LAB – Capítulo 140 – 3Lobos

LAB – Capítulo 140

Sementes

Não muito tempo depois que o Ministro Adjunto saiu, o Príncipe recebeu uma boa notícia sobre o retorno de uma certa pessoa. Era seu guarda pessoal, Sean, que já havia ido até Porto de Água Clara para comprar sementes de várias espécies de plantas.

Roland seguiu os guardas que trouxeram a notícia até o jardim. Ele viu Sean e vários outros guarda-costas descarregarem muitos sacos das costas de vários cavalos. Fazia mais de um mês desde que Sean partiu para Porto de Água Clara. Ele estava visivelmente mais bronzeado e mais magro do que antes.

Quando ele viu o Príncipe, ele imediatamente se levantou e ergueu a mão em saudação. Roland acelerou seus passos, aproximou-se de Sean, dando um tapinha no ombro e dizendo:

— Bom trabalho. Que tipos de sementes você trouxe de volta?

Sean abaixou seu corpo e desamarrou os sacos no chão.

— Arroz pérola, ovo da terra, hastes de açúcar… Eu comprei todas as plantas que o senhor descreveu lá em Porto de Água Clara. A maioria delas são das ilhas de Fiordes, mas Porto de Água Clara também tem muitas fazendas que cultivam estas plantas agora.

— Você perguntou aos mercadores como essas culturas são cultivadas?

— Sim senhor, mas eles não foram capazes de explicar os métodos específicos. Eles ainda disseram que essas plantas são muito difíceis de cultivar fora da Região Sul. — Sean pegou uma porção de grãos laranja-amarelados de um saco e mostrou para Roland— Vossa Alteza, este é o arroz pérola. Um comerciante me disse que se eu comprasse juntamente com as espigas de pérola, ele iria oferecer isso para mim a uma taxa mais barata. Mas as espigas eram muito pesadas e inconveniente de transportar, por isso, só trouxe uma de volta, enquanto o resto são sementes descascadas.

Sem dúvida, o que Sean se referia como arroz pérola era na verdade milho, o qual Roland já estava bem familiarizado. Roland estava bastante animado e beliscou um grão de milho, observando-o sob a luz do sol. Seu fruto era um pouco enrugado, como se tivesse sido armazenado em um armazém durante o inverno. O rendimento do milho era, naturalmente, superior ao do trigo por uma boa margem, e talvez, depois que Ramos fizesse algumas modificações, poderia substituir logo trigo como o alimento básico de Vila Fronteiriça.

Sean abriu um outro saco e tirou uma semente rechonchuda e de pele escura.

— Esta aqui é o ovo da terra. Comi em uma pousada em Porto de Água Clara. Geralmente é cortada em tiras e deixadas na água por um tempo. É muito crocante e tem um sabor ligeiramente doce.

Quando Roland viu a forma familiar, ele ficou rapidamente eufórico, pois, claramente, isto era uma batata! Ele usou sua unha para raspar a pele coberta de sujeira, revelando a carne amarelo-escuro da batata e começou a comparar com as batatas que ele conhecia. O tamanho desta batata era relativamente pequeno, e a cor do tubérculo era mais escura. Além disso, nem todas aa batatas tinham a mesma forma de ovo. Ele notou que haviam batatas com longas formas no saco, parecidas com cenouras.

— Isto aqui é ainda mais saboroso quando for amassado e cozido até se transformar em uma pasta.

— Hã… Vossa Alteza, o senhor já comeu isso antes?

— Sim, em um banquete no palácio. — Roland decidiu mentir, mesmo porque ele sentiu que o nome ovo da terra era muito desagradável— Os chefs do palácio não chamam isso de ovo da terra, mas sim de batata. A iguaria cozinhada que acabei de dizer é chamada purê de batata.

— Entendi. Vossa Alteza é realmente experiente. — Sean exclamou. Ele então abriu o último saco, que ficou perfeitamente em pé, e pegou uma vara de pele negra — Sua Alteza, eu sinto que essa cultura será a mais importante. O mel é extremamente barato em Porto de Água Clara em grande parte por causa disso. Eu ouvi em uma taverna que muitas de suas fazendas mudaram para o cultivo dessas hastes de açúcar. Esta planta tem um gosto surpreendentemente doce, e depois de descascar a pele, pode ser espremida para extrair o açúcar. Seu preço é de um décimo do preço do mel, e não é menos doce do que a água mel[1].

—…

Roland queria comentar que ele também já tinha visto essa cultura antes, bem como sugerir mudar seu nome para cana, mas depois de pensar um pouco, ele desistiu da ideia e decidiu que não seria tarde demais mudar seu nome depois de permitir que seus súditos cultivassem esse tipo de cultura. A matéria-prima da cana pode ser utilizada para produzir sacarose, também pode ser utilizada para refinar o etanol, e, portanto, a cana pode ser considerada como sendo uma cultura capaz de aumentar consideravelmente o ânimo das pessoas. Não era muito difícil imaginar que, se açúcar branco fosse polvilhado sobre as panquecas de farinha geralmente insípidas, melhoraria muito o sabor. Mesmo Roland, que preferia muito mais alimentos salgados, iria se apaixonar por isso.

— Existem outras sementes para cultivar?

— Essa são as únicas disponíveis em Porto de Água Clara. — Sean tirou seis pequenas bolsas de couro de um bolso interno e entregou para o Príncipe — O senhor também me pediu para trazer de volta sementes de plantas que são encontradas em Castelo Cinza, mas não em Vila Fronteiriça. Estes sacos contêm sementes de plantas que eu escolhi durante a passagem por Vila do Salgueiro e pela Serra do Dragão Caído. Aqui tem sementes de uvas, soja, algodão, linho e sementes de oliva. A única coisa importante é que um agricultor me disse que as uvas são cultivadas principalmente fincando um ramo no chão. Embora as sementes possam ser usadas, ele disse que o período de germinação é muito longo e as uvas desta forma não iriam ter um gosto muito bom.

Nada disso é um problema com Ramos por perto. — Roland pensou.

Agora que tinha sementes de uva, Roland poderia até mesmo tentar transformar uma planta de trigo em um tipo de videira. Além disso, as sementes de soja, algodão, linho e de azeitonas eram todas culturas altamente úteis. Ele iria primeiro deixar Ramos modificar as sementes para se adequar ao clima da Região Oeste e do solo, e depois passá-las para os servos cultivarem em pequena escala, e, finalmente, obter do Ministério da Agricultura os resultados para as melhorias finais e compilar tudo isso em um manual de plantio e colheita.

— Vossa Alteza, eu tenho algumas outras novidades para relatar. — Sean disse em voz baixa — É sobre a situação em Porto de Água Clara.

— Relativo a Princesa Garcia?

Sean assentiu.

— Eu fiquei em Porto de Água Clara por quase duas semanas. Além de comprar sementes, a maioria do meu tempo livre foi gasto nas tavernas. Houve um rumor contínuo que sua irmã mais velha, Garcia Wimbledon, tinha chegado a um acordo com o povo da Nação da Areia. Ela iria oferecer regiões fronteiriças da Região Sul para o seu povo residir, e em troca, eles iriam proclamá-la como sua Rainha e atender às suas ordens e convocações. Durante o meu tempo no porto, eu de fato vi várias pessoas do Clã Mojin

— Os Mojin do Extremo Sul… — Roland ficou preso em seus pensamentos — O que eles mais desejam são oásis e fontes de água. Garcia realmente acertou no ponto fraco deles. No entanto, mesmo se ela for ousada como a Rainha de Água Clara, ela certamente não vai se atrever a deixar muitas pessoas da Nação da Areia entrarem em seu território, ou então a segurança de Porto de Água Clara será comprometida. O povo da Nação da Areia é dividido entre si em muitas facções. Não é possível que todos eles vão ouvir suas ordens. Você sabe quais Clãs ela conseguiu estabelecer um acordo?

Sean balançou a cabeça.

— O povo da Nação da Areia é extremamente cauteloso com as pessoas de Castelo Cinza. Eu não fui capaz de obter informações mais detalhadas, mesmo com peças de ouro. No entanto… algo muito estranho aconteceu. Eu estava pretendendo ir embora de Porto de Água Clara, mas um dia antes, Garcia voltou triunfante da Cidade da Águia, e em toda a cidade as pessoas celebravam a vitória de sua Rainha sobre o falso Rei Timothy. No entanto, no dia seguinte, houve quatro ou cinco casos de assassinato em toda a cidade, e uma vítima foi até mesmo feita em pedaços nas ruas. Posteriormente, Porto de Água Clara foi colocado em quarentena, e assim eu tive que ficar mais três dias. As tavernas foram fechadas e todos se reuniram no átrio da estalagem para discutir este assunto. Alguns disseram que esta era a vingança pelo falso Rei, enquanto outros disseram que os assassinatos foram cometidos pelo povo da Nação da Areia. Um comerciante de Fiordes alegou que ele testemunhou pessoalmente um dos assassinatos. O assassino não era grande em estatura, e claramente não era uma pessoa da Nação da Areia, mas a sua força e velocidade eram extraordinárias. Os guardas que chegaram para controlar a situação assim que souberam da notícia, foram todos exterminados por essa pessoa. Embora ele tenha sido esfaqueado várias vezes, ele não parecia afetado mesmo com seu sangue se espalhando por todo o lugar. Só quando mais guardas chegaram um atrás do outro é que foram capazes de derrubá-lo com escudos e lanças. Quando eles levantaram o bloqueio na cidade, não me atrevi a ficar mais tempo, e imediatamente pulei em um navio mercante voltando para cá.

— Você fez muito bem. — Roland ponderou por um momento — Não se incomode com a devolução das peças de ouro que sobraram para a compra de sementes para a Prefeitura. Pode ficar como sua recompensa.

— Obrigado pela recompensa Vossa Alteza!

— Força e velocidade extraordinárias, além de não ser afetado pela dor causada por facadas, isto soa muito como… a pílula da Igreja. — Roland ouviu a voz de Rouxinol próxima aos seus ouvidos, após os guardas se retiraram.

— Eu penso da mesma forma. Mas, se for assim, então tudo isso faz menos sentido ainda. — Roland respondeu, franzindo a testa — E de acordo com a explicação de Sean, Garcia iria receber as pílulas mais cedo do que eu. Se eles estão apoiando ambos os lados para lutar pelo trono… o que exatamente eles estão pensando? — Roland teve um pensamento fraco e desagradável em sua mente — Será que o verdadeiro propósito da Igreja é desestabilizar o Reino de Castelo Cinza?


 

 

[1] É como um xarope feito de água e mel.

JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: