LAB – Capítulo 155 – 3Lobos

LAB – Capítulo 155

Novos visitantes

Pela primeira vez desde que transmigrou em Vila Fronteiriça, Roland obteve os produtos de sua primeira negociação, e a quantidade de materiais foi surpreendente.

O preço de um mero motor a vapor foi de quinhentas peças de ouro. Dois motores tinham de ser entregues no primeiro mês, e em seguida a quantidade aumentaria em um a cada mês seguinte, até chegar ao total de dez motores a vapor. Suporte técnico, peças de reposição e manutenção dos equipamentos exigiria muitas peças de ouro adicionais. Roland disse que nunca tinha ouvido falar deste tipo de negociação antes, referente ao serviço de pós-venda, além de um compromisso de três entregas.

Barov estava animado com o acordo, pois na sua opinião, qualquer atividade que pudesse trazer receita para Prefeitura valia a pena elogiar, seja ela comercial ou pilhagem. Havia também aqueles que se opunham a ele, como Carter, Pergaminho, e Rouxinol, que questionava todos os detalhes desta negociação. Eles pensavam que era muito cedo para vender essas máquinas para as pessoas de fora, pois sequer havia o suficiente para Vila Fronteiriça.

Roland não se incomodou em explicar com detalhes, porque ele não estava encarando este negócio do ponto de vista de um lorde de vila. Ele tomou a decisão como um promotor da industrialização.

Era quase impossível fazer o processo de industrialização social acontecer somente com sua própria força, mesmo que ele tivesse o conhecimento para fazê-lo. A capacidade de consumo da vila era extremamente limitada, e os produtos industriais fabricados não eram diferentes de sucata, pois ninguém comprava. Para fazer esta nova mudança no status quo e trazer esta nova onda de operação e mudança, muito mais pessoas seriam necessárias.

O que ele poderia ganhar com a venda de motores a vapor? Dinheiro suficiente, muitos postos de trabalho, e um número de trabalhadores qualificados, o que era o mais importante. Este era também o motivo para Roland ter reduzido a produção.

A capacidade de Anna tinha melhorado muito, e a eficiência da produção foi reforçada. Enquanto houvesse matéria-prima suficiente, ela poderia produzir um motor a vapor todos os dias. Mas, vender tais produtos era apenas… ‘vender produtos’.

Se Roland quisesse promover o desenvolvimento desta indústria, de fato, ele teria que criar uma equipe especial responsável pela produção, montagem e manutenção. Nos planos de Roland, ele precisava abrir uma fábrica, produzindo ferramentas para produção, como um moinho, para que a produção do motor a vapor fosse entregue aos trabalhadores. Entretanto, ele esperava que a eficiência da produção fosse baixa na fase inicial, e a qualidade do produto seria terrível. Mas tudo iria melhorar pouco a pouco. Com a ajuda das ferramentas feitas por Anna, e com os trabalhadores familiarizados com o processo de fabricação, a taxa de produção seria muito maior.

O próximo passo seria a de ampliar a escala de produção e treinar trabalhadores mais qualificados para trabalharem com todo o potencial do maquinário. Trabalhadores experientes iriam dar à vila a capacidade de fabricar produtos mais avançados, como os trens a vapor, navios a vapor, etc. Não havia dúvida de que este era um círculo virtuoso. E os motores a vapor que tinham sido vendidos também poderiam criar benefícios indiretamente, pois eles poderiam ser usados para a mineração, o que poderia reduzir os preços do minério. Caso fossem utilizados para o transporte, poderia promover o comércio. E se fossem utilizados para a indústria têxtil, poderiam compensar essa carência em Vila Fronteiriça.

Roland queria fazer motores a vapor pulular em todo o país, desde que essas máquinas fossem advindas de Vila Fronteiriça. Assim que ele unificar o Reino de Castelo Cinza, ele iria economizar um belo trabalho.

Ele também considerou a possibilidade de que os compradores pudessem imitar os motores a vapor, mas o novo motor possuía cilindros perfeitamente circulares que só podiam ser feitos pela fresadora, juntamente com algumas peças complexas deliberadamente projetadas. Baseando-se no nível atual da tecnologia, seria difícil criar máquinas qualificados em um curto espaço de tempo. Mesmo com uma bruxa como Anna, isso ainda seria muito difícil.

Roland deveria estar feliz por ter uma grande encomenda e por ter encontrado um canal de vendas direta para seus produtos industriais, mas ele não estava contente.

— Tudo está indo tão bem, então por que Vossa Alteza ainda está infeliz? — Rouxinol sentou em sua mesa com as pernas para cima, segurando um prato com peixes secos em seu colo — O senhor ainda está preocupado com a Igreja?

Quando Pergaminho não estava lá, Rouxinol se comportava casualmente, e o canto da mesa e poltrona eram seus locais habituais. Para outros Lordes, isto soaria obviamente ofensivo, mas Roland não se importava, e ela sabia disso.

— Eu estive pensando por que a Igreja apoiou a mim e Garcia para concorrer ao trono, ao mesmo tempo, e agora eu entendo. Se eu estiver certo, acredito que Timothy também recebeu um convite da Igreja. — Roland disse com uma cara preocupada.

Além do pagamento pelos motores a vapor, Margaret também trouxe muitas informações, uma das quais deixou Roland surpreso. A Igreja tinha atacado e tomado o Reino de Inverno Eterno. E de acordo com a declaração da comerciante, eles pretendiam invadir o Reino de Coração de Lobo. Esta notícia veio como uma bomba, no entanto, confirmou todas as suas suspeitas.

— A Igreja ofereceria suporte para três concorrentes ao trono?

— Não, a intenção deles não é apoiar, mas exaurir. — Roland disse balançando a cabeça — A Igreja não se importa que a guerra está se espalhando por todos os Reinos. Ao contrário, eles estão felizes em ver o Reino de Castelo Cinza cair em guerra civil, e eles não estão preocupados se as Igrejas e crentes estão envolvidos na guerra. O Reino de Castelo Cinza, com seu vasto território e numerosos cidadãos, não é tão fraco quanto o Reino de Inverno Eterno. Se a Igreja pretendesse utilizar toda a sua força diretamente, o Exército do Julgamento iria sofrer muitas perdas. Só depois de matar uns aos outros é que eles seriam capazes de ocupar o Reino de Castelo Cinza com o menor custo. Pois até lá, eles podem ter tantos crentes e igrejas o quanto quiserem, afinal, essas pílulas… são apenas armadilhas que a Igreja preparou com antecedência.

O Decreto Real sobre escolha do herdeiro emitido pelo Rei Wimbledon III era equivalente a dar a Igreja uma oportunidade para manipular a situação. Se os Reinos de Castelo Cinza, Coração de Lobo e Inverno Eterno fossem destruídos, o Reino do Alvorecer poderia não existir mais. O verdadeiro propósito da Igreja era, provavelmente, a reunificação dos quatro Reinos, tendo em conta a lentidão da mensagem, bem como indiferença política do povo. Todas as pessoas podem voltar a si, em seu juízo normal, após encararem a morte de frente.

Essa também foi a razão que deixou Roland perplexo.

Nesta era, o povo ainda não tinha desenvolvido a noção de uma batalha unificada. Depender do apoio dos nobres de Castelo Cinza levaria ao desastre iminente. Quando chegasse o momento do ataque da Igreja, essas poucas pessoas na Região Oeste seriam as únicas em quem o povo poderia confiar.

— Mas o senhor tem uma nova arma. O Exército do Julgamento não é muito mais forte do que um Cavaleiro mediano, então eu não acho que eles possam derrotá-lo.

Roland lembrou que no passado, quando o padre veio visita-lo, Rouxinol ficou apavorada. Mas a confiança que ela tinha nos dias de hoje tinha ultrapassado a expectativa de Roland.

Ele sorriu fracamente e suspirou.

Não será difícil para Anna produzir uma arma de fogo de repetição, seja um fuzil ou revólver. — Roland pensou — Ainda assim, existe uma grande diferença entre produzir um protótipo e começar a produção em massa. De qualquer forma, seja um fuzil de repetição manual ou um revólver semiautomático, ambos possuem desempenhos excelentes[1]. Mas se o problema do disparo não for resolvido, estas novas armas não terão nenhum valor real. Como ainda não temos um meio de produzir fulminato de mercúrio, eu vou precisar usar um material alternativo para o disparo das armas.

Roland esperava que os guardas trouxessem boas notícias da Cidade Escarlate.

Neste momento, enquanto Roland recuperava sua empolgação, Raio voou para dentro de seu escritório. Ela trouxe uma notícia inesperada. Ao leste de Vila Fronteiriça, as bandeiras na encosta foram substituídas pela bandeira azul.

De acordo com ordens secretamente dadas por Roland, a bandeira azul era um sinal previamente acordado de que uma nova bruxa havia chegado.


 

 

[1] Para aprender um pouco mais sofre estas armas, aconselho ler este link de fuzil e de revólver da Wikipédia e este link que traz um bom resumo.

JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: