DCC – Capítulo 98 – 3Lobos

DCC – Capítulo 98

Mais testes

 

Temístocles Cássio:


Quando me virei para o totem indicado pelo sistema, a aluna já estava voltando para as arquibancadas. Enquanto todos estavam impressionados e distraídos com Isaac, ela tinha corrido rapidamente para um dos totens mais ao canto e completou o teste sem que ninguém percebesse. Apenas o sistema estava comprovando seu feito, depois de registrar tudo e me enviar o relatório.

Ela se sentou no mesmo lugar que estava no começo da aula e moveu a cabeça até o olhar encontrar com o meu, como se esperasse… como se pedisse desculpas, ou pedisse que eu não falasse nada. Eu nunca tinha reparado que ela não era do tipo que não gostava de chamar atenção. Pelo contrário. Ela sempre me pareceu daquele tipo que bateria de frente contra qualquer um que desafiasse ela.

Mas duas pessoas numa mesma aula passando pelo teste dos totens. De primeira. E ainda por cima jovens e amigos. Isso era sem dúvidas sem precedentes. Eu observei o relatório da menina com atenção. Não é a toa que ela não tinha chamado atenção. A gravação mostrou todos os passos dela.

Ela tinha se aproximado do totem, e colocado a mão sobre ele. Em seguida o marcador começou a disparar a contagem regressiva enquanto várias oscilações disparavam do corpo dela como pulsações sem que ela precisasse fazer um movimento desnecessário sequer. Em questão de segundos a contagem chegou a zero. Eu nunca tinha visto uma técnica desse tipo.

— Muito bem então! — eu disse efusivamente como sempre, coçando a cabeça ligeiramente perdido. — Vocês todos voltem a praticar. Já deu pra ter uma ideia bem clara do que precisam fazer, não é? E você garoto, — eu disse, me virando pro outro menino que tinha passado. Esse era outro monstrinho talentoso, — pode ir se sentar com a sua amiguinha. Falaremos ao final da aula.

Enquanto a aula terminava, enviei os relatórios para algumas pessoas. Isso era interessante demais para ser guardado para uma mera aula. Afinal, a última pessoa que conseguiu tal feito foi o atual imperador e estamos falando de duas pessoas sem nenhum suporte.

Assim que o horário terminou, dispensei a turma, exceto por aqueles dois, e ordenei ao sistema para configurar o pátio deixando apenas dois totens disponíveis dessa vez.

— Temos que fazer o teste de novo? — a menina perguntou. Ela não parecia insegura ou nervosa. De fato, parecia um pouco apressada, como se ser promovida não fosse realmente a coisa mais importante a se fazer na academia.

Eu não pude deixar de rir um pouco.

— Mais ou menos. Já que vocês obviamente são capazes de dominar o fluxo de energia, eu quero testar outras coisas diferentes para saber o nível de vocês, — eu expliquei brevemente. — Primeiramente, eu gostaria que vocês atingissem cada totem com o máximo de força mágica que conseguirem.

Os dois concordaram e recuaram cada um para um totem. Primeiro o rapaz. Ele fechou os punhos um contra o outro como tinha feito durante a aula, mas sustentou a posição por um tempo. A menina ficou o observando atentamente de longe. Ele concentrou bastante energia nos punhos e finalmente liberou o fluxo contra o totem. O marcador indicou um resultado de 1,5t. Isso era uma marca impressionante para um garoto que estava começando agora. O sistema rapidamente me enviou o relatório completo com os dados do desempenho físico dele. Era uma desenvoltura impressionante. Como se ele mesmo sentisse as próprias deficiências e as melhorasse golpe após golpe.

— Sua vez, — eu disse me virando pra menina.

Ela fez uma preparação completamente diferente. Ela tomou alguma distância do totem, e começou a dar alguns pulinhos no mesmo lugar sacudindo os ombros, enquanto relaxava os braços. Abri de novo os dados do relatório dela. Ela tinha atingido meros 50kg no teste dela, mas ela me passava uma sensação de força bem mais intensa que o garoto. Então ela se firmou no chão, com os braços tensos.

A energia começou a ondular ao redor dela e ela disparou contra o totem. Isso com certeza me pegou de surpresa. Ela simplesmente tinha se lançado como um míssil e atingiu o totem com um impacto seco e barulhento. Mas ela não tinha realmente atingido o totem diretamente. Ela estava encapada por uma barreira rudimentar, capaz de cobrir toda a parte da frente do corpo dela, e tinha sido isso que tinha feito contato.

Ela já conseguia fazer escudos!

Que absurdo!

O relatório chegou logo em seguida, assim como o mostrador do totem exibiu o resultado do valor do impacto. 4,8t. Eu encarei o placar por alguns segundos em choque até que uma mensagem privada foi exibida pelo meu sistema.

Ela se segurou no final. Ainda era capaz de fazer um resultado melhor.

Caramba! Eu tinha convidado um especialista para assistir o teste deles, mas isso era demais. Acima de 4.000kg já era uma marca de um artista onipotente profissional. Sabe-se lá quantos anos uma pessoa tinha que treinar todos os dias para conseguir atingir essa marca. E ainda por cima, ela conseguiu isso e nem parecia ter sido grande coisa! E a pessoa assistindo ainda disse que ela estava se segurando? Mesmo os totens tinham um limite de só suportarem impactos de no máximo 5 toneladas.

Eu vou dar uma olhada na ficha desses alunos. Até.

A pessoa enviou uma última mensagem recebendo os relatórios da avaliação. Ela não queria esperar por mais nenhum teste. Essa garota era uma onipotente de primeira, e o garoto… ele era capaz de estudar as três magias. Eles seriam grandes.

 

Alesia Latrell:


— Então podemos ir agora, professor? — eu perguntei apressada. Ele me olhou um pouco perdido, como se não soubesse o que responder. — Eu vou entender isso como um sim… Vamos, Rael!

Isaac correu para o meu lado e saímos de lá deixando o professor atônito no meio do pátio.

— Eu pensei que você não iria chamar a atenção dele. Até pensei que foi por causa disso que você passou no teste sem que ninguém percebesse enquanto todos estavam distraídos comigo! — Isaac questionou.

— É… meu plano era inicialmente esse mesmo. Mas o professor também teve os planos dele, — eu expliquei para Isaac.

— Que planos?

— Ele acha que nós não temos nenhum suporte por trás da gente. Que somos meros mestiços de sorte vagando no meio desses nobres cretinos. Então ele contatou os Egor para mostrar os nossos relatórios. Eu interceptei uma chamada sobre nós com a sabedoria.

— Os Egor? — Isaac perguntou surpreso. — Você diz, Egor, do Platô Egor, o maior centro de onipotentes da galáxia?

— Sim…

— Eles são simplesmente a maior força militar da galáxia inteira! Caramba! Por que o professor iria querer nos indicar para um Egor?

— Talvez ele pense que se estivermos por conta própria, a gente não consiga chegar muito longe.

— Bem, quero dizer… conseguir uma indicação pra se unir aos Egor é uma coisa bem grande.

— Eu poderia aproveitar e dar uma olhada neles. Mas se eles tiverem a mesma influência que os Siever, então eles com certeza descobrirão sobre minha identidade. Que eu tenho um brasão dourado e tal…

— Talvez eles fiquem mais interessados ainda. Ter um relacionamento com uma pessoa que tenha um brasão dourado é muito bom.

— Pode até ser, mas eu não pretendo expor o fato de que eu tenha um publicamente ainda. Eu quero pegar alguns canalhas pelo pé primeiro.


Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.
FONTE
Cores: