LAB – Capítulo 29 – 3Lobos

LAB – Capítulo 29

Fúria

O castelo em Vila Fronteiriça nem sempre tinha estado no lugar em que estava agora. Quando eles construíram as bases para o primeiro castelo, o chão desabou devido a uma caverna subterrânea. Por causa disso, o castelo precisou ser construído em outro lugar.

Os esgotos já escavados foram em grande parte destruídos no colapso e algumas partes ainda estavam intactas. Contudo, essas partes também foram descartadas por causa da mudança de local e remodelação do castelo.

Quando Brian ainda era jovem, muitas vezes ele brincava nestes túneis subterrâneos e um dia, ele acidentalmente encontrou uma rota a partir de um poço abandonado fora da muralha do castelo, que levavam diretamente a um poço no jardim do castelo. Brian contou essa descoberta a seu pai, mas em troca, ele apanhou de jeito. Seu pai também avisou que invadir o castelo do Lorde era um delito sério, e se ele fosse encontrado, só poderia terminar indo para a forca.

Por causa desse incidente, Brian ficou receoso pelo resto de sua vida e nunca mais entrou nos antigos esgotos novamente. No entanto, quando o pessoal se reunia para beber e conversar, Brian se gavava repetidamente sobre a própria capacidade de ter acesso direto ao castelo. Agora ele estava extremamente arrependido.

Toda a patrulha da vila, exceto Galgo, contava com nove pessoas. Em outras palavras, Cicatriz Sinistra tinha convencido toda a patrulha e eles estavam agora trabalhando para o Duque Ryan, que estava no controle da parte oeste do Reino. Além disso, as recompensas eram tão boas que poucas pessoas poderiam resistir à essa tentação.

O poço abandonado ficava no lugar do primeiro desabamento e ainda era um terreno baldio até hoje. Cicatriz Sinistra ordenou a Brian com sua espada para mostrar o caminho e durante todo o trajeto para o poço, Brian ficava no meio do grupo. Brian se lembrava que os túneis eram bastante espaçosos, mas agora pareciam muito estreitos. Devido ao fato de ninguém utilizar essa passagem, o desvio de água tinha cavado muitos buracos em que cresceram muitas vinhas.

O cara que esfaqueou Galgo estava liderando o caminho à frente. Em uma mão ele segurava uma tocha e na outra mão ele segurava uma machadinha para limpar o caminho de todos os obstáculos.

Enquanto Brian fingia recordar o caminho, nos recônditos de sua mente, ele secretamente pensava em uma maneira de escapar.

Mas os túneis em que estavam agora eram bastante inconvenientes para tais ações, pois ele não tinha por onde escapar. Só no castelo que ele poderia ter uma pequena chance. Mas o que ele deveria fazer? Como ele deveria fazer? Se ele chorasse em voz alta os guardas de Sua Alteza apareceriam? Não … não que isso fosse uma má ideia, mas Cicatriz Sinistra só precisaria levantar a mão para tirar a vida de Brian. Por isso, Brian precisava se afastar dele, caso contrário, seu destino seria como o de Galgo.

Ao pensar sobre Galgo, os olhos de Brian ficaram um pouco sombrios.

Antes de Vila Fronteiriça ser estabelecida, ele e Brian já viviam aqui. Eles cresceram e jogaram muitas vezes juntos, até mesmo foram para a patrulha juntos, o que tinha sido ideia de Brian. Galgo nunca tinha esperado que ele próprio seria eleito como capitão da patrulha.

Brian tinha ficado feliz por demais, mas por causa de sua gagueira, Galgo era desprezado pelos demais. Mas hoje, ele finalmente teve a chance de ser reconhecido — finalmente uma oportunidade chegou — Brian pensou.

Entretanto, quando Galgo foi morto, Cicatriz Sinistra disse sarcasticamente para Brian o verdadeiro motivo pelo qual todos elegeram Galgo como capitão.

— Seu idiota, ele foi eleito porque um trabalho importante do capitão é ficar para trás durante os Meses dos Demônios e cuidar das coisas da vila, como acender as chamas para tocar o alarme. Por que eu iria fazer uma coisa tão perigosa dessas? Então é claro que nós deixamos ele e você fazerem isso.

Esta frase entrou diretamente no ouvido de Brian como se fosse uma agulha no tímpano.

Então todas aquelas recusas cordiais para a vaga de capitão … aquelas felicitações, tudo aquilo era falso e seus motivos são piores ainda. — Brian pensando nisso e ficou em choque. Mas ele tentava parecer desesperado, para encobrir a raiva furiosa dentro de seu coração. Isto era simplesmente indesculpável! Brian secretamente ficou furioso e alguém teria que pagar o preço por isso!

Depois de caminhar por meia hora pelos esgotos secos, a grupo finalmente pôde ouvir o som de água corrente.

Isso significava que eles não estavam longe de seu destino.

Após virarem numa curva, a passagem ficou muito mais aberta e iluminada, acomodando até mesmo duas pessoas lado a lado. A pessoa que ia na frente do grupo disse:

— Não há nenhuma passagem à frente, é a boca do poço.

— E agora? — Cicatriz Sinistra perguntou enquanto cutucava Brian com a espada.

— Fala pra ele olhar pra cima — Brian falou —, porque a gente já chegou.

Este canal abandonado estava apenas à meio caminho do castelo pelos esgotos. Na época dos reparos, talvez devido à negligência, eles não selaram este canal. Cicatriz Sinistra se aproximou da parede e observou atentamente. Ele percebeu que a água corrente que estava agora em seus pés, tinha quase 1 m de profundidade no poço em sua frente, e quando ele olhou para cima, pôde ver o céu estrelado pelo pequeno buraco.

Ele deixou outras pessoas ficarem de olho em Brian, enquanto tirava uma corda de sua mochila e prendia um gancho. Assim que jogou a corda com o gancho para cima, todos ouviram um som metálico, confirmando que o gancho firmemente se fixou na borda do poço.

Cicatriz Sinistra subiu pela corda e lentamente saiu do poço. Então ele puxou todos pela corda, facilitando a subida.

Após uma longa espera, finalmente foi a vez de Brian subir o poço. Antes, eles conseguiam ver o castelo bem longe, mas agora estava ali, bem na frente deles.

Cicatriz Sinistra pegou Brian e ordenou silenciosamente:

— Você vai com a gente até o armazém.

Brian só tinha vindo aqui uma vez. Embora em sua memória a imagem do castelo não era nítida, ele ainda sabia onde eles estavam. Se eles abrissem a porta mais próxima ao poço, eles iriam entrar diretamente no castelo.

Neste momento, a maioria das pessoas no castelo já tinham ido dormir, e as lamparinas penduradas na parede do corredor já haviam se apagado. Na escuridão, alguém tinha que acender uma tocha. O fogo fraco iluminada apenas um raio de poucos metros, mas Brian estava esperando por sua chance, o que certamente viria.

Quando a equipe chegou em uma bifurcação no caminho que levava para o porão, ele apontou para a escada que levava para baixo, e de repente passou correndo pelos homens que estavam o escoltando. Estes homens foram pegos de surpresa, mesmo prestando atenção a cada movimento de Brian. Ele simplesmente pulou rápido demais! Os outros não conseguiram responder a tempo, mas logo reagiram e pularam atrás dele.

Brian caiu da escada, fora do alcance da luz e desapareceu na escuridão.

— Porra, mais que merda! — Cicatriz Sinistra imediatamente tirou sua adaga e pulou para tentar apanhar Brian. Ele pensou que Brian aproveitaria a escuridão e brincar de esconde-esconde com ele, mas tão logo Cicatriz Sinistra desceu, ele ficou surpreso ao perceber que Brian não escapou. Ao invés disso ele ficou pacientemente no final das escadas como se ele estivesse esperando por ele.

Cicatriz Sinistra observou que seus outros cúmplices já estavam estirados no chão, imóveis, e nas mãos de Brian estavam as suas armas.

— Seu idiota, você acha que tem alguma chance de ganhar de mim? — Cicatriz Sinistra assumiu uma postura de alerta, e ele também podia ouvir seus outros homens descendo os degraus — Temos sete pessoas e você está sozinho.

Brian não respondeu, pois ele já não precisava mais segurar toda a sua raiva. Ele brandiu sua espada e rapidamente cortou em diagonal para baixo, acertando a adaga de Cicatriz Sinistra, criando instantaneamente faíscas. Antes de Cicatriz Sinistra se posicionar defensivamente, a ponta da espada de Brian já havia perfurado seu ombro!

Cicatriz Sinistra rosnou aflito e deu um passo para trás para deixar outro homem um passo à frente, bloqueando os golpes de Brian.

Este era um excelente lugar para Brian lutar. Com corredores estreitos, seus oponentes simplesmente não poderiam tirar proveito de sua superioridade numérica. Ele apenas ficou no centro do corredor com apenas um inimigo em sua frente. Ele seria capaz de lutar contra duas pessoas ao mesmo tempo, com três espadas sendo brandidas lado a lado.

Em luta com espadas e esquiva, Brian não se intimidaria contra ninguém da patrulha.

Enquanto este grupo de vermes preguiçosos estavam jogando e bebendo nos bares, ele ainda estava aprimorando suas habilidades de combate, independentemente se estivesse ventando, com geada, chuva ou neve, ele treinava sem parar durante todo o ano. Foi por isso que ele escolheu lutar e não pedir socorro imediatamente.

E principalmente, ele queria vingar Galgo pessoalmente.


Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: