LAB – Capítulo 33 – 3Lobos

LAB – Capítulo 33

Pólvora

Mal passaram 15 minutos de descanso e Machado de Ferro bateu palmas, gritando:

— Todos de pé, Sua Alteza, o 4º Príncipe está chegando.

Van’er logo voltou para seu lugar, devido à formação especial que ele tinha antes. Ele tinha aprendido a seguir as ordens quase inconscientemente, então ele pegou a réplica do pique e assumiu sua posição pronto para golpear.

O Príncipe e seus seguidores estavam andando atrás do grupo pela muralha. Van’er notou de soslaio que o Príncipe tinha diminuído seus passos quando passou por ele.

Roland suspirou em silêncio, os ditados ‘quanto mais tarde for dormir, pior será a manhã do porvir’ e ‘levantar-se muito cedo estraga o dia inteiro’ eram realmente verdades. Somente quando ele terminou de processar as consequências da incursão daqueles vermes no castelo, que ele se lembrou que tinha que inspecionar os resultados do treinamento da milícia. Roland teve pena de si mesmo. Ele não dormiu nada a noite, então agora ele estava com sono o dia inteiro. Mas ele tinha que vir, já que agora a equipe havia sido transferida para a fase de treinamento de combate e ele, como o oficial de maior patente, se não aparecer por um longo tempo, o moral de sua equipe se tornaria instável.

Bem … — o que alguém costuma dizer quando vem ‘inspecionar’ sua equipe? Roland pensou um pouco — nossa milícia é unida a todo tempo ou só somos companheiros nos bons momentos? — Se ele não conseguir uma resposta depois de gritar este slogan, o clima ficaria muito estranho. Talvez seria melhor apenas puxar alguém de lado e falar com ele, perguntando sobre as suas impressões e tentando passar uma boa reputação.

Imediatamente Roland pôs seu plano em prática, batendo nos ombros de um jovem que aparentar ser bastante robusto.

— Você acha que o treinamento está muito difícil, soldado? Está tudo certo, não está muito cansativo? As três refeições por dia estão sendo suficientes?

Com base em suas experiências passadas ao assistir os noticiários na televisão, Roland esperava que as respostas viessem em alto e bom som, como — Nem um pouco cansado e suficiente, senhor! — Mas o resultado foi completamente diferente do que ele esperava. O homem virou-se diretamente para ele e ajoelhou sob um joelho, o que realmente chocou Roland.

Van’er sentiu que tinha sido abençoado, Sua Alteza Real o Príncipe realmente se importava com ele e até mesmo cordialmente perguntou se ele estava cansado do treinamento! Ao falar sobre a Família Real ou mesmo apenas nobres comuns, eles eram extremamente relutantes em sequer dirigir a palavra aos soldados. Ele inconscientemente imitou a saudação de um cavaleiro para honrar Sua Alteza Real. Independentemente se este ritual era apropriado para ele, ele só tinha um pensamento: depois disso tudo, quando ele voltar às ruas, ele poderia ser considerado uma nova pessoa.

Quando Roland pediu para se levantar, o cérebro de Van’er ainda estava um caos, então ele não conseguia sequer lembrar o que ele tinha respondido.

No final, Sua Alteza Real acabou pedindo a mesma coisa para todos eles. Se alguém tivesse quaisquer comentários ou sugestões sobre o treinamento, ele daria um passo à frente. De repente, a mente de Van’er clareou completamente mais uma vez, mostrando que isso era uma — excelente oportunidade! Se eu estiver pensando certo, a milícia de Sua Alteza terá a responsabilidade de proteger a muralha, mas não sozinha, pois isso seria um fardo muito pesado. Talvez as minhas preocupações de fugir ou ficar são desnecessárias, certo?

Ele cuidadosamente pensou sobre como iria falar, quando disse:

— Meritíssimo … digo, Vossa Alteza Real, a milícia ainda é muito pequena em número. Se nós nos alinharmos por toda a muralha como estamos treinando diariamente, quando as bestas demoníacas atacarem, só seremos capazes de proteger um terço da muralha e creio que nós não iremos sobreviver …

Mesmo se o Príncipe começar a recrutar vários grupos de milícia agora, Van’er tinha medo de que o tempo de treinamento não seria suficiente. Além disso, as armas usadas por essas pessoas também seriam uma grande despesa, pois já era difícil fornecer as armas para os 100 soldados com o tempo que eles tinham.

Mesmo agora, eles ainda estavam segurando suas réplicas de pique para treinar.

Se Sua Alteza Real pudesse perceber essa situação, talvez ele iria recrutar um grupo de mercenários de outras vilas como sua defesa principal. Pelo menos eles não precisam de treinamento e poderiam ser enviados diretamente para o campo de batalha. Eles já teriam suas próprias armas e armaduras, mas o preço para contratá-los era relativamente alto.

Roland pensou por um momento, balançou a cabeça e disse:

— Sim, você está certíssimo. Com a força atual de nossa milícia, proteger toda a muralha da vila não é lá muito realista.

Van’er ficou muito satisfeito, Sua Alteza na verdade … concordou com seu ponto de vista?

Mas ele não esperava que as próximas palavras do Príncipe fossem:

— As bestas demoníacas na verdade, são apenas uma variante de animais normais, elas não se tornam mais inteligentes, não é mesmo?

— Sim, Vossa Alteza, suas formas de base são apenas animais comuns, então as bestas demoníacas ainda são as mesmas, possuem os mesmos hábitos, são basicamente os mesmos animais que eram antes da mudança … mas eu não tenho visto muitas delas, então eu não tenho certeza que isso seja a verdade para todas elas.

— Era isso o que eu queria ouvir. Embora existam cerca de 180 metros entre o Rio Vermelho e o pé da encosta da montanha norte, nós poderíamos atrair as bestas para um local específico, preparado com antecedência.

— O senhor quer dizer, armadilhas? — Machado de Ferro perguntou.

— Sim, nós poderíamos usar armadilhas, mas não do tipo usado pelos caçadores. Armadilhas comuns são usadas ​​para capturar presas por camuflagem, mas eu pretendo fazer o oposto. Vamos montar bloqueios nas estradas bem longe da muralha da vila, tais como cercas, encostas e valas, forçando estas bestas demoníacas estúpidas a circular e circular por estes bloqueios. As barreiras irão guiar as bestas continuamente para o ponto exato onde iremos montar nossa principal defesa. — Quando Roland chegou neste ponto, ele olhou diretamente para Machado de Ferro — Quanto à forma de atrair esses monstros, eu acho que ninguém sabe mais sobre isso do que você.

Depois de um breve momento, Machado de Ferro respondeu:

— Não é nenhum problema guiar as bestas, senhor, os lobos têm hidrofobia, os javalis têm fotofobia, e as outras bestas demoníacas também têm os seus próprios medos. Mas, Vossa Alteza, desta forma teríamos de enfrentar todas as bestas em um ponto pequeno e estreito, será que não vai ser muito perigoso?

— Se contar apenas com lanças e arcos, temo que isso seria verdade. — Roland respirou fundo e disse confiante — Mas agora temos uma nova arma!

Quando o Príncipe estava de partida, ele mais uma vez veio a Van’er.

— Suas observações foram muito precisas e pontuais, qual é o seu nome?

— Va-Van’er, Vossa Alteza.

— Vou indicar você ao meu cavaleiro-chefe para ser um vice capitão de uma das equipes, Sr. Van’er, estou muito satisfeito, bom trabalho.

Ao lado da casa para a produção de cimento, Roland construiu uma nova casa. Ali seria feita a produção de pó de neve, ou mais precisamente, a pólvora.

A casa só tinha um grande quarto com uma área de aproximadamente 300 m² e apenas uma entrada. Ele também implementou um regime de segurança mais rigoroso. Dois cavaleiros sempre estavam vigiando a porta, e qualquer um que quisesse entrar era obrigado a se registrar primeiro e passar por revista corporal, procurando algo que pudesse acender uma fogueira. Dentro da casa, qualquer fogo, chama ou algo que pudesse acender era completamente proibido, por isso só era possível trabalhar durante o dia. A fim de até mesmo impedir que Rouxinol se infiltrasse na sala, ele pendurou uma cortina de algodão acima da porta.

— Isto é a nova arma que o senhor falou? — Carter foi convocado para dar uma olhada na nova invenção, ele pegou um pouco de pó e cheirou — Isto não é pó de neve?

Talvez Machado de Ferro não conhecesse o pó de neve, mas Carter participou de muitas cerimônias reais, então ele naturalmente sabia como pó de neve era. Com certeza era a melhor criação da oficina de alquimia. A receita era secreta, mas se o Príncipe quisesse saber, ele certamente seria capaz de obtê-la.

— É pó de neve, mas não totalmente — Roland disse —, é o último aprimoramento da oficina de alquimia, eu chamo de pólvora.

Pólvora poderia ser descrito como um produto que era perfeito para a produção em massa. Ela não precisa de quaisquer materiais exóticos. Contanto que você tivesse carvão, enxofre e salitre e misturasse esses ingredientes em uma proporção de 1: 1: 7,5 a pólvora poderia ser produzida sem quaisquer barreiras técnicas.

Neste período de tempo, o pó de neve era misturado numa proporção de 3: 1: 1 e também tinha, muitas vezes, alguns materiais estranhos (tais como o mercúrio, manteiga, mel, etc.), que eram misturados em uma razão de 2%, resultando em uma combustão mais lenta e menos liberação de gás, o que não trazia nenhuma vantagem para a pólvora. No entanto, Roland sabia que o alquimista constantemente testaria outras proporções, e ele previu que eles só precisariam de 30 anos para chegar em uma receita próxima à receita original da pólvora.

Na história do antigo mundo de Roland, a pólvora foi inventada há muito tempo antes mesmo da criação da primeira arma branca. Isso se deu porque a fabricação de uma arma que pudesse utilizar o poder da pólvora não acompanhou o desenvolvimento da mesma, por isso as armas de fogo só apareceram muito tempo depois.

No entanto, o que muitas pessoas ignoravam era o fato de que você não precisa ter armas de fogo para usar a pólvora. A pólvora em si já era uma arma formidável.


Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: