LAB – Capítulo 31 – 3Lobos

LAB – Capítulo 31

Nosso amigo

Roland estava sentado em sua mesa em um estado atordoado. Ele realmente não esperava que alguém tentasse assassinar alguém em seu castelo. Ele tinha medo que se Rouxinol não tivesse prontamente descoberto, eles o teriam assassinado a sangue frio.

Quem ordenou esse assassinato? Seria sua terceira irmã ou um de seus outros irmãos? Por que eles estavam fazendo isso? Seria uma luta de cinco anos pelo o trono, mas nos últimos meses, eles já haviam tentado matá-lo duas vezes. Roland, bastante irritado, bateu em sua mesa. Isto era inaceitável, um ultraje! Então eles não poderiam deixar Roland sequer passar os Meses dos Demônios?

Passos podiam ser ouvidos do lado de fora da porta. Era Carter, seu cavaleiro chefe. Depois que abriu a porta, ele disse:

— Vossa Alteza, os corpos foram identificadas. Dos oito corpos, sete eram membros originais da patrulha, mas o último ainda não foi identificado. Além disso, há dois que ainda estão vivos e sob os cuidados da bruxa … se não fosse … bem, eles já foram tratados pela senhorita Pinheiro, mas ainda estão inconscientes. O caminho pelos esgotos está sendo fortemente vigiado agora, também.

Eles eram da patrulha vila? Ele sabia que a equipe levantada pelo antigo Lorde não era confiável. Roland rangeu os dentes, na verdade, oito das dez pessoas eram traidores, por isso não deixar com que participassem da milícia foi realmente a escolha certa.

— Isso é bom, na verdade isso é ótimo. Certifique-se também de que eles estejam o tempo todo sendo vigiados, para não cometerem suicídio como da última vez.

— Como … da última vez?

— Oh, nada não, esqueça. — Roland balançou a cabeça. Aparentemente, Rouxinol acordou ele muito cedo e depressa, então ele ainda estava meio confuso — De qualquer forma, eu quero saber tudo sobre eles. Quem é o líder? Quem é seu contato? Quem está bancando esse grupo? Você deve investigar tudo isso e muito mais …

— Sim, Vossa Alteza. — Carter entendeu perfeitamente suas ordens, mas ele não saiu imediatamente, ao invés disso ele dobrou um de seus joelhos e disse solenemente — O fato de assassinos serem capazes de se infiltrar sorrateiramente no castelo é de minha inteira responsabilidade e o não cumprimento de meu dever como seu chefe cavaleiro, Vossa Alteza. Espero que Vossa alteza me puna com diligência.

— O que está feito está feito. Naquela época, você não estava mesmo no castelo, então isso não tem nada a ver com você.

— Bem … — Carter hesitou — Vossa Alteza pode me dizer quem, afinal, impediu esta tentativa de assassinato? Eu pude ver a cena … — o cavaleiro teve que engolir a seco — parece que todos foram mortos pela mesma pessoa … era como se estivessem … indefesos?!

— Oh? E como você percebeu isso? — Roland estava curioso.

— Se a luta tivesse sido equilibrada o local não estaria tão limpo e os assassinos teriam feridas e cortes espalhadas por todo o corpo. — Carter sussurrou — Todos eles foram mortos no pequeno armazém e tirando o sangue e os corpos, não tinha mais nada no chão. Quase não houve danos às mercadorias colocadas lá em baixo no armazém. As grandes caixas com bacon sequer tinham um corte de espada. Isso mostra que o homem não precisou usar qualquer cobertura, como se estivesse passeando em volta de uma pequena clareira. Com todo o respeito, Vossa Alteza, isso é incrível, fantástico demais!

— Ah, então as razões são essas … — Roland acenou com a cabeça. Ele entendeu o significado da explicação de Carter. Depois que uma pessoa teoricamente forte fosse atingida, ela iria cair em uma situação adversa extrema. Lutas reais normalmente não terminam como nos filmes, onde a pessoa cercada derruba um inimigo após o outro. Um ataque a partir de um ponto cego seria particularmente mortal. Então, para lutar contra muitos, a abordagem correta seria a de usar o terreno e o ambiente para que os inimigos encontrassem obstáculos pela frente.

Mas Rouxinol não era uma dessas pessoas comuns.

— Não importa o que aconteceu, você precisa terminar a missão que dei a você, em primeiro lugar. Esta pessoa não pode ser revelada ainda, mas quando chegar a hora, eu mesmo vou dizer a você.

Embora soubesse que o chefe cavaleiro era um de seus subordinados leais e confiáveis ​​e que ele também sabia que Nana e Anna eram bruxas, Roland ainda escolheu esconder a presença de Rouxinol dele, porque a diferença entre ela e as outras duas bruxas era que ela não estava do seu lado. Ela só estava em Vila Fronteiriça por causa de Anna. Ela pertencia à Associação Cooperativa das Bruxas e que mais cedo ou mais tarde ela iria embora.

Carter fez uma saudação e saiu.

Roland podia entender seus pensamentos. Como uma pessoa bem versada na arte da espada, Carter estava constantemente praticando um programa de treinamento que foi criado a partir de práticas e do acúmulo de técnicas de luta por centenas de anos, o que deixava Carter muito orgulhoso de suas heranças. Mas quando viu a cena no armazém, ele não pôde acreditar e começou a ter dúvidas. Se a arte da espada pudesse ser aperfeiçoada nesse nível, então de que valeria se orgulhar tanto de suas heranças?

— Eu pensei que você ia me pedir para aparecer. — Rouxinol se revelou. Ela ainda estava sentada no canto da mesa, com as pernas cruzadas.

— É, eu pensei nessa possibilidade, mas que tal? Se você quiser, você pode se estabelecer aqui no castelo e ser minha espada furtiva. Você vai ter duas peças de ouro como salário mensal, o dobro do que Anna recebe. Então, o que me diz? — Roland tentou convencê-la com mais argumentos — Você vai ter uma casa com um jardim, dois dias de folga por semana, e até mesmo as férias pagas no final do ano. Olha que coisa boa, além de tudo isso ainda seria paga pelos seus serviços.

Para sua surpresa, Rouxinol não recusou de imediato. Ela apenas sorriu e não disse nem que sim, nem que não.

— Não posso abandonar minhas companheiras, Vossa Alteza, não importa o quê.

— Isso seria agora, mas quando o inverno acabar, Vila Fronteiriça começará um tempo de reconstrução. E quando esse tempo chegar, ninguém mais se preocupará com isso. E então … as bruxas não serão mais discriminadas pelas ruas. Ninguém mais vai enxergar as bruxas como porta-voz do diabo.

— Sim, sim … e assim por diante … você está sempre falando sobre isso. — Rouxinol disse com indiferença.

Era hora de parar. Com certeza ver era melhor do que ouvir. Esse tipo de coisa só poderia ser mudada lentamente. Roland, então, mudou de assunto.

— Nana foi enviada com segurança de volta, certo?

— Ah sim, mas ela se assustou.

Roland suspirou, não havia nada que ele pudesse fazer, afinal, era meia-noite quando Nana foi acordada por Rouxinol. Quando ela foi levada para o local e viu o lugar de batalha, ela quase vomitou. Rouxinol fez um breve relato sobre as coisas que aconteceram e, em seguida, ele disse a ela para ir buscar Nana. Normalmente, o único trabalho de Nana era curar as galinhas. Mas agora, quando a menina viu pessoas cobertas de sangue, ela imediatamente desmaiou. Depois de algum tempo, ela acordou e começou a curar a pessoa da patrulha da vila, com o rosto cheio de lágrimas.

A fim de esconder o ocorrido da família de Nana, Rouxinol também foi a responsável por levá-la de volta.

Quando tudo foi resolvido já era quase o nascer do sol.

— Como foi a investigação? Você poderia descobrir qual dos meus bons irmãos ou irmãs os enviou?

Rouxinol balançou a cabeça em negação.

— Todos eles eram pessoas de sua própria patrulha, com apenas uma exceção, mas ele também não possuía qualquer evidência que me permitisse saber sua identidade. Com dinheiro suficiente, qualquer um poderia contratá-los. Mas eu acho que isso não está relacionado com os seus irmãos.

— Por que?

— Porque foi tudo extremamente desorganizado. Durante várias ocasiões, o grupo teve sérias brigas internas. E eles não cometeram suicídio assim que foram pegos. Eles deixaram até mesmo duas pessoas vivas. Eles não eram profissionais. Em geral, eram todos um bando de zé-ninguém. Isso é diferente do estilo de seus irmãos e irmãs. É mais provável que tenha sido um aristocrata quem planejou tudo isso. Eu acho que mesmo se eu não estivesse, provavelmente não haveria maneira alguma deles terem êxito em sua tentativa de assassinato. Não se esqueça que Anna está dormindo no andar de baixo.

Rouxinol estendeu a mão e pegou o copo de Roland. Ela parecia não se importar em beber do mesmo copo que ele, então disse:

— Não importa o quê, seu cavaleiro pediu a verdade sobre o que aconteceu nos esgotos, e eu aposto que ele vai descobrir logo logo. Em comparação com a primeira investida de sua irmã, aquele cara é muito menos profissional. Se eu não tivesse saído, ele ainda estaria ajoelhado diante de mim implorando pela sua vida.

— Esse membro patrulha gravemente ferido, se não me engano, foi o mesmo que chamei há um tempo atrás.

— Sério? — Rouxinol inclinou a cabeça — Eu acho que você vai ter que recompensá-lo. Se ele não tivesse se voltado contra os outros caras, eu não teria encontrado eles tão rapidamente e eles teriam entrado no castelo. Embora ainda não esteja claro por que ele fez isso, mas o inimigo do inimigo é nosso amigo, certo?

Sim — Roland pensou. Mas a parte mais importante não era se ele é um amigo ou inimigo, mas sim que Rouxinol disse duas palavras.

Nosso amigo.


Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: