesse flutuar na água. Ela fez as mesmas perguntas que Rouxinol, pois ambas jamais poderiam imaginar que essa banheira enorme pudesse flutuar na água.

Então Roland teve que responder as perguntas, de novo e de novo. Depois, Anna ficou ao lado dele pensando a respeito de tudo o que Roland disse.

Bem … eu ainda tenho um longo caminho pela frente até aumentar o nível geral de educação.

No final, Van’er não sabia se era melhor ele estar no Esquadrão de Artilharia ou no Esquadrão de Caçadores.

Tudo mudou quando ele recebeu a importante ordem, três dias atrás.

Sua Alteza Real decidiu transferir alguns membros da primeira e segunda equipe da milícia, que tiveram um desempenho excepcional, para formar uma nova equipe de elite. Quando o nome de Van’er foi chamado, ele se sentiu muito satisfeito. Mas quando perguntaram se ele queria se juntar ao Esquadrão de Caçadores de Machado de Ferro ou ao novo Esquadrão de Artilharia, ele não sabia o que escolher. Ele estava ciente da nova pistola de pederneira, que permitia a eles lutarem contra as bestas demoníacas devido ao seu poder de penetração muito mais forte do que uma besta de mão. Atualmente, apenas Machado de Ferro, o cavaleiro-chefe e alguns caçadores mais velhos podiam usar essa arma. Van’er deveria juntar-se ao Esquadrão de Caçadores sem hesitação, mas ao invés de tomar uma decisão de supetão, ele perguntou:

— O que é um canhão?

Quando ele soube que um canhão é dez vezes maior que uma pistola e que seu poder é cem vezes mais forte, ele caiu em um dilema.

Aparentemente, quanto mais poderosa for a arma que alguém utiliza, mais valor essa pessoa tem para o Príncipe. Então, juntar-se ao Esquadrão de Artilharia parecia ser a melhor opção do que o Esquadrão de Caçadores. Contudo, a vantagem de ter uma pistola é que você pode estar com ela o tempo todo enquanto patrulha a vila, chamando a atenção de todo mundo por onde quer que você passe, e isso sempre foi o sonho de Van’er. Embora o poder do canhão seja cem vezes maior que o de uma pistola, certamente não é possível carregar uma arma tão poderosa enquanto você passeia pelas ruas, certo?

Até o último dia do prazo, ele não tinha certeza do que escolher, mas no final, ele acabou escolhendo a Artilharia. O último ponto que trouxe a decisão foi que o salário de um artilheiro era cinco peças de prata maior ao de um caçador.

Com sua decisão, o treinamento rigoroso começou.

Um canhão precisa de cinco pessoas para operá-lo, e a equipe de Van’er foi designada por Jop, Garra de Gato, Nelson e Rodney. Como Van’er anteriormente era o vice-capitão da primeira equipe da milícia, ele também foi escolhido como Capitão Artilheiro desta.

Em comparação com as pistolas, este canhão dava dez vezes mais problemas! Desde o início do mês anterior, Van’er observou secretamente como Machado de Ferro operava sua arma, de modo que ele conseguia repetir todo o processo passo a passo em sua mente. Mas o canhão sempre alternava entre um estado fixo ou móvel, e ainda o estado pronto para disparar, sempre tendo que passar por um trabalho tedioso.

Pare o cavalo, puxe o pino, puxe o gancho, mova o carrinho, coloque-o na posição de disparo, segure para não cair … esses processos precisavam de cinco pessoas para cooperar em conjunto. Como era o caso de quando ele precisava puxar o gancho, e as outras pessoas precisavam empurrar o carrinho para longe do canhão, transformando um veículo de quatro rodas em um veículo de duas rodas, sem que o tubo do canhão caísse no chão.

Quando o tubo era finalmente preenchido com a munição, o canhão estava pronto para atirar. O disparo era bastante semelhante à pistola de pederneira, mas a limpeza do canhão com o uso de dois tacos diferentes era muito mais complicada. Ao usar uma pistola, a munição podia ser colocada diretamente no cano. Já o canhão, para começar, eles precisavam pôr fogo no estopim, mas Van’er pensou que, se estivesse chovendo, seria bastante difícil usar essa arma.

Felizmente, como Capitão Artilheiro, na maioria das vezes tudo o que ele precisava fazer era dar as ordens, então ele não precisava se esforçar tanto.

Durante os três primeiros dias, os quatro Esquadrões de Artilharia recém-selecionados tinham apenas um canhão para treinar. Então, sob o comando de Machado de Ferro, os grupos tiveram que passar pelo processo de parar os cavalos, descarregar o canhão, prepará-lo para atirar, carregar o canhão no carrinho e reiniciar todo o processo. Estes quatro passos sempre foram repetidos. Alguns até achavam que de tanto limpar o canhão sem parar, o tubo estava mais limpo do que o próprio rosto deles.


 

 

[1] Eu sei que muitos aqui ou estão no Ensino Médio ou possuem o Ensino Médio completo, mas a ideia é bastante simples. A densidade é dada pela massa dividida pelo volume do objeto. Por estarem em uma relação inversamente proporcional, em uma situação em que a massa é constante, quanto maior o volume, menor a densidade. Se você pegar um balão murcho e colocar duas pedras dentro dele, ele vai afundar. Agora, se você encher esse balão de ar, mesmo com as duas pedras dentro, o volume dele vai aumentar muito, enquanto a massa vai continuar praticamente a mesma, porque a massa de ar que você soprou no balão é muito pequena. Então, o balão, agora cheio, vai flutuar na água, mesmo com as pedras dentro, pois o volume dele aumentou muito mais em relação à massa, deixando sua densidade muito menor que a da água

JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: