DNG – Capítulo 24 – 3Lobos

DNG – Capítulo 24

Sob a Luz de Velas

Ao entardecer, Han deixou o hospital e pegou o metrô de volta para a cidade. Ele saiu no movimentado setor de negócios, onde a última batalha ocorreu. Ele iria se encontrar com Cheng Zhong e Monge, como havia prometido; hoje era o 7º dia desde a morte dos 7 espers, e os cidadãos estavam realizando uma cerimônia em memória deles.

Muitas pessoas saíram do metrô na mesma parada, de modo que Han apenas seguiu a multidão e lentamente saiu da estação. Ele ficou chocado com o que viu na rua.

No momento, o céu ainda não estava completamente escuro, e muitas pessoas já tinham acendido suas velas. Velas brancas foram colocadas em todos os cantos possíveis em ambos os lados das ruas, até mesmo nas janelas dos arranha céus aos lados.

A noite caiu lentamente. Era como se as pessoas tivessem combinado tudo com antecedência. Nenhuma luz elétrica estava acesa, de forma que o local inteiro estava parcamente iluminado pelas milhares de velas. A atmosfera estava cheia de tristeza e pesar.

Esta noite, a cidade foi iluminada por velas. Muitas crianças estavam segurando lamparinas, também contendo velas brancas. O balançar das lanternas fazia as luzes fracas oscilarem.

Uma jovem mãe estava caminhando perto de Han, levando sua filha. A menina era bem pequena e também segurava uma lamparina. Han notou que até a vela dentro da lamparina era pequena.

— Mamãe, o que são espers? — A menina perguntou em uma voz bem baixinha.

— Eles são um grupo de soldados muito fortes. — A mãe respondeu com um sorriso gentil, — Eles lutam em batalhas para proteger a terra e nós.

A menina pensou por um segundo.

— Eles vão me proteger também?

— Vão sim.

— Eles protegerão a mamãe?

— Sim.

— Eles protegerão o vovô?

— Também.

— Eles protegerão a vovó?

— Sim, os espers protegerão a nossa família, e todos na sua escolinha também. Ele também vão proteger os tiozinhos da rua, toooodo mundo. — A mãe tentou explicar a sua menina.

— Oh! — A menina concordou exageradamente com a cabeça, como se tivesse chegado a uma conclusão, e disse com sua voz doce, — Eu entendi, espers são pessoas boas!

Han deu um sorriso tímido, e passou rápido pela linda garotinha.

Às vezes, a impressão das pessoas sobre os espers não era como a de hoje. Sempre haviam notícias sobre como os espers estavam usando seu poder para intimidar os fracos e causar caos.

Porém, todos entenderam após este incidente que, tanto entre espers quanto entre as pessoas comuns, havia um monte de frutos podres, mas também havia um monte de heróis.

O mundo sempre foi assim, as pessoas boas viviam sem chamar a atenção até que eles batessem o pé contra algum mal. Assim como Pang Zuolin, aquele jovem que saltou do prédio segurando uma estátua de bronze de um touro, aquele que se sacrificou para danificar a nave dos invasores e proteger os civis.

Agora Pang Zuolin havia se tornado um herói conhecido como Guerreiro do Touro de Bronze. Suas últimas palavras — não importa o quão fraca a Terra seja! Ainda é a minha casa! — eram agora conhecidas por todos.

Mas antes de Pang Zuolin se tornar um herói, ele era apenas um professor de Educação Física quieto e trabalhador. Ele nunca se gabou sobre seu status como um esper e meramente viveu uma vida comum.

Os verdadeiros heróis só se impõem quando o mundo precisa deles, mas normalmente permanecem desconhecidos.

Como alguém que experimentou aquela batalha em primeira mão, Han viu com seus próprios olhos que aqueles espers, que geralmente permaneciam humildes e desconhecidos, deixaram seus medos de lado e correram direto para o campo de batalha. Após 1 minuto, o campo de batalha já havia reunido mais de 40 espers. Dentro de 3 minutos, já havia mais de 200 espers lá. Poucos dentre eles eram soldados, mas quando o desastre se iniciou, a velocidade deles foi ainda maior do que a do exército, e eles foram ainda mais destemidos!

Mais e mais pessoas se reuniram ali. Mesmo que cada vela proporcionasse uma luz muito fraca, quando reunidas conseguiam afastar a escuridão.

Han parou na janela de uma loja e viu uma TV enorme transmitindo mundialmente a cerimônia no memorial de Pequim, Shanghai e Guang Zhou. Começando nessas cidades asiáticas, onde quer que a noite chegasse, as velas que representavam a esperança se iluminaram.

Nova Deli, Moscou, Istambul. As luzes das velas cruzaram a Europa e o vasto Oceano Atlântico até chegar às Americas.²

Han sentiu alguém parado atrás dele. Ele se virou e viu Monge e Cheng Zhong. Ele não sabia quando Cheng Zhong raspou seus rabos de cavalo, mas agora ele estava careca, e Monge estava carregando uma mochila gigante. Estes dois carecas juntos pareciam um monge grandão e um pequeno.

— Seu cabelo…

Cheng Zhong tocou sua cabeça, que agora era careca, e disse com um sorriso:

— Cortei. Eu passava mais de uma hora por dia pra deixar elas bem arrumadinhas. Se eu tenho tanto tempo livre, seria melhor eu comer alguns quilos a mais de carne.

— Onde estão seus fones de ouvido?

— Joguei fora.

— Camisa de basebol?

— Eae mano, que porra de monte de pergunta é essa? — Cheng Zhong sacudiu o corpo e os quilos de gordura nele e disse, — É tipo assim. Depois de ver vocês esta noite, eu vou me isolar e me concentrar para treinar e engordar. Eu estarei fazendo tudo que posso para me preparar para a segunda etapa do Teste de Tensão… Vocês não tem nem que me ligar, eu joguei meu telefone fora também.

Monge deu de ombros.

— Que coincidência, eu estava prestes a dizer a vocês a mesma coisa. Esta noite, eu vou voltar para minha montanha para treinar, e eu vim aqui encontrar vocês para dizer adeus. A primeira etapa do Teste de Tensão não era meu ponto forte, mas o combate é. Então, vou aproveitar esse tempo para me aprimorar.

Han concordou de leve com a cabeça. Parece que ele não foi o único afetado pela batalha. Monge e Cheng Zhong também estavam mais esforçados do que antes.

— É realmente uma coincidência. — Han pensou um pouco e disse, — Antes, quando eu não sabia que eu tinha poder, eu sempre pensei que, se os céus desabassem, então os grandões que teriam que se virar pra resolver, e aquilo não tinha nada a ver comigo. Hoje eu finalmente percebi, eu na verdade sou um dos grandões, e se tudo desabar sou eu que preciso dar o melhor de mim para lidar com isso. — Han continuou:

— Na verdade, estou aqui para dizer adeus também. Em dois dias, eu vou para a Administração de Zonas de Extinção. Eles encontraram um lugar para eu treinar e também vou me isolar do mundo.

Cheng Zhong não disse nada. O próximo ano seria o ano em que o Torneio Galático aconteceria, e era muito possível que a Terra fosse transformada em colônia de outro planeta. Mesmo que a Terra tivesse a sorte de não ser colonizada, ainda haveriam muitos invasores que olhariam com cobiça para o planeta desprotegido.

Esta era a Era Galática. Eram tempos impiedosos onde as leis da selva vigoravam. Como o único exército de verdade na Terra, os espers estavam sob muita pressão.

— Administração de Zonas de Extinção? Li Muyun e Chu Li também querem levá-lo para a divisão deles. —Monge comentou.

— É o que eles estavam organizando antes disso… Mas eu ouvi que uma grande multidão de espers está tomando a iniciativa de se candidatar à Administração e outras organizações de batalha, então Chu Li provavelmente não está com falta de pessoal.

Cheng Zhong acenou com a cabeça.

— Pior, mano, antes tinha o Ke Lake cuidando de tudo para nós. Os espers estavam livres para trabalhar com o que quisessem. Não é o caso agora, sem Ke Lake, nós temos de assumir a responsabilidade. Se eu não conseguir passar no Teste de Tensão, vou me alistar direto nos fuzileiros navais.

Logo depois de terminar a frase, o relógio em seu pulso começou a apitar.

Cheng Zhong colocou sua mochila no chão e tirou dela um presunto de pelo menos dois quilos. Ele abriu a boca e começou a devorar o presuntão com mordidas enormes.

Depois de ver Han e Monge olhando para ele, Cheng Zhong mostrou uma foto para eles. Na foto havia um jovem bonito com um corpo musculoso. Não fosse pelos pequenos rabos de cavalo em sua cabeça, seria realmente difícil dizer que era assim que essa era a aparência de Cheng Zhong quando era mais jovem.

Ele sentou no chão e se forçou a enfiar aquele pedaço gigante de presunto da boca até o estômago. Ele bebeu dois goles de água, e começou a devorar um segundo presunto. Han viu que o pescoço de Cheng Zhong já havia ficado vermelho de tanto comer, como se ele estivesse prestes a vomitar, mas ele ainda estava se forçando a engolir mais presunto.

— Eu preciso comer. Eu preciso comer sem parar. Não tenho escolha, eu sou um esper da descendência de conversão. Sem gordura eu não tenho poder de combate. Sem poder de combate, como é que eu vou proteger alguém? Eu prefiro comer bastante, mesmo que pareça um porco, do que experimentar o que aconteceu naquele dia novamente. Se quiserem rir de mim, fiquem a vontade, eu não me importo.

Han e Monge, é claro, não riram dele, pois só o respeitavam mais depois de ver a foto. Para as outras pessoas, comidas deliciosas eram um prazer, mas para Cheng Zhong era puro sofrimento. Este mundo sanguinário tinha transformado um homem jovem bonito no Cheng Zhong de agora.

Han suspirou de leve. Ele ergueu a cabeça e viu as intermináveis ​​luzes das velas, e todo o povo orando sob aquela luz.

A visão era linda.

A pressão, insuportável.

¹Não há nenhuma explicação lógica fora a falta de conhecimento geográfico do autor, mas no original chinês ele coloca o sentido da terra no sentido oposto ao que realmente ocorre, ou seja, o sol nasceria no oeste e se poria no leste.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: