LAB – Capítulo 5 – 3Lobos

LAB – Capítulo 5

Razões

Segunda Lei da Termodinâmica: O calor jamais pode passar de um corpo frio para um corpo mais quente. É impossível converter o calor de uma única fonte em trabalho sem causar outros efeitos.  A mudança de um estado em equilíbrio em outro, sendo espontânea ou irreversível, sempre aumentará a entropia.

Roland cuidadosamente copiou essa lei em um papel, escrevendo na linguagem deste mundo. À primeira vista, o texto assemelhava-se a uma minhoca em movimento. Ele realmente não entendia como os moradores conseguiam aprender tantas letras complicadas.

Se você perguntasse a ele qual das numerosas leis da física faria as pessoas se sentirem mais deprimidas, Roland escolheria a segunda lei da termodinâmica. Ela diz a todos que o calor deste mundo sempre vai passar de alto a baixo, substituindo a desordem em ordem, aumentando a entropia. Eventualmente, tudo terminará no nada e o universo se tornará silencioso.

E este mundo praticamente jogou fora essa lei. Podia-se fazer magia a partir do nada, o que era muito mais impressionante do que a invenção teórica de um moto-contínuo! — As forças do mal? — Roland gargalhou e pensou consigo mesmo que as pessoas desse mundo não entendiam a verdadeira natureza desse poder, e era tão grande que podia até mudar o universo inteiro.

Claro, de início, ele só poderia começar a mudar esta pequena Vila Fronteiriça.

Roland assoviou uma melodia, rasgou o papel que tinha escrito e atirou-o para a lareira onde foi reduzido a cinzas, sentindo o prazer de sair de uma gaiola.

O ministro adjunto olhava de soslaio para as ações inexplicáveis ​​do 4º Príncipe, mas, felizmente, para Roland, o velho príncipe tinha sempre agido dessa maneira. No final, Barov decidiu que os estranhos caprichos do Príncipe passariam sem que ele se importasse com isso, e ele podia ver que o Príncipe estava se divertindo.

— A matança foi concluída, a ‘bruxa’ foi enforcada ao meio-dia. — relatou Barov a Roland.

— Bom, alguém viu? — Roland falou enquanto escrevia — Ah, não importa, todos os condenados estavam com capuz.

Para evitar que a Santa Igreja e a Associação Cooperativa das Bruxas batessem à sua porta, Roland ordenou ao chefe do calabouço que encontrasse uma pessoa de aparência semelhante entre os criminosos sob pena de morte e deixasse que substituísse Anna na forca. Além do comandante e do ministro adjunto, todos os que estavam com ele no calabouço receberam 20 peças de ouro para ficarem em silêncio. E essa quantia pode ser considerada uma enorme fortuna para eles.

Barov propôs até mesmo matar todas as testemunhas, ou nunca manteriam o silêncio para sempre, mas Roland rejeitou isso. Ele sabia que não poderia evitar que esse segredo se espalhasse, mas isso não importa, porque ele realmente queria alguém para espalhar o ocorrido, mas não agora. Ele iria enfrentar a igreja mais cedo ou mais tarde de qualquer forma. Aqueles idiotas que promoveram a intolerância causando esse enorme desperdício de recursos! Por outro lado, outras bruxas ouviriam que havia uma Vila Fronteiriça no reino onde elas poderiam viver uma vida livre, e poderiam até receber tratamento preferencial. — O que essas bruxas iriam pensar?

Não importava em qual época fosse, a coisa mais importante que alguém pode possuir é o seu talento.

— Então tudo está certo. — Roland disse — Próxima pauta, sobre as tarefas, impostos e despesas do ano, você já me deu um breve resumo, deixe-me dar uma boa olhada neles agora. Além disso, você também precisa incluir a quantidade e o tamanho daqueles comércios na vila, os lugares que fazem ferramentas e peças têxteis, de ferro, cerâmica e demais coisas do tipo.

— Creio que precisarei de três dias para preparar esses registros, mas … — Barov disse quando ele assentiu, então parou. Parecia que não sabia como continuar.

— Qual é o problema? — Roland perguntou. Ele estava ciente de que, finalmente, chegou o momento em que sua habilidade estava prestes a ser testada. Ontem tudo o que ele fez foi questionado pelo ministro adjunto, pois duvidava da capacidade de Roland. Afinal, um canalha será sempre um canalha, mas um caráter ruim não significava ser idiota. Prestar ajuda e dar abrigo à uma bruxa, aos olhos do ministro adjunto, era semelhante a declarar a guerra ao mundo.

— Vossa Alteza, eu não entendo … — Barov fez uma pausa enquanto lutava com suas palavras — No passado, apesar de você ter causado problemas, era sempre mais inofensivo, mas agora … assumindo um risco tão grande e significativo apenas para salvar uma bruxa? A lei para caçá-las foi proclamada pela Igreja, e até mesmo seu pai, Sua Majestade Wimbledon III reconhece e apoia essa lei.

Roland pensou por um momento e depois perguntou:

— Você acredita que Vila Fronteiriça é um bom lugar para morar?

— Uh, bem … — Barov não entendeu o que essa pergunta tinha a ver com o problema, depois de algum tempo ele deu sua verdadeira opinião — não.

— É horrível, em comparação a Valência, a Cidade da Farta Colheita ou o Porto de Água Clara, quais são as minhas chances de conquistar o trono contra meus irmãos?

— … — O ministro adjunto ficou boquiaberto, mas não respondeu.

— Quase zero. Então só posso escolher andar por outro caminho. — Roland continuou com um olhar inexpressivo, enquanto Barov estava cada vez mais perto de cair em sua armadilha — O tipo de escolha que impressionaria até meu pai.

Ele não afirmou que as bruxas não eram inerentemente más, porque com certeza teria pouco sucesso. Barov tinha sido o ministro adjunto das finanças por vinte anos e era considerado um político bastante competente. Para os políticos, seus ganhos pessoais eram geralmente mais importantes do que a lei moral do bem e do mal. Também, trilhar o caminho emocional não era adequado para ele. Como Roland bem lembrou as ações do príncipe anterior, e descobriu que ele realmente não poderia ser considerado uma pessoa reta e justa. Então, escolheu jogar no conflito eterno entre autoridade religiosa e secular, pois o poder em expansão da Santa Igreja era um espinho constante no flanco de Wimbledon III.

A Igreja afirmava que o mundo trabalhava de acordo com a vontade de Deus, e o Papa era a voz de Deus. Se as pessoas descobrissem que os discursos e mensagens do Papa não eram verdade, até mesmo cheio de mentiras, o domínio da Santa Igreja seria grandemente abalado.

Com a frase “a bruxa não é má, então eu quero salvá-la”, seria difícil convencer o ministro adjunto, mas substituído por “ela não é uma bruxa má, e eu posso usar isso para atacar a igreja” Barov poderia facilmente ser persuadido a aceitar esta conclusão.

— Independentemente de como os territórios de meus irmãos e irmãs prosperem, acredito ser uma conclusão inevitável que tudo terminará em posse da Igreja. Eles já se adentraram no direito divino dos reis, pois se somente o Papa pode ser considerado o governante legítimo, então quem são os verdadeiros governantes dessas terras, nós ou eles? — Roland fez uma pausa pela quantidade certa de tempo antes de continuar — Até o meu pai terá de colocar a sua esperança em mim: um líder que não seja reprimido pela Santa Igreja, aquele que detém todos os direitos exclusivos de um rei verdadeiro. Sua escolha seria muito clara.

Mudar o discurso de o “inimigo do mundo inteiro” para “apenas o inimigo da Igreja” torna-o de mais fácil aceitação pelo povo, para não mencionar Barov, que sempre estivera ao lado da Família Real.

— Da mesma forma, se o Rei estiver ciente das habilidades extraordinárias que elas têm, que elas podem frear o crescimento da Santa Igreja e conter sua influência, as ordens de execução serão nada mais do que uma piada. Embora não haja possibilidade de garantir o sucesso, também não é impossível. Você acha que eu valho o risco? — Roland olhou fixamente para o ministro adjunto enquanto dizia estas frases seguidas — Não hesite agora, Barov. Você foi um ministro adjunto por vinte anos, certo? Se eu puder me tornar Wimbledon IV, a palavra ‘adjunto’ será removida, ou até mais, algo como … tornar-se a Mão do Rei é possível, hein?

Olhando para as costas de Barov enquanto este estava de saída, Roland sentiu-se aliviado. Era fácil perceber que ele não havia pensado muito em sua promessa, isso era normal, mesmo o próprio Roland não acreditava que este plano recém rabiscado, feito de arrogância e prepotência, poderia ser realizado. Mas isso não era importante, a chave era deixar Barov acreditar que ele realmente pensava dessa forma. O filho de um nobre protegido só podia pensar em um plano simples, sem mencionar que o 4º Príncipe realmente odiava a mentalidade da igreja. Neste momento, o caminho para atrair mais bruxas também foi pavimentado.

Quanto as suas reais intenções? Mesmo que Barov soubesse, não seria capaz de compreendê-las.

Roland convocou a empregada:

— Chame a senhorita Anna e diga a ela para me encontrar.

Roland pensou que, felizmente, o negócio seguinte seria o melhor.


 

 

 

NT: Existem muitos vídeos de professores explicando a 2º lei da termodinâmica no YouTube. Eu gosto bastante desse por se aproximar da ideia que Roland tentou passar para o papel. Segue o link!

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: