DCC – Capítulo 102 – 3Lobos

DCC – Capítulo 102

Veredito

 

— É a Excelentíssima Madame Siever!

— Madame Siever!

— Uma inquisidora!

— Caramba! Uma Siever em pessoa!

— O que ela está fazendo aqui?

A audiência começou a sussurrar sem se atrever a levantar a cabeça e encarar Petra nos olhos. Eu continuei encarando dona Magna que agora estava com uma expressão de puro terror nos olhos.

— M-m-m-madame Siever? A senhora por aqui? Isso é apenas uma audiência d-d-disciplinar menor indigna da sua atenção. N-n-não há necessidade de se preocupar c-c-com um assunto menor desses! — dona Magna começou a falar nervosa.

— Você disse que esse assunto dizia respeito à honra do Centro de Onisciência e à honestidade e virtude do ser humano. Como eu devo interpretar isso como um assunto menor? — Petra perguntou secamente.

— Ma-a-as é apenas um caso de rebeldia estudantil! — dona Magna tentou se justificar mais ainda.

— Se é apenas um caso de rebeldia estudantil, então porque chegar ao extremo de pedir a expulsão da aluna? — ela argumentou.

— Eu… eu… isso…

— Aproxime-se! — Petra ordenou.

Petra sempre tinha uma cara muito séria, objetiva e cheia de desprezo pelos que estavam abaixo dela. Não era por que de alguma forma ela tinha começado a me tolerar que ela mudaria o comportamento com todos os outros.

Dona Magna paralisou completamente no lugar. Ela era um “peixe pequeno”, e passou a vida inteira querendo continuar assim. Se não chamasse atenção dos figurões, não teria que lidar com eles, e poderia simplesmente viver na sombra colhendo os restos deixados para trás. Ela nunca tinha se encontrado pessoalmente com um inquisidor, mesmo trabalhando no Centro Administrativo. Tinha se especializado em todos os horários, rotas e agendas de todos os inquisidores que visitavam e trabalhavam na academia apenas para evitar contato com eles.

E hoje não tinha sido diferente. Ela pessoalmente tinha verificado todos os horários, todas as rotas, todas as agendas de todos os inquisidores. De acordo com as informações que ela tinha, sequer Petra deveria estar na academia nesse dia. E ainda por cima, estávamos no sexto anel. Era preciso uma autorização administrativa especial para um visitante ter acesso aos espaços dos campos onde apenas alunos e funcionários poderiam entrar.

Então dona Magna estava completamente perdida sem entender como ela simplesmente deixou passar o fato de que uma inquisidora chefe, da maior família de oniscientes da galáxia, uma das pessoas mais importantes da humanidade, simplesmente tinha descido ao sexto anel sem que ela sequer soubesse que estava vindo no dia de hoje.

-M-madame, por favor, não há necessidade…

— Eu mandei você se aproximar… — Petra mandou de novo. Mas dessa vez, uma onda poderosa emergiu da voz dela na direção de dona Magna.

Assim que dona Magna sentiu o poder da ordem de Petra, ela tremeu violentamente no lugar ao ponto de seus joelhos falharem e ela cair. Mas quase imediatamente, Magna se apressou a voltar a se pôr em pé e começou a dar passos hesitantes na direção de Petra. Cada passo parecia uma tortura, como se ela preferisse arrancar o próprio sangue do que se aproximar de Petra.

Ninguém estranhou a reação de dona Magna. No geral, ninguém gostava de ter a mente vasculhada pelos inquisidores. E quanto maior o poder do onisciente que estava invadindo a mente, maior o desconforto. A situação era pior para Magna por que ela era uma Jomon comum sem qualquer fonte de magia. Ou seja, a mente dela era fraca demais para suportar encarar de frente um onisciente. E ela estava indo encarar justamente uma Siever. Mas justamente por ter a mente fraca demais, ela não poderia dizer não.

Dona Magna se aproximou de Petra até estarem frente a frente. Então Petra retirou a luva de sua mão direita e estendeu para dona Magna. Todos os outros na sala ficaram completamente em silêncio. Essa era uma oportunidade única na vida de verem uma inquisidora do topo da galáxia fazendo contato físico com outra pessoa. Todos ali eram estudantes de onisciência, eles simplesmente não sabiam se ficavam com inveja ou com pena de dona Magna.

Eu dei uma olhada rápida na direção da princesa de Kanis. Beatrice estava com um olhar sombrio mas resignado na direção de Magna. Ela já tinha percebido que o plano dela tinha ido por água abaixo. Agora ela tentava decifrar se tudo isso não passava de uma coincidência extremamente fortuita para mim.

— Estenda sua mão.

Eu podia ver claramente que a última coisa que dona Magna queria era estar ali naquele momento. Mas ela também não tinha como recusar a ordem de Petra. Ela estendeu a mão trêmula e Petra agarrou. Foram apenas alguns segundos, o suficiente para lágrimas escorrerem pelos olhos de dona Magna e ela cair de joelhos na frente de Petra. Petra soltou a mão de Magna com uma expressão forte de nojo.

— Escória… — Todos ficaram mudos de surpresa. Dona Magna sequer tinha como ou porquê argumentar contra o insulto. Tudo o que ela pensava, fazia e como agia tinham sido entregues de bandeja nas mãos de um inquisidor. A vida dela tinha acabado. — E você! Aproxime-se. — Petra apontou para mim dessa vez.

Toda a turma prendeu a respiração. Todos estavam tensos sem entender o que tinha acabado de acontecer.  Eu me aproximei de Petra e estendi a mão para ela.

Você me chamou aqui para me mostrar esse circo? — Petra perguntou para mim, mas as palavras fluíram diretamente na minha mente.

Confesso que meu objetivo principal era esse, — eu respondi mentalmente também.

Então o meu neto não está aqui? — ela perguntou desapontada.

Eu não menti para você. Eu também sou uma praticante de onisciência. Eu vou apresentá-lo a você mais tarde. Tenha paciência.

— Você é realmente uma cobra ardilosa… — ela suspirou, mas eu não senti nenhuma intenção de ofender. — Sorte sua que você é inocente… — Eu tinha convidado Petra para a academia para conhecer Isaac. Eu nunca conseguiria atrair um inquisidor para me ajudar se eu não tivesse algo realmente tentador para oferecer.

Mesmo Petra teve que remarcar diversos compromissos apenas para vir aqui. Se ela não tivesse vindo, eu precisaria fazer uso de outros recursos que exporiam minha identidade ou meus recursos. Como meu brasão dourado ou meu novo console. E eu não podia deixar meus inimigos saberem que eu estava reunindo provas contra eles.

— Você pode se retirar, — Petra disse em voz alta para mim. — Oficiais! — Assim que Petra chamou, os dois oficiais que estavam acompanhando dona Magna imediatamente viraram seus postos para Petra. Todos os oficiais oficiais da academia tinham a obrigação de servir a patente mais alta em comando e naquele momento, a mais alta era Petra. — Eu estou acusando esta mulher de corrupção. Convoquem escolta e encaminhem-na para o Anel Interno. Essa sessão está suspensa. Qualquer acusação feita será removida.

Os oficiais imediatamente contataram a central para pedir a escolta. Mas eu fiz questão de interceptar a comunicação e enviar o chamado apenas para os oficiais que eu mesma já havia investigado. No momento em que a notícia de que dona Magna foi presa vazasse, algumas pessoas moveriam mundos e fundos para impedir que ela chegasse a julgamento. De uma forma ou de outra.

Então é claro que eles deixariam rastros para que eu os pegasse. Por isso, só ficariam sabendo quando EU quisesse. Da mesma forma, controlei a saída de informações pelos Links pessoais dos colegas que estavam assistindo à audiência. Todos ainda estavam chocados sem entender o que estava acontecendo.

Eu voltei lentamente para o lado de Isaac.

— Pelo visto deu tudo certo… — eu disse fazendo parecer que eu estava aliviada.

— Isso foi um golpe de sorte tremendo! Você sabe quem ela é? — Isaac falou, ele não estava a par do meu plano. E Isaac fazia parte da grande maioria das pessoas que não sabia que Henry era relacionado com a Casa dos Siever. — Ela é simplesmente uma das maiores inquisidoras da galáxia!

— Rael está certo — Jeneviv da minha turma disse entrando na conversa. — Você teve muita sorte da Petra Siever ter intercedido no seu caso! E de graça!

— Ela deve ter vindo por acaso procurar por talentos para a Casa dos Siever. Vocês dois podiam pedir uma recomendação dos professores! Certeza que conseguiriam.

— Eu vou pedir pra mim! E pensar que eu estou na mesma sala que um inquisidor da Casa dos Siever…

— Vocês sentiram a aura dela quando ela entrou? Aquilo é que é nobreza!

Vários colegas começaram a conversar animados e eufóricos. Era realmente algo muito impactante para eles.

Isaac… — eu o chamei mentalmente. Apesar de eu ter prometido para Petra que ela veria o neto dela, eu ainda precisava pedir a permissão do neto. — Petra é mãe de Henry, sua avó.

Uma forte ondulação vinda da aura de Isaac mostrou que ele tinha entendido. Ele estava me olhando com o queixo caído, e depois começou a olhar para Petra.


Nega Fulor
Leitora compulsiva. Escritora obsessiva. Artista nas horas vagas.
FONTE
Cores: