EA! – Capítulo 92 – 3Lobos

EA! – Capítulo 92

O açougueiro benevolente

— Eu não quero ver, irmão … não quero ver isso não …

Um menino de cinco ou seis anos de idade com uma pele clara e lágrimas em suas bochechas, estava se escondendo atrás de um jovem com cabelos pretos. Ele esticou o pescoço para ver um porco branco amarrado que se encontrava em cima de uma plataforma de madeira, não muito longe deles. Ao lado do porco havia um homem corpulento de meia-idade. À medida que a pequena boca do menino se fechava, sua pequena cabeça tremia feito um chocalho.

O menino estava triste e com medo. Embora o porco branco não fosse considerado fofo, o menino achava lamentável o porco grandão ser abatido com uma faca de açougueiro. Além de seu pai querer matar o porco, ele ainda insistiu para que o menino testemunhasse o processo. Seu pai era muito vil!

— Pai, Xiaobai ainda é muito jovem. Por que não esperamos até que ele seja um pouco mais velho?

O jovem de cabelos negros esfregou a cabeça do menino. Seus olhos estavam tenros e amorosos.

O homem corpulento olhou para o menino, e depois para o jovem, dizendo com um rosto firme e de forma direta:

— Nós não podemos esperar mais. Nossa família Shi abate porcos há gerações. Quando eu tinha três anos, assisti seu avô matar três javalis grandes. Você tinha apenas quatro anos quando começou a aprender a matar porcos. Este moleque já tem cinco anos, mas ele nem mesmo viu um porco ser abatido antes!

O rosto do jovem de cabelos negros ficou rígido, mas disse suavemente:

— Xiaobai é um pouco mais tímido. Além disso … eu posso herdar os negócios da família Shi. Quanto ao Xiaobai, deixe ele escolher sua própria vida, está bem?

O homem corpulento ficou em silêncio por um momento depois de ouvir isso. Finalmente, ele interrompeu seu silêncio com um suspiro enquanto dizia:

— Eu não consigo suportar a ideia de um graduado na Universidade de Tsinghua[1] como você se tornar um açougueiro. Você …

— Não se preocupe, eu não me importo.

O jovem de cabelos negros sorriu gentilmente como a brisa quente da primavera em março.

— E daí que eu seja um açougueiro? Veja só, o filho de um açougueiro ainda pode se tornar um excelente aluno em uma excelente universidade! Embora nós abatemos porcos, nunca prejudicamos ninguém. Mesmo se somos açougueiros, somos açougueiros benevolentes. Mais importante ainda, Xiaobai não gosta de matar porcos. Deveríamos deixar ele fazer o que quiser.

O homem corpulento abriu a boca, mas não tinha certeza de suas palavras. Seus olhos se tornaram tenros, mas sombrios, enquanto sua mão branca que segurava uma faca tremia ligeiramente.

— Eu gosto de matar porcos!

De repente, uma voz nítida ressoou fortemente, como um grito. O menino saiu por detrás do jovem. Enquanto ele usava as mãos para limpar as lágrimas dos olhos dele, ele falou com uma voz infantil:

— Eu não quero que o irmão se torne um açougueiro … eu gosto de matar porcos. Eu … eu vou ser um açougueiro!

O jovem de cabelos negros e o homem corpulento ficaram atordoados. A expressão no rosto rosa do menino era extremamente séria, tão séria que dificilmente as pessoas acreditariam que ele era uma criança de cinco anos.

Mas o rosto do menino de repente se encolheu quando ele mordeu os lábios:

— Mas o porco branco grandão ali vai sofrer. O senhor não poderia deixar ele vivo?

O homem corpulento se agachou e disse gentilmente:

— Não se preocupe, papai não vai deixar ele sentir dor.

O menino ficou atordoado antes de perguntar:

— Não vai … deixar ele sentir dor?

O homem corpulento riu do fundo de seu coração, enquanto batia no peito.

— Nossa família Shi não possui açougueiros cruéis. Seu vovô sempre dizia que, embora matemos porcos, nunca podemos nos esquecer em ser benevolentes. Jamais deixar o porco branco sentir dor ao partir, esse é o princípio que nunca devemos violar.

O menino abriu a boca e baixou a cabeça. Seus olhos estavam cheios de tristeza.

— Mas … o porco branco grandão … ainda vai morrer, né?

O homem corpulento ficou boquiaberto antes de sorrir amargamente. Por mais benevolente que fosse um açougueiro, ele ainda era um açougueiro. Com uma faca de abate, independentemente de quão pacífica a vida do porco fosse roubada, ainda era uma morte, o que causava tristeza.

O jovem de cabelos negros segurou o homem corpulento em seu ombro e sussurrou:

— Papai, não force mais Xiaobai. Eu sei que você não deseja que o comércio da família Shi termine em suas mãos. Eu sei que você não deseja desapontar o vovô que está no céu … Pai, eu entendo, então eu assumirei essa responsabilidade. Sabe, eu realmente não gosto dessas cidades grandes e complexas. Eu gosto do ar aqui, eu gosto dessa aldeia onde estamos, eu, você e o Xiaobai.

O homem corpulento acariciou as mãos esbeltas em seu ombro e disse suavemente:

— Suas mãos nasceram naturalmente para segurar uma caneta. Como posso deixar você segurar uma faca? Esquece, esquece. O açougueiro benevolente. Rá! Já chega, acho que já chega. Já é hora de terminar essa piada comigo, porque a piada só serve pra nos enganar mesmo. Quando eu encontrar o seu avô no futuro eu quero ver o que ele vai fazer. Se ele quiser me dar uma lição, eu vou deixar e aguentar as pancadas que ele der, hahahaha.

O riso do homem corpulento era ousado e não forçado. O jovem abriu os cantos da boca, mas não podia rir.

O menino olhou para ver o jovem antes de se virar para olhar o homem corpulento. De repente, ele soltou as mãos que estavam puxando as calças do jovem. Ele correu até a plataforma de madeira e olhou para o grande porco branco amarrado lá. Ele disse alto:

— Quero ver o senhor matar o porco. Eu … eu não estou mais com medo!

Seus olhos negros brilhantes estavam obviamente com lágrimas, e a maneira como ele mordia os lábios inferiores parecia miserável e lamentável, mas sua expressão resoluta estava firme.

Os olhos do homem corpulento ficaram um pouco úmidos enquanto caminhava para a frente. Ao caminhar, ele disse:

— Há muito tempo, nossos ancestrais da família Shi buscaram a habilidade de cortar a garganta com uma única facada. No entanto, o resultado era sempre o mesmo, em que o porco acabava morrendo em agonia. Então, após inúmeros anos de aprimoramento, nossa família Shi agora escolheu uma facada direto no coração.

O homem corpulento aproximou-se do grande porco branco e apontou para o lado esquerdo no peito do porco. Ele disse:

— Aqui é onde o coração do grande porco branco está. No entanto, a gordura de um porco é muito grossa, por isso é bastante difícil esfaquear diretamente no coração. Se você não for cuidadoso, em vez disso, irá causar mais dor ao grande porco branco. No entanto, esta é uma responsabilidade que nós, como homens da família Shi, temos que enfrentar. Esta facada tem que ser precisa e sem hesitação ou piedade. Não pode ser benevolente, porque como açougueiros, é a única benevolência que nós podemos ter!

No momento em que o homem corpulento acabou de dizer isso, ele de repente ergueu a mão e deixou a faca apontada para baixo. Instantaneamente, ele esfaqueou diretamente no lado esquerdo do peito do porco branco.

— Oink![2]

O grande porco branco gemeu uma vez com uma contração antes de fechar os olhos imediatamente e parar de se mover. O porco morreu tão rapidamente que não teve nem mesmo tempo de lutar pela vida.

A facada foi muito rápida e repentina. Foi tão rápida que o menino não conseguiu nem piscar, enquanto seus olhos estavam arregalados.

— Mas o …

O menino ficou boquiaberto por um momento antes de se jogar nos braços da jovem com um grito. Ele então chorou copiosamente.

O homem corpulento suspirou profundamente.

Há quanto tempo que Xiaobai não chora tão profundamente assim? Não faz alguns anos?

O jovem abraçou o menino com força, seus olhos pareciam estar arrependidos pelo menino.

— Depois de me formar no próximo ano, irei voltar para o açougue.

— Este ano, quando formos ao cemitério, eu vou dizer ao seu avô que nós não iremos mais matar porcos.

Apesar de dizer simultaneamente essas palavras que tinham significados diferentes, o que as duas pessoas disseram eram ambos igualmente significativos.

Em um armário, um jovem de cabelos negros e um menino estavam amontoados juntos. O menino estava tremendo enquanto o jovem de cabelos negros acariciava constantemente as costas do menino.

— Não se preocupe. Papai ficará bem. Aqueles caras maus … alguém vai cuidar deles.

O jovem disse isso como se estivesse alguma coisa presa na garganta.

Os olhos do menino se iluminaram quando ele apressadamente disse:

— Herói … irmão, os heróis vão acabar com os bandidos, né?

O jovem ficou um pouco surpreso, dando uma risada meio sem graça. Ele forçou um tom concordando com o menino e disse:

— Claro, esses heróis que você assiste na TV, Xiaobai, são eles que dedicam suas vidas para derrotar os caras maus. Heróis definitivamente salvam todo mundo. Então papai definitivamente vai ficar bem.

— É.

O menino acenou com a cabeça bruscamente enquanto seu corpo tremendo se acalmava gradualmente.

Neste momento, o som de passos de repente foi ouvido fora da casa.

A jovem prendeu a respiração enquanto apressadamente gesticulava um ‘Xiiiuu’ para o menino. Ele usou uma voz quase inaudível para dizer:

— Fi … que … quie … tinho …

O menino acenou com a cabeça e enterrou sua pequena cabeça no peito do jovem. Seu corpo começou a tremer novamente.

De repente, uma voz rouca e implacável foi ouvida vindo de fora da casa. Atravessou as janelas, atravessou as rachaduras no armário, e chegou diretamente no ouvido do jovem e do menino.

— Bando de idiotas! Não conseguem nem se livrar de um açougueiro com uma faca? Esse maldito com essa faca de abate enferrujada matou dois de nós. Como vocês tem a coragem de se chamar de terroristas?

Depois disso, um homem disse balbuciando.

— Esse açougueiro … era bastante poderoso …

No armário, o jovem e o menino se olharam no escuro quando ouviram isso. Ambos revelaram um sorriso satisfeito.

A homem da voz rouca disse mais uma vez.

— Mesmo que ele seja poderoso, ele pode ser mais poderoso do que uma arma? Mas que bando de estúpidos que você são.

O homem que falou balbuciando, não gaguejou mais, mas disse de uma forma diferente:

— Sim, sim, sim. Nosso chefe é impressionante, como de costume. Você matou o açougueiro com um tiro só!

Ao ouvir isso, os olhos do jovem imediatamente se esmaltaram.

O menino também reagiu momentos depois com um grito.

O jovem ficou alarmado, cobrindo a boca do menino apressadamente. A outra mão abraçou o menino enquanto ele sussurrava:

— Xiiiuu, quieto.

No entanto, já era tarde. As duas vozes do lado de fora da casa foram ouvidas mais uma vez.

— Hã? Tem mais alguém na casa?

— Chefe, eu também ouvi isso.

— Parece que alguém passou pelos buracos. Perfeito, eu ainda tenho um tanto de raiva pra descarregar em alguém. Vamos matar mais um! Hehehe.

Os passos gradualmente vieram de fora da casa através da porta principal. Apesar de estar separado pela porta do armário e a porta principal firmemente fechada, ainda era extremamente audível.

Um olhar de desespero brilhou nos olhos do jovem.

Mas imediatamente, ele viu um vislumbre de esperança.

Ele baixou a cabeça e beijou o menino na testa. Ele falou extremamente rápido, mas com um tom solene:

— Xiaobai, lembre-se disso. Você é o Rei dos reis. Você governará o mundo da justiça e do mal. Haverá um dia em que os poderes do Rei Herético despertarão em você. Você vai banir todo o mal do mundo. Você salvará o mundo, porque você é o Rei deste mundo. Então, você deve viver. Viva bem, este mundo precisa de você.

Depois que o jovem disse essas palavras, ele de repente esticou a mão e deu um golpe no pescoço do menino. Sentindo o corpo rígido em seu abraço se tornar suave, o jovem deu um sorriso gentil, como uma flor que desabrocha no inverno.

Quando ele saiu do armário, pegou uma faca de abate enferrujada e foi em direção à porta.

Momentos depois, numerosos sons de tiros ressoaram pela casa. Os sons continuaram por um momento antes de se reduzir ao silêncio mais severo.

E no mundo desse pequeno armário, uma pequena vida dormia pacificamente.

No mundo virtual, todos estavam esperando pelo nome do golpe. Seja o público, os comentaristas, a princesa Xiao Xiao ou o Alto Cardeal que de repente apareceu, todos estavam atentos. Que tipo de ataque era este que podia penetrar facilmente o casulo negro do vírus e a barreira negra, resultando na morte instantânea de VentoSemRastro?

—  O nome deste ataque é ​​…

Shi Xiaobai abriu a boca enquanto duas lágrimas escorreram pelas bochechas.

— É … é …

Ele estendeu a mão para limpar os olhos, mas não havia fim para suas lágrimas. Sua garganta parecia estar com algo preso, deixando Xiaobai sentir-se sufocado.

Duas vozes ressoavam constantemente em sua mente.

— Pai, Xiaobai ainda é muito jovem.

— Xiaobai é um pouco mais tímido.

— Papai, não force mais Xiaobai.

— Sabe, eu realmente não gosto dessas cidades grandes e complexas. Eu gosto do ar aqui, eu gosto dessa aldeia onde estamos, eu, você e o Xiaobai.

— Depois de me formar no próximo ano, irei voltar para o açougue.

— Então, você deve viver. Viva bem, este mundo precisa de você.

— O açougueiro benevolente. Rá! Já chega, acho que já chega. Já é hora de terminar essa piada comigo, porque a piada só serve pra nos enganar mesmo.

— No entanto, esta é uma responsabilidade que nós, como homens da família Shi, temos que enfrentar

— Este ano, quando formos ao cemitério, eu vou dizer ao seu avô que nós não iremos mais matar porcos.

Shi Xiaobai levantou sua faca curta e olhou para o céu, permitindo que suas lágrimas caíssem no chão. Ele usou a voz mais gentil para dizer ao mundo.

— Este ataque com a faca se chama Faca Mata-Porco!


 

 

[1] Universidade de Tsinghua é uma das melhores universidades de Pequim, na China.

[2] O porco falou, por isso a frase tem travessão.

Deodoro
Tradutor nas horas vagas. Só joga no hard.
FONTE
Cores: