LAB – Capítulo 114 – 3Lobos

LAB – Capítulo 114

Trovão

A grande quantidade de forças aliadas de Forte Cancioneiro estava em marcha para Vila Fronteiriça. A parte dianteira da força era composta de Cavaleiros das Seis Famílias de Forte Cancioneiro. Das várias armaduras que os Cavaleiros usavam, era fácil determinar quão forte era cada Família em relação aos outros. Sem dúvida, os mais atraentes deles eram os Cavaleiros do Duque Ryan, com seus cavalos da linhagem do rei dos cavalos de crina curta, excepcionalmente bons em corrida de longa distância e com um corpo maior do que os outros cavalos.

No entanto, mesmo que os cavalos parecessem tão incríveis, os Cavaleiros montados nos cavalos pareciam ainda mais poderosos. Suas armaduras foram criadas pela famosa ferraria de Forte Cancioneiro, chamada Martelo e Dente de Dragão, dando uma aparência de que as armaduras eram uma única peça. Em seus peitorais de aço estava esculpida uma enorme e brilhante cabeça de leão prateado, enquanto em seus ombros figuravam dois lobos, que pareciam estar abrindo a boca para rugir alto. Suas capas, que estavam balançando ao vento, tinham desenhos decorativos delicadamente bordados, e ao redor de sua cintura, cada um deles também tinha amarrada uma faixa vermelha.

Esses Cavaleiros não eram apenas atraentes. Todos os anos, após o fim dos Meses dos Demônios, eram exatamente esses Cavaleiros os responsáveis ​​por limpar os restos de bestas demoníacas e garantir que as estradas estivessem mais seguras. Cada um deles acumulou uma vasta experiência de combate ao lutar em diversas batalhas. Eles não eram muito piores do que os Cavaleiros do Rei, só estavam em menor número. Claro, como um Duque, o fato de Ryan poder suportar cento e cinquenta Cavaleiros de elite já era um feito incrível.

Então, quando Duque Ryan olhava para os Cavaleiros, ele sempre tinha uma expressão muito satisfeita. Ele jamais duvidou, nem por um segundo, que alguém no Oeste tivesse força suficiente para detê-lo.

Andando no meio da comitiva estavam os mercenários. Seus equipamentos eram muito piores, quando comparado com os Cavaleiros. A maioria de suas armaduras era alguma cota velha ou armadura de placas que não possuía luvas ou capacetes. Existia até mesmo algumas pessoas que só estavam equipadas com armaduras de couro barato. Além disso, os mercenários também usavam todos os tipos de armas diferentes. Enquanto caminhavam pela estrada, eles não conseguiam manter formação alguma, mas estavam sempre caminhando em pequenos grupos de dois ou três, muitas vezes rindo enquanto caminhavam. Qualquer pessoa que testemunhasse isso, poderia ter a sensação de que eles não estavam a caminho de uma batalha, mas sim pareciam estar em uma caminhada matinal com o início da primavera.

No final da formação, caminhando atrás dos mercenários, estavam os libertos que tinham sido obrigados a servirem pelos seus respectivos Lordes, arrastando atrás deles uma carroça de uma roda só, que carregava comida e tendas. Devido à diferença na velocidade de movimento das mil e quinhentas pessoas, a velocidade dessa comitiva estava muito lenta, de modo que os Cavaleiros na frente teriam que parar de tempo em tempo e esperar que as tropas atrás deles continuassem.

— Meu senhor! — O Conde Alce, Hirte Medde, puxou as rédeas de seu cavalo para que pudesse andar diretamente lado a lado do Duque — Estamos a meio dia de Vila Fronteiriça. Se continuarmos nesse ritmo, devemos chegar lá às quatro da tarde. Acredito que, agora, seria melhor deixarmos as tropas descansarem durante a noite, então, amanhã de manhã, podemos começar o ataque. Ou o senhor quer atacar imediatamente o castelo do Príncipe?

— Parece que você está querendo dormir na floresta. — Duque Ryan riu — Eu mesmo preferiria dormir na cama do castelo em vez de dormir na terra lamacenta. Claro, ainda temos que demonstrar um pouco de respeito à Família Real. Então, quando chegarmos em Vila Fronteiriça, enviarei mensageiros para persuadir o Príncipe a se render.

Conde Madressilva, andando ligeiramente na frente deles, virou-se e disse:

— A Cavalaria já passou um dia inteiro em viagem, tanto as pessoas quanto os cavalos já estão cansados, então começar um ataque direto não seria muito apropriado, certo? Afinal, apesar de ter apenas mineiros e caçadores, ainda é um fato que Roland Wimbledon conseguiu passar todos os Meses dos Demônios dentro de Vila Fronteiriça. Eu acho que seria melhor se permanecermos um pouco cautelosos.

— Hahaha, eu posso entender que os outros não saibam, mas até mesmo você não sabe a verdade sobre as bestas demoníacas? Meus velhos amigos, estas bestas são realmente assustadoras quando estão na natureza, elas se movem de forma rápida e ágil, além de terem uma força surpreendentemente. Em outras palavras, são inimigos mortais. Mas se você estiver parado atrás de uma muralha, então elas são apenas animais estúpidos. — O Conde da Família Alce deu de ombros — Eu estou mais surpreso com o fato de ele poder construir uma muralha tão rapidamente. Mas se depender somente disso, ele não poderá resistir ao poder de nossos Cavaleiros, não estou certo? Eles não são idiotas sem cabeças.

— Esse é exatamente o caso, e também recebi uma mensagem do Norte. — Duque Ryan disse — Este ano, em Hermes, eles tiveram que lidar com uma força excepcionalmente grande de bestas demoníacas, quase resultando na queda da Nova Cidade Sagrada. Então, pensando nisso de forma lógica, parece que as bestas demoníacas deste ano se concentraram principalmente naquela direção, e aqui na Fronteira Oeste só lidamos com as poucas que restaram.

Como Senhor de todo o território Oeste do Reino, os olhos de Duque Ryan não estavam apenas concentrados neste lugar remoto. Em todos estes anos, ele colocou muitos olhos em todas as principais cidades que continuamente passavam para ele todas as informações mais recentes. Mas, no momento, a trágica guerra no Norte não era o lugar onde Duque Ryan tinha seu foco principal. Alguns dias atrás, ele havia recebido uma carta secreta da Cidade do Penhasco Íngreme, informando que o novo Rei Timothy Wimbledon e a Rainha de Água Clara realizaram uma luta feroz no território Sul, na Cidade da Águia.  De acordo com as notícias, o exército de Timothy precisaria de um mês para retornar da Cidade da Águia.

A carta não mencionou o resultado da luta, só dizia que, após perder milhares de soldados de seu exército, Timothy retornou à Cidade do Penhasco Íngreme, o que impossibilitava o cerco contra sua irmã. Parecia também que Cidade da Águia se tornara vítima do fogo, pois nuvens negras de fumaça haviam coberto quase todo o céu. Esse espetáculo tinha sido testemunhado pelos moradores das cidades vizinhas.

Sem dúvida, independentemente de a Rainha de Água Clara ter morrido nas mãos de Timothy ou não, uma perda dolorosa de soldados é um golpe severo para o novo Rei. Esta carta deixou Duque Ryan tão inquieto que, naquela mesma noite, ele enviou alguns subordinados de confiança para a Cidade Real de Castelo Cinza e também para o território Leste, na esperança de saber mais sobre as circunstâncias de Timothy. Talvez, se essa grande batalha entre os Reis oportunizar a destruição do regime ainda instável do novo Rei, Ryan absolutamente não se importaria em jogar uma tocha nessa fogueira já acesa.

Se quisesse se tornar um Rei independente, agora seria a melhor oportunidade para Ryan. Os soldados do Norte foram enterrados sob os pés da Nova Cidade Sagrada, o Sul acabou de experimentar uma guerra e ainda estava deitado no chão lambendo suas feridas. Os Lordes do Leste e o novo Rei tão pouco estavam em situação melhor. Mas Ryan temia que, em alguns anos, todos eles voltassem ao poder. Se Ryan conseguisse algumas pessoas para atacar o Norte, ele poderia facilmente dividir o Reino de Castelo Cinza ao meio. Até então, o território e a população sob o seu governo são comparáveis aos do Reino do Inverno Eterno no Norte. Com as duas maiores cidades do Sudeste sob seu controle, sua força seria comparável com a de todo o Reino de Castelo Cinza.

E ele, Osmond Ryan, se tornaria o primeiro Rei neste novo país.

Depois de pensar nisso tudo, o Duque sorriu satisfeito. Ele queria acabar com a farsa do Príncipe hoje e amanhã ele voltaria imediatamente para casa.

Felizmente, três dias após tudo isso, eu poderei receber meus subordinados confiáveis ​​de volta ao castelo. Espero que eles tenham boas notícias para mim. — Ryan pensou.

À medida que o sol gradualmente descia no horizonte, aproximando-se do topo das montanhas, Duque Ryan podia finalmente observar a imagem ainda borrada de Vila Fronteiriça … e fora da cidade, ele viu uma série de silhuetas densamente juntas.

— Pai, Duque. — Rene, que estava encarregado da liderança na vanguarda, voltou para reportar — As pessoas na nossa frente devem ser os guardas do 4º Príncipe, todos estão armados, mostrando claramente que não pretendem nos receber.

— Bem, pelo menos não precisamos nos preocupar em ir ao castelo para pedir ao Príncipe se render. — O Conde riu — Diga aos Cavaleiros para diminuírem a velocidade e para ficarem esperando a uma distância próxima o suficiente para uma investida.

— Sim, pai.

Depois de receber suas ordens, Rene se virou e saiu.

Duque Ryan observou com mais cuidado seus oponentes. Aqueles guardas pareciam muito estranhos. Eles também estavam segurando armas estranhas, com uma formação lado a lado, em duas linhas. Se você chamasse aquelas armas de piques, seria o mesmo que dizer que a ponta do pique não estava certa, e o cabo estava muito curto. Além disso, suas contrapartes que adotaram a disposição de tropas treinadas também estavam dispostas de uma forma que desafiava o senso comum …

Sua linha de defesa é tão fina, eles não estão cavando suas próprias covas?

Isso deixou o Duque um pouco confuso. Mesmo que o Príncipe não tenha senso ou qualquer experiência em batalhas de verdade, ele ainda tinha alguns Cavaleiros e também seus guardas pessoais ao seu lado.

Será que eles não foram capazes de impedi-lo de fazer tal bagunça?

Ao pensar um pouco melhor na situação, Duque Ryan decidiu deixar os mercenários liderar a investida contra Vila Fronteiriça, enquanto a Cavalaria ficaria de lado, pronta para iniciar o ataque a qualquer momento.

Claro, ele ainda enviaria um mensageiro, para tentar persuadir o príncipe.

— Vá e diga ao Príncipe que não tenho a intenção de machucá-lo. — Duque Ryan disse — Mas eu ainda tenho uma obrigação com a nova ordem do Rei. Ninguém se machucará se todos eles derrubarem suas armas sem resistências. De volta a Cidade Real de Castelo Cinza, vou tratá-lo como se fosse um nobre.

Deixar o seu exército em formação foi um processo muito lento. Primeiro foi a Cavalaria, que deveria seguir um após o outro em formação, enquanto os mercenários estavam lentamente tomando a posição dianteira. Mas neste momento, Duque Ryan de repente viu quatro pequenos flashes de fogo no campo inimigo. Primeiro veio um lampejo de luz, então depois apareceu um pouco de fumaça. Ele franziu a testa, pensando que poderia haver algo errado. Ele até pensou em tirar o seu binóculo, mas, de repente, uma série de ruídos como trovões explodiram perto de sua orelha!


JZanin
Professor de Química, mestre e jogador de RPG sem tempo.
FONTE
Cores: