LAB – Capítulo 7 – 3Lobos

LAB – Capítulo 7

Treinamento (Parte 2)

O fogo se ergueu sob seus pés, mas logo desapareceu. Esta já era a sua vigésima terceira tentativa. E ela falhou novamente.

Na testa de Anna, o suor escorria constantemente, mas ela apenas usava o dorso da mão para enxuga-lo, e o som das chamas crescentes imediatamente soava novamente.

Sem parar para descansar, o fim de um exercício foi seguido pelo início do próximo. O uniforme da bruxa jazia ao lado, bem dobrado. Se Anna não insistisse em fazê-lo, seu uniforme novo já teria se transformado em cinzas.

Felizmente, com a identidade de Roland como o 4º príncipe, conseguir alguns uniformes extras para ela não era difícil. Ele mandou sua empregada Tyre entregar um cesto cheio de uniformes, reunidos pelas demais empregadas para Anna usar.

A vigésima quarta tentativa tinha finalmente sido eficaz, a chama já não estava subindo de seus pés. Em vez disso, apareceu em sua mão. Anna moveu cautelosamente o braço, tentando fazer com que a chama chegasse até a ponta dos dedos, mas a chama de repente estremeceu duas vezes e levantou pelo seu braço, incendiando a manga, até que se espalhou da manga para todo o uniforme.

Anna apagou a chama, mas seu uniforme já estava completamente queimado, então ela se virou para o cesto e pegou um novo.

Essa não era a primeira vez, mas sempre que isso acontecia Roland desviava os olhos, de modo que olhasse para outro canto, mesmo que Anna não se importasse.

De fato, se não fosse pelas fortes objeções de Roland, ela provavelmente teria tirado toda a roupa e praticado nua, em plena luz do dia! Mas, mesmo que Roland pudesse ter uma boa visão de seu corpo espetacular, ele não poderia trabalhar com uma garota nua, especialmente quando a garota se transformava em chamas, concedendo ao seu corpo um charme completamente diferente.

Roland balançou a cabeça, deixando seus pensamentos sujos para trás. Por enquanto, parecia que não era fácil dominar o poder da magia. O objetivo real que ele tinha estabelecido para Anna era que ela deveria controlar a chama a tal ponto que ela poderia liberar suas chamas de palma de sua mão ou de seus dedos sem destruir suas próprias roupas. No entanto, ele também queria que as chamas tivessem uma temperatura suficientemente alta para derreter os lingotes de ferro que estavam no quintal.

Depois que a trigésima tentativa de Anna falhou, mas antes que ela pudesse fazer a próxima, Roland a deteve e disse para ela fazer uma pausa.

Anna olhou para ele de forma assustada, mas não deu outra resposta.

Roland teve que caminhar e puxar a menina pela mão, levando-a para a cadeira e forçando-a a se sentar.

— Você está cansada. Quando se está cansado você deve descansar. Não seja impaciente, ainda temos algum tempo. — Ele a ajudou a limpar o suor de sua testa úmida e continuou — Vamos tomar um chá da tarde.

Roland sabia que a nobreza do Reino de Castelo Cinza não tinha o hábito de beber chá da tarde e a produtividade desse mundo era tão pobre, que para as pessoas comuns era difícil ter a oportunidade de saborear uma comida tão delicada. As pessoas nesse mundo não estavam familiarizadas com três refeições por dia, para não mencionar uma quarta refeição. Quanto aos filhos nobres, eles geralmente se reuniam neste horário para se divertir em bares ou cassinos.

Para criar esse costume de tomar um chá da tarde, o próprio príncipe precisou assumir temporariamente o posto de empregado e cozinhar, uma vez que não estavam familiarizados com este tipo de comportamento. Uma vez que ele tinha que preparar alguns refrescos leves, e o castelo não continha qualquer chá, ele foi forçado a substituir o chá por cerveja maltada. — Seria importante conseguir algum chá no futuro … — pensou Roland.

Assim, nos jardins posteriores do castelo, em uma casa de madeira, o primeiro chá da tarde do Reino de Castelo Cinza foi realizado.

Anna olhou para os pratos de lanches requintados, não acreditando em seus olhos. Desde quando algo para comer parecia tão bom?

Embora ela não soubesse o nome específico do bolo que comia, era de aparência puramente branca, e a coleção de frutos vermelhos brilhantes podia fazer as pessoas sentirem seu apetite aumentar. Especialmente vendo as bordas dos pastéis decoradas em um padrão requintado, tudo isso obrigou-a a mudar sua visão de mundo mais uma vez.

Roland observava com orgulho a expressão de perplexidade de Anna, que parecia meio sonsa, mas também um pouco assustada. Embora os morangos no bolo de creme foram marinados em açúcar e nem sequer possuíam o mesmo gosto de quando estão frescos, não restava um pedaço sequer do bolo.

Roland descobriu que apreciar o rosto da bruxa enquanto comia era mais gratificante do que fazê-lo sozinho. Ele observou Anna, que colocava cuidadosamente o bolo em sua boca, seus olhos azuis quase emitindo um raio de luz, e seus cabelos balançando suavemente ao vento. Vendo tudo isso, seu coração de repente explodiu e ele pensou — De agora em diante, só vou cozinhar alguma coisa que seja no mínimo tão boa quanto esse bolo!

Bem, o cultivo de sentimentos, bem como o talento, também é muito importante.

Observar Anna enquanto ela praticava e acompanhá-la para desfrutar do chá da tarde tornou-se a vida diária de Roland, e ele não demonstrava qualquer interesse pelos assuntos governamentais. Barov o ajudou a cuidar para que tudo estivesse claro e ordenado.

Três dias depois, Barov entregou a informação da indústria de Vila Fronteiriça que ele havia pedido para o escritório de Roland. Este foi um momento absolutamente inacreditável, o velho 4º príncipe realmente nunca teve paciência para ver uma pilha tão grande de relatórios complicados.

Na verdade, mesmo agora ele não tinha. Roland só precisava ler duas linhas de texto até que começasse a sentir tonturas, e ele disse diretamente a Barov:

— Barov, leia os relatórios para mim.

Ele passou uma hora escutando Barov até que encontrou um erro:

— Por que os impostos anuais de inverno e as receitas de comércio de Vila Fronteiriça foram zero?

Como as temperaturas do inverno eram baixas, a queda na safra poderia ser entendida, mas qual era o significado de retornar diretamente a zero, tinha o povo local o hábito de hibernação?

Barov tossiu:

— Senhor, você esqueceu? Os meses de inverno são conhecidos como os “Meses dos Demônios”, a vila não tem nenhuma capacidade de proteger suas fronteiras. Todos os residentes devem evacuar para o Forte Cancioneiro. Mas tenha a certeza, a sua segurança é certamente a primeira prioridade.

— Meses dos Demônios? — Roland parecia lembrar de ter ouvido essa frase antes. Ele não levou a sério a crença dos fantasmas assustadores e das lendas das bruxas malévolas, pois as considerou como parte do absurdo mundo incivilizado. Mas agora parecia que os monstros não eram uma fantasia, uma vez que as bruxas realmente existiam. Então … e as outras famosas lendas como fantasmas?

Quando obteve sua educação como nobre, seu tutor de história explicou em detalhes os Meses dos Demônios. Todo inverno, depois que a primeira neve cai e o sol se esconde atrás das montanhas, uma intensa escuridão sem luz desce. Naquele momento, os portões do inferno se abrem.

Os espíritos malignos do inferno corromperiam os seres viventes e os converteriam em escravos do diabo. Alguns dos animais se transformariam em bestas demoníacas poderosas com apenas um objetivo: atacar os seres humanos. A maioria das bruxas nasceu nesta temporada, e seu poder seria muito mais forte do que o habitual por causa disso.

— Você já os viu? As Portões do Inferno? — Roland perguntou.

— Vossa Alteza, como as pessoas comuns poderiam vê-los? — Barov balançou a cabeça repetidas vezes — Não diga coisas sem sentido. As montanhas de onde eles vêm não podem ser conquistadas, mesmo estando perto das montanhas você será afetado pelo miasma pútrido, começando primeiramente com uma dor de cabeça moderada, e então em casos severos pode até mesmo perder a sanidade. A menos que …

— A menos que?

— A menos que a pessoa que o faz seja uma bruxa. Somente uma bruxa pode ir e ver os Portões do Inferno, porque elas caíram da graça e se tornaram servos do diabo. Naturalmente elas não precisam temer o toque do mal. — Ao mencionar bruxas, Barov olhou para o jardim.

— Os monstros demoníacos, você já viu algum? — Roland bateu na mesa para recapturar a atenção do ministro adjunto.

— Bem, eu não os vi. Como Vossa Alteza, essa é a primeira vez que chego às fronteiras do reino. No centro do país, no castelo, apenas algumas pessoas encontraram os verdadeiros demônios.

Se ele precisasse evacuar uma vez por ano, como ele poderia desenvolver este lugar? Ele inicialmente pensou que a Vila Fronteiriça era uma terra estéril, mas que ainda tinha o potencial para o desenvolvimento, mas agora parecia ser um sonho distante, uma utopia.

— Se podemos resistir às bestas demoníacas em Forte Cancioneiro, se eles não são invencíveis e se eles podem ser mortos, então por que não podemos derrotá-los aqui em Vila Fronteiriça também?

— Forte Cancioneiro tem um muro alto. Além disso, as tropas de elite do duque Ryan estão alocadas lá. Não é nada como esta vila, este pequeno lugar definitivamente não pode ser comparado ao forte. — Barov explicou — Desde o início, o estabelecimento de Vila Fronteiriça foi para fornecer um aviso prévio para o Forte. Portanto, a vila foi estabelecida entre a encosta da montanha norte e o Rio Vermelho.

Então, sua vila era apenas bucha de canhão para bloquear o inimigo. O único caminho que podiam atravessar. Roland riu sombriamente ao ouvir isto.


Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: