LAB – Capítulo 26 – 3Lobos

LAB – Capítulo 26

As lições que a História nos ensina

— Vossa Alteza, o que significa tudo isso? — Carter pensava que as atitudes do Príncipe eram situações isoladas, mas agora ele achava que o Príncipe podia realmente estar louco.

Com relação ao treino de um soldado, Carter, que era um cavaleiro-chefe, não achava que houvesse uma maneira mais profissional do que a sua própria maneira. Sua família tinha um conjunto completo de métodos tradicionais de treinamento. Desde a idade de dez a quinze anos, haveria apenas cinco anos para desenvolver o corpo e dominar todos os tipos de armas usadas ​​por um soldado. Se eles fossem treinados por mais de cinco anos, então eles se tornariam um soldado superior, conhecido como um Cavaleiro. Obviamente que eles não poderiam ter origem humilde, deveriam ser da aristocracia.

Olhando para o grupo de idiotas na frente dele, que só pensava em comer ovos cozidos, Carter ficou extremamente zangado! Afinal … ovos são caros!

Roland falou diretamente, mas em um tom baixo, somente para Carter ouvir.

— Dê uma boa olhada e lembre-se de tudo. Este é o tipo de treinamento que deve ser realizado nos próximos dias. Claro, alguns detalhes irão mudar. Mas fique tranquilo que vou escrever tudo em um papel.

Na era das armas frias[1], dois ou três meses de treinamento eram suficientes para formar um grupo de bons soldados? Roland não pensava sobre isso e, na verdade, ele não precisava de guerreiros espartanos vestidos com cuecas, capazes de rasgar animais selvagens com as próprias mãos. A força de combate individual das pessoas que Roland selecionou, poderia até não ser lá grandes coisas, mas eles precisavam ser bem disciplinados e ser capazes de executar todas as ordens sem falhar.

Na maioria das vezes, a força do grupo é mais importante do que a força individual. Então, ele precisava deles para formar rapidamente uma unidade. Para realizar esta tarefa de forma rápida e passar para o treinamento militar, essa foi a melhor escolha. Por experiência própria, ele sabia que um mês seria suficiente para formar um grupo de pessoas oriundas de todo o país, em uma forte unidade coesa. Independentemente do processo, o objetivo era claro.

E quando esse grupo de pessoas aprendessem a seguir ordens, Roland poderia começar a implementar o próximo passo de seu plano.

Van’er não conseguiu o ovo cozido a mais para a próxima refeição.

Desta vez, eles tinham que ficar o dobro de tempo da rodada anterior, até que as pernas de um sujeito ficaram tão fracas que ele foi incapaz de perseverar.

Assim, neste momento, o 4ª Príncipe permitiu que todos descansassem um pouco e então ele ordenou que o almoço fosse servido. Assim, o grupo poderia transferir a raiva que estavam do sujeito que não conseguiu aguentar até o fim, em um sentimento de antecipação pelo almoço. Por conta disso, Van’er começou a suspeitar de que Sua Alteza provavelmente nunca teve a intenção de deixar o grupo comer o segundo ovo cozido.

O almoço estava estocado em quatro barris enormes, que foram transportadas por carruagens por fora da vila. Além da comida, as carruagens também continham muitas tigelas e colheres.

Van’er lambeu os lábios, pronto para saltar sobre as carruagens. Mas ele, juntamente com todos os outros foi interrompido pelo cavaleiro-chefe, que estava na frente deles.

Sua Alteza Real, o Príncipe, ordenou que todos se alinhassem em quatro fileiras e se apresentassem um por um para pegar seus talheres. Quem perturbasse a ordem seria forçado a recuar para o fim da fileira e comer por último.

As fileiras estavam muito barulhentas, pois todo mundo se exprimia para conseguir ficar em uma boa posição. Van’er teve muita sorte, ele estava na vanguarda da fileira mais externa. Claro, algumas pessoas expressaram seu ressentimento de forma intensa. Então, todo mundo podia ouvir algumas pessoas esbravejando e insultando uns aos outros para pegar um lugar melhor. Logo, os cavaleiros e vários guardas correram para a multidão pegando os manifestantes e os enviando para a parte de trás de cada fileira.

Mas são uns idiotas mesmo — Van’er pensou quando viu o homem na vanguarda dos manifestantes. Ele o reconheceu. Ele era o melhor lutador de rua na vila, também conhecido como Punho Insano. Ele geralmente contava com a força bruta para atrair problemas em todos os lugares.

Agora, olhando para ele que só dependia do seu punho, lutando contra cavaleiros e guardas armados com espadas, tudo isto conferia uma cena lamentável.  — Olha só como ele está miserável agora! Um pobretão!

Van’er sentiu que ele já tinha entendido as intenções de Sua Alteza.

Todos estes homens deveriam se tornar uma unidade.

Estando em linha reta, lado a lado, a equipe teve que formar fileiras. Todos tinham que formar fila para conseguir comer, sempre mantendo a ordem. Van’er já tinha escutado uma história de um homem de negócios experiente, que alguns da nobreza tinham um estranho hobby. Todas as coisas precisavam estar em ordem, e tudo o que saíssem da ordem, deveria ser posto em ordem novamente.

Na opinião de Van’er, este tipo de pessoa estava simplesmente entediada e não tinha nada melhor para fazer. Então eles iriam, deliberadamente, até mesmo encontrar alguns problemas para se ocuparem.

Ele não esperava que Sua Alteza Real seria uma dessas pessoas.

Quando as tampas dos barris foram abertas, Van’er podia sentir o forte aroma da comida.

Quando o cheiro se espalhou, ele quase se descontrolou por conta da tentação. A multidão também ficou inquieta, mas ao mesmo tempo um rugido para ficar quieto veio do cavaleiro-chefe. Van’er pensou que eles provavelmente tiveram que fazer a fila ficar em ordem novamente.

Com certeza, a 4ª Príncipe fez todos pegarem seus talhes e pratos primeiro, para depois irem se servir.

Apesar disso, todos eles tiveram de engolir a saliva e reter seus estômagos que estavam roncando de fome. Vendo o exemplo vivo de Punho Insano, todos ficaram em silêncio, esperando pacientemente pela comida.

Os barris estavam cheios de um mingau quente de trigo. Para surpresa de Van’er, ele descobriu que o mingau também tinha pedaços de carne-seca! Embora fosse apenas pequenos pedaços de carne seca, ainda assim era carne! Depois de servir sua parte de mingau, ele também teve seu desejo: o ovo cozido!

Van’er quase devorou ​​seu almoço. Parecia que ele não tinha comido há dias, enquanto lambia o fundo de sua tigela de novo e de novo depois de terminar de comer. Ele nem sequer teve tempo para mastigar o ovo cozido, engolindo ele inteiro, direto para o estômago. Como ele comeu muito rápido, ele percebeu que sua língua estava com algumas bolhas, porque o mingau estava muito quente.

Depois de colocar a tigela vazia para baixo, Van’er acariciou sua barriga e, felizmente, arrotou. Ele não apreciava uma refeição deliciosa dessas há um longo tempo. E ainda mais incrível era que ele realmente sentiu uma sensação de saciedade. Comer mingau de trigo com pão preto, mesmo se estivesse no céu, com certeza não poderia ser melhor. Se ele pudesse comer assim todos os dias, mesmo lutando na linha de frente contra as bestas demoníacas valeria a pena, certo?

O treinamento seguiu e depois do jantar, todos eles tiveram um longo tempo para descansar. Durante este tempo, todos foram trazidos de volta para dentro da muralha da vila, andando todo o caminho a pé até o acampamento de patrulha da vila. Um homem corpulento, com a patente de um Patrulheiro saiu e começou a ensiná-los a montar tendas.

Van’er o conhecia, na verdade, todos sabiam quem era o Machado de Ferro. Sua exímia habilidade no tiro com arco deixava até mesmo o caçador mais experiente da vila pensando que estava no auge da perfeição. — Ei, espera aí, desde quando o Machado de Ferro trabalha para o 4º Príncipe? — Parecia que ele tinha visto o Machado de Ferro ficar ao lado dos cavaleiros antes. Van’er franziu a testa. — Mas o que Sua Alteza Real está planejando? Ele é um ex-cidadão da Nação da Areia.

— Você realmente tem a intenção de nomear um homem da Nação da Areia como capitão? — Carter estava segurando essa mesma pergunta — Ele não pertence a Castelo Cinza. Ele não é nem mesmo uma pessoa de nosso continente.

— As bruxas também não pertencem a Castelo Cinza — Roland discordou—, mas todos eles pertencem a Vila Fronteiriça. Além disso, você não vê o que está acontecendo?

— Mas, Vossa Alteza …

— Não se preocupe — Roland deu um tapinha no ombro do cavaleiro —, em Vila Fronteiriça, nós não nos preocupamos com a origem de qualquer pessoa que seja. Enquanto essa pessoa não violar as leis do Reino, eles serão todos meus súditos amados. Você realmente não precisa se preocupar. Você também pode escolher dois capitães. De qualquer forma, no futuro, vamos ampliar o número de equipes, por isso não seria ruim nós cultivarmos alguns talentos promissores agora. Ah, é mesmo! Eu já escrevi todo o treinamento para você. Comparado com o povo da Nação da Areia, eu acho que você deveria estar mais preocupado com isso.

Carter pegou o pergaminho das mãos de Roland. Olhando rapidamente seu conteúdo desde o início até o fim, e de repente ele se sentiu meio zonzo. Todo conteúdo do treinamento era praticamente inédito. Por exemplo, no período da tarde, após o almoço, todos deveriam dar voltas em torno de Vila Fronteiriça até o pôr do sol. O treinamento ainda enfatizava que todos tinham que fazer isso e que eles estavam autorizados a ajudar uns aos outros no percurso, caso necessário. Se eles perseverassem sem desistir até o fim, todos eles iriam obter um ovo cozido a mais no jantar. Outro exemplo era que eles precisavam reportar imediatamente qualquer uivo de lobos que ouvissem durante a noite. Carter estava com medo de que com esse tipo de treinamento, a maioria dos recrutas iriam ficar agitados e mal conseguiriam dormir à noite.

Se os primeiros exercícios já eram difíceis de entender, então o último, deixou Carter extremamente confuso. Ele leu em voz alta:

— Todos os dias, após o jantar, todos eles precisam frequentar as aulas no colégio do sr. Karl para receberem educação formal.

— Vossa Alteza … qual é o significado dessa educação formal? Eles vão precisar aprender a ler e a escrever?

— Eu espero que sim, mas o tempo é muito curto. Karl só conseguirá ensinar a eles algumas palavras simples e números. Esta parte, vou pessoalmente explicar a Karl. Você só precisa enviar eles para as aulas.

— Mas, por que você quer fazer isso? Aprender a ler e escrever não será útil para combater as bestas demoníacas!

— Quem disse isso? — Roland teve que bocejar — Uma boa unidade também deve ser educada. Esta é uma das lições que a história nos ensina.


 

 

[1] O conceito que o autor usa nesta história separa as armas em armas frias e armas de fogo.

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: