LAB – Capítulo 77 – 3Lobos

LAB – Capítulo 77

Montanha Sagrada (Parte 3)

O sangue de Ramos congelou ao ver esta cena horrível.

À sua esquerda, duas sombras surgiram lentamente da escuridão. Elas eram grandes e tinham uma aparência estranha que não era nada como a aparência de bestas demoníacas comuns. Ramos viu que eles pareciam como criaturas humanoides montados nas costas de lobos híbridos. Seus corpos eram duas vezes maiores que os humanos comuns e, em vez de armaduras, usavam roupas que eram feitas de um material desconhecido, não, roupas não era a palavra certa, era mais semelhante à pele animal que envolvia essas criaturas firmemente, conferindo uma aparência grotesca.

No entanto, a característica mais proeminente dos dois seres eram suas cabeças. Pareciam que eles usavam capacetes, mas claramente eram crânios de bestas demoníacas, deixando sua aparência mais atroz e feroz. Seus olhos estavam para fora de suas cabeças. Ao invés de olhos, eles tinham pedaços de cristais castanhos-avermelhados. Um pedaço de pele estava preso à cabeça, estendendo-se até a parte de trás da concha nas costas da besta demoníaca. Uma das criaturas ainda tinha lanças ligadas à sela de sua montaria, enquanto a outra usava um tipo de luva incomum que, do ponto de vista de Ramos, parecia que tinha apenas três dedos.

De repente, uma palavra passou pela mente de Ramos —Diabo!

— Ataquem o inimigo! — Kara foi a primeira a atacar e seu grito alto tirou as demais bruxas do estado catatônico em que estavam, pois, as bruxas estavam ali paradas simplesmente olhando atônitas para o inimigo.

Petra se agachou e colocou uma mão no chão, tornando a área debaixo da neve em um pântano, o que poderia ser considerado uma ação brilhante à ameaça iminente. Normalmente, as criaturas poderiam agir rapidamente e ordenar às suas duas montarias para pular e diminuir a distância entre elas em um instante com suas asas. Contudo, aparentemente, as asas das montarias foram cortadas, e no lugar delas estavam uma armadura firmemente presa em seus ossos expostos, ligadas aos próprios diabos. Como eles não podiam voar mais, eles teriam que dar a volta pelo pântano, o que dava tempo para as outras bruxas reagirem.

Mas o inimigo não jogava com as mesmas regras das bruxas. Eles apenas guiaram suas montarias para o pântano e usando o impulso de suas montarias, eles pularam das costas delas e cruzaram todo o pântano, pousando atrás de Petra. E ali era exatamente o local onde as irmãs não-combatentes estavam.

— Espalhem-se, rápido! — Ramos gritou alto no mesmo momento em que o diabo com a luva de três dedos começou a assassinar suas irmãs.

A agilidade do diabo não era proporcional ao tamanho de seu corpo, tanto, que a bruxa que estava perto do seu lugar de aterrissagem nem teve tempo de reagir antes que sua cabeça fosse quebrada para o lado com um soco. Enquanto ainda estavam tentando reagir ao súbito ataque, mais duas irmãs tiveram seus pescoços imediatamente quebrados, mas, eventualmente, outras fugiram em pânico.

Somente Shino ainda estava em seu antigo lugar. Embora ela não tivesse nenhuma habilidade de combate, ela não escolheu fugir como as outras. Em vez disso, ela pegou a besta de suas costas, apontou e atirou no inimigo. Contudo, o diabo reagiu muito rápido, dando um passo para a frente e chutando bem no peito de Shino. O chute foi tão poderoso, que a menina voou para longe como uma boneca quebrada, enquanto seu corpo quicava e girava várias vezes antes de cair no chão. O sangue parecia sair sem fim de sua boca, até o ponto de ela ficar imóvel.

O diabo que carregava a lança, ao contrário do outro, se virou e caminhou em direção à Petra, que estava totalmente aterrorizada. Ele levantou a lança e apontou para ela, mas exatamente no momento em que queria jogar a lança, uma chama explodiu em sua frente. Pimentinha mirou bem na virilha do diabo e depois que ela atacou, pegou na mão de Petra e fugiu com ela. Quando o diabo tentou alcançá-las, ele foi parado por uma parede de grama negra.

Ramos liberou toda a sua magia no chão, deixando todas as sementes dentro da terra crescer, transformando-as em videiras, que lentamente rastejaram na direção ao diabo, que ela inconscientemente chamava de Mão de Ferro Ao mesmo tempo, Kara gritou — Dor — e lançou duas cobras, com cada uma delas atacando um dos braços do diabo.

Quando o diabo finalmente se livrou das cobras de Kara, ele de repente sentiu alguma coisa puxando seus pés. Quando olhou para baixo, ele viu videiras enrolando em seus pés, e de repente foi puxado para trás, caindo no chão.

— Corram, irmãs, corram! CORRAM! — Ramos gritava e gritava com uma voz trêmula, ao mesmo tempo que estava temerosa — Rápido, todas vocês, fujam! Fujam desses monstros horríveis! Eles são a fonte do mal descrito no livro antigo! Eles devem ter vindo direto dos Portões do Inferno!

O tormento do veneno da serpente parecia ser ineficaz contra os diabos. Quando o Mão de Ferro que estava caído viu que seu companheiro com a lança estava em apuros, ele freneticamente tentou se libertar das videiras que estavam emaranhadas em seu corpo. O diabo com a lança entrou em uma postura de ataque, e seu braço pareceu inchar abruptamente. A armadura de peles em volta do seu braço ficava cada vez mais fina, com diversos vasos sanguíneos inchados e ossos ficando cada vez mais proeminentes.

— Ramos, cuidado! — Petra gritou enquanto usava sua magia para causar um tremor e transformar a área em um pântano novamente, mas desta vez, ela mirou nos pés do diabo. O diabo já estava no seu movimento de lançamento e, quando o pé afundou no chão, não teve tempo de reagir. Por causa desse ataque inesperado, o diabo perdeu seu equilíbrio e a lança que já estava deixando sua mão mudou seu ângulo no último momento, fincando-se completamente no chão bem na frente dos pés de Ramos. Ao presenciar isso, Ramos começou a suar frio.

O braço inchado encolheu rapidamente depois que a lança foi jogada, como um tronco de uma árvore que secou.

Ao ver que o diabo não podia atacar com a lança repetidamente, Ramos percebeu que agora era o melhor momento para fugir. Outras bruxas também notaram isso, por exemplo, Petra e Pimentinha. Vendo que Mão de Ferro ainda estava tentando se livrar das videiras no chão, Ramos correu até Kara, querendo levar sua mentora junto com ela enquanto elas fugiam. Ramos, que olhou para a direção de Mão de Ferro, descobriu que ele já não lutava para tentar se desvencilhar das videiras, mas virou na direção das três bruxas, com suas duas mãos abertas apontadas para elas.

— O que ele está fazendo? Pare!

— Não …! —  Ramos nem sequer teve a chance de avisar às outras.

Uma luz azul explodiu das mãos do diabo como um raio que atravessava o ar, torcendo e atingindo suas três irmãs. Os raios azuis ricochetearam entre as três, emitindo um som de trovão. A fumaça branca começou a se levantar de seus corpos, enquanto elas espasmavam no chão e pegavam fogo.

O ataque parecia ter consumido grande parte da energia do inimigo, porque ele começou a respirar intensamente e não podia mais se mover. Neste ponto, a magia de Ramos também atingiu seu limite, e suas videiras começaram a murchar, transformando-se em ervas daninhas mortas.

Ramos só conseguia pensar — agora, está tudo acabado.

Os gritos desesperados de Kara pareciam ficar cada vez mais longe quando a força do corpo dela desapareceu, até que ela caiu no chão.

Depois de apenas um momento de repouso, Mão de Ferro já havia se levantado da neve e começou a caminhar até Kara, que estava no mais completo pânico, pois desta vez, não havia realmente ninguém que pudesse detê-lo. Quando chegou ao seu lado, Mão de Ferro agarrou a garganta de Kara e começou a estrangulá-la. Kara lutou desesperadamente e tentou se afastar das mãos do diabo, mas em frente ao seu poder monstruoso, seus esforços eram inúteis. Durante sua luta desesperada, Kara convocou suas cobras novamente, deixando-as atacar o braço e o pescoço do inimigo. No entanto, o Diabo parecia impassível e continuava apertando a mão ao redor de seu pescoço.

Neste momento, o inesperado aconteceu. Sob o ataque feroz das cobras mágicas, a pele do diabo finalmente foi arrancada. Imediatamente, uma névoa vermelha começou a vazar da fratura, logo envolvendo o Diabo e Kara. O primeiro lançou um grito terrível e, sob a névoa vermelha, a pele começou rapidamente a abrir, expondo seus tendões e ossos. Mão de Ferro teve que abandonar Kara, enquanto tentava fechar sua ferida, contendo a névoa que saía de seu corpo e se dissipava. Mas foi em vão, seu corpo começou a tremer incontrolavelmente e logo caiu para nunca mais se mover novamente.

Ao ver isso, o outro diabo, cuja metade do corpo já estava enterrada dentro do pântano, gritou de uma forma que parecia que ia destroçar os corações dos homens. Era um som que Ramos jamais tinha ouvido, como um grito afiado e um rugido maçante misturado, atingido seus ouvidos diretamente e resultando em uma dor sem fim.

Mas o grito do inimigo não permitiu que Ramos entrasse em pânico e fugisse. Em vez disso, ela contemplava a vitória com seus olhos.

Ela mordeu os lábios e tentou retirar as últimas gotas de sua força para se levantar. Quando ela finalmente ficou de pé, ela agarrou a besta de Shino, recarregou-a e apontou para o último diabo. O diabo claramente entendeu o que Ramos estava tentando fazer e começou a mexer seus braços freneticamente, mas dentro de um pântano, quanto mais alguém lutasse, mais rápido afundaria. O diabo tentou bloquear suas partes vulneráveis, mas, ao final, foi em vão.

Pelas minhas irmãs que foram assassinadas … — com esse pensamento, Ramos puxou o gatilho e lançou o virote da besta!

O virote da besta percorreu com precisão o pescoço, liberando mais uma vez a névoa vermelha da ferida. Após a névoa se dispersar, sua cabeça finalmente caiu.

Ela matou o Diabo.

Depois de deixar a besta cair, Ramos se virou apenas para ver os corpos de mais de dez irmãs que perderam suas vidas. Imediatamente atingida pela tristeza, Ramos caiu de joelhos, chorando copiosamente.


JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: