LAB – Capítulo 27 – 3Lobos

LAB – Capítulo 27

Uma brincadeira amigável

O clima estava cada vez mais frio conforme os dias iam passado, e cada dia Roland acordava mais e mais tarde.

Como um membro da classe dominante, ele certamente tinha o direito de ficar deitado mais tempo na cama, até o finalzinho da manhã. Em particular, cada vez que ele deitava em sua cama com um cobertor de veludo, ele sentia como se estivesse caindo em nuvens feitas de algodão, e postergar um pouco para estender esse sentimento, ajudava bastante a melhorar o seu humor.

Depois de Roland lavou o rosto e enxaguou a boca, ele entrou em seu escritório, onde Rouxinol já estava esperando por ele por um longo tempo.

— Bem, aqui está o seu café da manhã. Eu já comi metade dele enquanto ainda estava quente. Mas agora já esfriou. —Rouxinol disse fazendo um beicinho e apontando para a mesa que tinha só metade do pão. Olhando para esta cena, parecia que ela era dona do escritório e não Roland.

— Será que ninguém ensinou a você a ser humilde na presença de um príncipe? — Roland estendeu a mão para pegar os pratos enquanto sentava em sua mesa — Eu ainda me lembro que no início você levava a etiqueta muito a sério.

Ele suspirou. Ele realmente não pensou que Rouxinol ficaria sempre ao seu redor, em vez de acompanhar Anna. Parecia que ela não estava em uma missão, e sim passeando naquele lugar sob o sol. Antes, ela sempre se escondia. Mas agora, se não houvesse estranhos ao seu redor, ela aparecia abertamente no escritório e sem usar o capuz.

— Assim? — Ela pulou da mesa e fez uma saudação perfeita — Recentemente você começou a se levantar tarde. Então, eu pensei que comer o seu café da manhã iria ajudar você com esse pequeno problema, Vossa Alteza. — Ela inclinou-se em direção a Roland — De qualquer forma, você não se importa, certo? Eu posso ver que você não gosta destes rituais tediosos.

Seu comentário foi preciso. Roland amaldiçoou ela em silêncio. — Existe alguma coisa que ela não viu?

Ele suspirou.

— Pode comer todo o café, então. Se você começa alguma coisa, então você precisa terminar essa coisa. Se eu quiser comer eu busco outro.

— Como quiser, Vossa Alteza! — Ela gentilmente sorriu e pôs os pratos ao seu lado.

Roland desenrolou um pergaminho em branco, e começou a terminar o projeto complementar que ele tinha desenhado parcialmente.

Se ele quisesse defender Vila Fronteiriça, ele precisava fazer alguma coisa, pois não seria nada fácil conduzir a vila após uma vitória trágica em sua primeira batalha. Além disso, a nova milícia não tinha nenhuma experiência em batalhas. E era por isso Roland estava preocupado, pois se eles tivessem grandes perdas, a milícia recém-formada não teria onde buscar coragem para permanecerem firmes defendendo a muralha da vila.

Ele precisava das armas de sua época para ganhar uma vantagem absoluta sobre as bestas demoníacas. Sem dúvida, as armas ajudariam.

Na verdade, Roland tinha à sua disposição, nesta era, tudo o que era necessário para fabricar armas de fogo. Os alquimistas criavam um tipo de pó, que era chamado de ‘pó de neve’, e era usado para celebrações da realeza. Mas essa neve em pó não possuía uma formula correta para fabricar a pólvora, além disso, ela queimava lentamente e causava pouco dano, era mais como fogos de artifício.

Nos próximos cem anos, o protótipo de armas utilizáveis ​​para a guerra provavelmente iriam aparecer. Tais armas de fogo, por causa de sua operação complicada, exigiria a colaboração de duas pessoas para atirar. Em circunstâncias normais, elas só seriam usadas como uma arma de um tiro só. Mas em termos de poder de fogo, elas ainda não eram comparáveis ​​com as de um arqueiro bem treinado.

Roland certamente não estava interessado em repetir a história.

Com a ajuda do motor a vapor e as habilidades das bruxas, ele poderia criar armas que tinham valor palpável para serem utilizadas na guerra do porvir.

— Eu vi a ordem de compra na sua mesa enquanto você estava dormindo — Rouxinol engoliu o último pedaço de pão, e depois casualmente perguntou —, o que você pretende fazer com tanto gelo? É inverno. Se você quer beber cerveja gelada você só precisa deixar do lado de fora, então por que você precisa comprar gelo extra?

A alta nobreza gostava de usar gelo no verão, eles usavam o gelo juntamente com salitre para desfrutar de leite gelado, suco de fruta, ou vinho. Mas como agora era a época de frio, o preço do salitre estava muito baixo.

— Para fazer queijo congelado[1], a temperatura atual não é baixa o suficiente —, Roland respondeu.

Embora a mulher em sua frente não era uma inimiga, ele não poderia falar abertamente e contar todos os seus planos como fazia com Anna. A motor a vapor era algo diferente, mas coisas como armas de fogo não requerem um alto nível de compreensão tecnológica para entender sua função. Uma vez conhecida, a sua distribuição não poderia mais ser controlada. Enquanto ele não soubesse que tipo de pessoa Rouxinol era, seria melhor manter algumas coisas em segredo. Neste ponto em seu raciocínio, ele praticamente suplicou para Rouxinol:

— Será que a Associação Cooperativa das Bruxas não está só interessada em encontrar a Montanha Sagrada, mas também em treinar bruxas como assassinas?

— Não, elas simplesmente se juntam em grupo para procurar a cura de sua vida miserável. — Rouxinol acenou com a mão com desdém — Eu me juntei à Associação Cooperativa das Bruxas, mas isso foi apenas há dois anos.

— Em outras palavras, você estava trabalhando antes para alguém? — Suas excelentes habilidades com facas de arremesso eram o resultado de anos de treinamento duro e boa instrução, o que fez Roland chegar à essa conclusão — Então, além de mim, há também outras pessoas dispostas a oferecer um abrigo às bruxas?

— Abrigo? — O rosto de Rouxinol ficou um pouco estranho — Como poderia dizer … se ele soubesse que eu era uma bruxa, ele não teria me deixado sequer entrar pela porta. Temo que ele teria me matado em segredo se eu tivesse ficado com ele depois de me revelar.

— Oh? Você poderia me contar mais?

Rouxinol sorriu e balançou a cabeça, mas desta vez o sorriso continha muitas emoções difíceis de decifrar.

— Vossa Alteza, eu vou contar tudo, mas você precisa esperar o momento certo. Eu sei que você está ansioso para saber, mas acredite em mim. Cinco anos atrás eu tive a minha liberdade, e agora eu já não preciso trabalhar para mais ninguém.

Seu teste de verificação falhou — parece que o meu charme não é alto o suficiente, ah … — Roland pensou, mas as respostas de Rouxinol confirmaram pelo menos um de seus pressupostos. Pelo menos cinco anos atrás, ela era uma pessoa que estava envolvida em algum negócio obscuro. Felizmente, parece que as habilidades e o conhecimento de Rouxinol eram aparentemente uma coincidência, e seu ex-empregador não era como ele, que pretende empregar um grande número de bruxas.

Roland não prosseguiu mais neste ponto, ao invés disso, ele se inclinou sobre seu desenho para terminá-lo.

Depois de algum tempo ele estava um pouco surpreso que Rouxinol, normalmente tagarela, agora estava quieta e o único som na sala era a da brasa queimando. Em um certo momento, Roland levantou a cabeça para esticar o pescoço dolorido e não percebeu qualquer sinal dela no escritório.

— Ela saiu sem dizer nada? —Ele murmurou, enquanto enrolava o pergaminho em suas mãos para colocar em seu bolso.

Durante os próximos dias, Roland esteve ocupado com o desenho dos projetos de armas ou com o teste dos projetos já acabados.

Sua intenção era fazer a famosa pistola de pederneira. Este tipo de arma já foi testada durante o curso da história, e a dificuldade era fazer uma arma similar a um arcabuz. Primeiro a pólvora tinha que ser inserida e em seguida, a arma precisava ser carregada com uma bala de chumbo. A taxa de disparo era de aproximadamente três tiros por minuto, e por isso que elas não exigiam muita habilidade para lidar com as bestas demoníacas.

A maioria das bestas demoníacas não poderia escalar a muralha, então a distância de disparo era aproximadamente igual à altura da muralha, que tinha 3,6 m. A esta distância, mesmo com uma má pontaria, seria possível acertar as bestas, e a bala de chumbo também não perderia muito do seu poder. Se apenas as peles das bestas demoníacas evoluíram para ser tão dura quanto aço, então elas poderiam facilmente ser baleadas e mortas.

A desvantagem estava no tempo de produção de uma pederneira. Tudo começa com a fecho de mecha. O ferreiro precisava martelar o fecho lentamente na forma desejada a partir do tambor para o gatilho. Toda a produção de uma arma levaria cerca de três meses, e o tambor seria o responsável pela maior parte. Em primeiro lugar tinha que ser batido em uma forma fina e cilíndrica, e, em seguida, as ranhuras em espiral deveriam ser esculpidas. Embora sem o equipamento certo a produção era bastante sofisticada para a época, ainda assim seria possível para um exímio ferreiro fazer um bom tambor .

Esta foi também uma das razões pela qual Roland criou o motor a vapor, em primeiro lugar.

Com o motor a vapor, ele poderia usar a broca de aço para perfurar diretamente no ferro sólido, e com isso a velocidade de produção poderia ser significativamente aumentada. Ele não precisaria de um mestre ferreiro para fazer o trabalho, ele só precisaria de uma mesa sobre a qual ele pudesse fixar o tambor.


 

 

[1] Aqui temos uma referência aos primeiros tipos de sorvete dessa época. Queijo congelado era uma sobremesa típica francesa na idade média, também chamada fromage glacé, onde se utilizava leite, açúcar e limão, além do queijo, é claro. Link para referência em inglês.

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: