DNG – Capítulo 47 – 3Lobos

DNG – Capítulo 47

Explorando o Campo de Batalha

Han pegou dois robôs de coleta e decidiu ir dar uma olhada no campo de batalha sobre o qual velho Mo e Sem Origem tinham falado tanto a respeito.

Ambos os robôs eram do tipo esteira, adequado para se mover no terreno cheio de oscilações. Seus braços carregavam ferramentas de escavação, e já que eles não tinham chips de lógica implantados, eles pareciam bem estúpidos, só sendo capazes de ouvir e cumprir ordens. Han ordenou que eles fossem sentar no carrinho e esperar por ele, então os dois correram para lá e esperaram como dois bons cachorrinhos.

Velho Mo disse a Han que o robô que ele estava usando agora havia sido o modelo mais avançado dos tempos antigos, chamado R7, feito de liga de tritanium de alto nível, e tinha um corpo com a mesma compleição de um humano, com braços, pernas e uma altura de 1,8 metro. Ele era conectado e controlado usando uma porta de comunicação com a Dark Net.

Depois de ficar pronto, Han acenou para o velho Mo e Sem Origem e pisou fundo no acelerador, fazendo o veículo atravessar a ponte de correntes de aço em direção ao que restou do famoso campo de batalha.

Velho Mo ordenou que os outros robôs começassem a selecionar o equipamento que Han queria e ajeitar tudo em sua judiada nave de transporte industrial, planejando deixar o planeta para limpá-los primeiro, para somente depois enviá-los para a Terra.

Em um piscar de olhos Han já estava muito longe. A base do velho Mo se tornou um pequeno ponto preto atrás dele, e na frente havia apenas o deserto sem limites. Após a cruel explosão supranuclear, o solo do lugar se tornou completamente sem vida. Apenas o velho Mo e talvez os robôs pudessem ser contados como os seres vivos daquele planeta.

O veículo era chamado de Land Speeder, um meio de transporte muito comum na Via Láctea. Ele não tinha rodas, utilizando um sistema de suspensão magnética para flutuar a cerca de 1 metro do chão. Equipado com 2 motores turbojet de alta potência, o Speeder era capaz de viajar a até 3.000 km/h.

O Speeder do velho Mo não tinha teto e possuía uma caçamba de carga, como um caminhão. Parecia muito simples, mas, afinal de contas, ele era um engenheiro que conseguia até mesmo reparar os dispositivos robóticos mais complicados. Com sua afinação, o Speeder tinha excelente desempenho e grande velocidade de cruzeiro, em muito devido também ao poderoso motor a jato que lançava uma enorme quantidade de areia e poeira para o alto enquanto rugia.

Han estava controlando o robô para conduzir o Speeder, de modo que o atrito com o ar e os ruídos não eram uma ameaça para ele, mas ainda permitia que ele desfrutasse plenamente do prazer da velocidade. Depois de apenas duas horas, eles chegaram ao coração do campo de batalha.

Lá ele viu a terra coberta com crateras gigantescas, resultado de explosões de bombas. Algumas dessas bombas não detonaram no chão, mas sim no ar, liberando ondas de choque capazes de dilacerar os órgãos internos de soldados, afetando um enorme número deles.

As grandes nações da Via Láctea que eram grandes a ponto de serem chamadas de império tinham uma força incrível. Nesta guerra entre o Império Zi Zhu e a República Luo Lan, os dois lados colocaram um total de 20 milhões de indivíduos, contando apenas os espers. Em comparação, a Terra tinha no máximo 150 mil espers, e isso incluía aqueles não-combatentes como o esper do crescimento acelerado de dentes ou os que faziam cálculos mais rapidamente. Existia um abismo muito claro de diferença entre a Terra e as grandes potências na Via Láctea.

Era dito que cada uma das nações mais poderosas da Via Láctea — que totalizavam 12 membros permanentes da Aliança Via Láctea — tinham pelo menos 100 milhões de espers. Para os países com tal força, destruir a Terra era tão fácil quanto alongar os dedos.

O antigo campo de batalha tinha uma longa história, juntamente com os robôs liderados pelo velho Mo que tinha estado ali por décadas. Não havia qualquer equipamento à vista.

De fato, Han também sabia que seria impossível para ele encontrar algo valioso neste antigo campo de batalha, porque eles teriam sido levados embora pelo velho Mo. Agora ele só queria ter uma ideia da atmosfera do campo de batalha.

Apesar de tudo ali parecer um deserto inabitável, havia uma coisa que não iria morrer com o tempo, mas ficar cada vez mais intensa, e que era a alma indomável dos soldados.

O vento sopra e a água esfria, enquanto guerreiros saem de casa para nunca mais voltar. O deserto estéril se preenchia com uma atmosfera fria. Os soldados que lutaram bravamente aqui no passado morreram, mas suas almas ainda estavam ali, vagando. Diante da noite escura e tempestuosa, os sons do vento no deserto eram seus lamentos.

Han imaginou as cenas da guerra naquele ano, vislumbrando rios de sangue correndo no deserto. Antes que ele se desse conta, já havia ultrapassado o centro do campo de batalha e chegado ao fim do deserto, estando diante de diversas fileiras de colinas.

Ele parou ao lado de uma das colinas, olhou para o tempo e viu que 5 horas já haviam se passado. Era muito difícil para pessoas que nunca tiveram tal experiência compreender a alegria que Han tinha ao acelerar o Speeder pelos mais de 10 mil quilômetros.

Embora Han soubesse que era altamente improvável que ele achasse qualquer coisa, para uma viagem em tão memorável campo de batalha, ele devia pelo menos obter algo como lembrança. Ele realmente não estava satisfeito em ir para casa de mãos vazias, então até mesmo encontrar uma adaga para trazer de volta já era bom o suficiente para ele.

Então, Han decidiu entrar na área montanhosa.

Dirigir no deserto aberto só requeria um veículo rápido, mas naquele terreno montanhoso mais habilidades eram necessárias. Han diminuiu a velocidade de seu Speeder e avançou ao longo do vale entre as colinas. As curvas súbitas aplicavam uma força gravitacional lateral no Speeder, adicionando um prazer emocionante que não estava presente no deserto.

Mais duas horas passaram rapidamente, e Han ainda não havia achado nada. Se nem mesmo o campo de batalha principal tinha mais equipamentos, que dizer desta região afastada?

— Bem, já está tarde. Tá na hora de voltar.

Pensando nisso, Han virou o volante e começou a voltar para o acampamento.

Só que ele ainda era um novato na condução do Land Speeder. Ele acelerou entre as colinas e estava um pouco ansioso ao fazer uma curva acentuada, e a velocidade excessiva fez o veículo começar a deslizar lateralmente para fora do trajeto do vale e ir em direção a uma das colinas.

— Merda! Rápido demais!

Han xingou e pisou rapidamente no freio. Na presença de forças opostas, o Speeder começou a reagir chacoalhando violentamente, enviando poeira para todo lado.

*Chhhhiir*

O Speeder finalmente parou com dificuldade a apenas alguns metros de distância de uma colina baixa, evitando por pouco a colisão. A cena foi de tirar o fôlego.

Han virou a cabeça para verificar os robôs. — Merda! — Ele e o Speeder estavam bem, mas os dois robôs foram arremessados para fora da caçamba devido à curva súbita mudança, entrando de cabeça na colina. Ele saiu correndo do Speeder para desenterrar os dois robôs patéticos do solo.

— Hã?

De repente, Han parou. Quando ele tirou os robôs para fora da terra, ele notou que a colina era na verdade oca. Havia uma pequena caverna com a entrada coberta pela terra, e à medida que Han cavou um pouco para tirar os robôs ele pôde ver a caverna por uma brecha na terra.

— Vocês dois, vamos abrir este buraco e dar uma olhada. — Han ordenou aos dois robôs de esteira.

Então, com bastante trabalho eles finalmente abriram uma entrada grande o suficiente para que eles conseguissem passar, e um dos robôs ligou uma lanterna potente e acompanhou Han para dentro da caverna.

A caverna era uma formação natural, não tão grande em extensão. As explosões nucleares daquele ano possivelmente sacudiram a camada superior do solo, causando um deslizamento e bloqueando a entrada da caverna.

Quando a luz iluminou a extremidade oposta da caverna, Han viu o que pareciam ser dois vultos escuros.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: