DNG – Capítulo 22 – 3Lobos

DNG – Capítulo 22

Adeus Ye Weiwei

Quando o corpo de Ye Weiwei começou a tombar para o lado, Han já estava bem atrás dela. Novamente ele estendeu a mão para segurar ela sem pensar. Honestamente, não importava o quão bonita a pessoa necessitada fosse, a maioria iria ajudar quando vissem alguém caindo na frente deles. Era um tipo de reflexo natural.

Han puxou Ye Weiwei alguns passos para longe da borda do penhasco, mas não soltou as pequenas mãos da moça. Ao invés disso, ele continuou a puxando enquanto caminhava em direção ao topo da montanha.

— Nenhuma escalada deve ser feita assim. Há um bom provérbio que diz que seu anseio pela velocidade pode realmente retardá-lo…

— Preste atenção nos degraus, pise onde eu pisar…

— Não se mova de forma descuidada, caso contrário nós dois cairemos no abismo e então estaremos ambos ferrados…

Han era como um belo irmão mais velho segurando a mão de Ye Weiwei, e ela começou a sentir uma sensação muito estranha. Ela já estava extremamente exausta; seu cérebro sentia como se estivesse em curto-circuito e perdido a capacidade de pensar. Ela apenas deixou Han guia-la pela mão.

Afinal, Ye Weiwei ainda era uma menina, e 14 anos era apenas o início da adolescência. Devido ao seu poder único, Ye Weiwei nunca foi tocada por ninguém antes, e se não fosse por causa de Han, ela provavelmente nunca poderia ter sido tocada em toda a sua vida.

Quem não se lembra da primeira vez que ficou de mãos dadas com alguém do sexo oposto? Aquela sensação de acelerar o coração e ao mesmo tempo te deixar constrangido. Era assim que Ye Weiwei estava se sentindo agora. Seu rosto tinha ficado misteriosamente vermelho; seu coração começou a bater mais rápido; as palmas das mãos começaram a suar. Para ela, era um sentimento nunca antes experimentado.

O caminho pela montanha era difícil. Assim, embora Han tivesse o Preceito Zero, os dois ainda caminhavam muito devagar. Ye Weiwei não sabia o que fazer, e sentia-se como se estivesse sendo agindo com base em um sentimento novo.

Por causa da imunidade criada pelo poder de Han, embora Ye Weiwei estivesse sentindo muito frio, sua mão que estava na mão de Han estava muito quente. Ela começou a sentir um desejo enorme de recostar seu corpo inteiro em Han, porque para ela ele era como um forno quente. O que ela mais precisava agora era de calor.

Era estranho, mas a mão de Han estava quente demais para aquele ambiente hostil. Ye Weiwei percebeu que ela não queria largar de forma alguma.

*Dééén*

Finalmente, Han e Ye Weiwei superaram o último degrau e chegaram ao topo da montanha. O sistema restaurou automaticamente a condição física dos dois. Ye Weiwei sentiu um alívio repentino e se sentou bem ao lado de Han, que também respirava com dificuldade.

— Ufa, agora devemos ficar bem. Você pode soltar minha mão? — Han disse com um sorriso gentil.

Ye Weiwei acabou de perceber que ela ainda estava segurando a mão de Han com força, como se estivesse com medo de que ele a deixasse para trás.

— Hunf!

A teimosia de Ye Weiwei começou a emergir novamente, e ela rapidinho puxou sua mão branca como a neve. Os dois se sentaram lado a lado no chão, observando a imensidão de neve ao fundo. Era uma bela paisagem.

Ye Weiwei começou a olhar mais atentamente para Han por mera curiosidade: um pouco mais velho que ela, não era feio, mas não tão bonito. Seu corpo não era realmente nem forte nem magro. Ele era muito bonito quando sorria.

Esse cara era como um monstro, sendo capaz de tocar a mão dela e ainda estar perfeitamente bem?

Pensando nisso, Ye Weiwei começou a olhar para as pequenas mãos: seus dedos eram brancos e magros, basicamente perfeitos. Talvez por causa do fato de ela sempre usar luvas, suas mãos eram muito mais bem cuidadas do que as das outras meninas. No entanto, elas eram fracas como se não tivessem ossos, e Han sabia bem disso já que ele tinha segurado elas antes.

— Vai ser uma batalha difícil na próxima etapa. — Ye Weiwei disse de repente.

Logo depois que ela terminou, ela sentiu vontade de se dar uns tapas… Por que ela contaria a esse pervertido sem vergonha sobre isso? Sua cabeça estava em curto-circuito ou algo assim?

Han concordou de leve com a cabeça, mas respondeu como se estivesse pensando em outra coisa:

— Ye, depois de hoje nós provavelmente não nos encontraremos novamente.

Ye Weiwei realmente queria perguntar por que, mas ela se deteve no último momento. Aquilo daria a impressão de que ela se importava. Ela tinha orgulho demais para perguntar.

— Afinal, a Terra é muito fraca, mas ainda assim é minha família… — Han deu um tapinha na bunda para se livrar da neve e deu mais um olhada para esta linda garota de cabelos loiros, mas Ye Weiwei nervosamente virou seu pequeno rosto para o outro lado.

— Foi bom conhecer você, tenho que ir agora. — Han disse e entrou no templo sagrado a passos largos. A marca de bônus do terceiro teste era dada automaticamente quando alguém completasse a subida. Afinal, esse percurso final era muito difícil para a maioria das pessoas.

O céu se iluminou mais uma vez com fogos de artifício, que depois se transformou em palavras, felicitando Han por passar com uma pontuação perfeita mais uma vez. Isso realmente trouxe tanto admiração quanto inveja da multidão de espers que ainda estavam lutando na montanha.

Porém, Han realmente não deu bola para tamanha atenção e foi direto para casa.

Quando voltou à Terra, Li Muyun não estava lá. Monge e alguns outros espers que fizeram o teste felicitaram Han. Ele deu uma olhada na hora já que tinha combinado Li Qi de ir ao hospital com ele para ver como o tio-avô dele estava depois de tomar o revitalizador. Já estava quase na hora.

Então ele rapidamente se despediu de todos e deixou o Centro de Administração Esper com pressa.

Do outro lado da Via Láctea, na casa de Ye Weiwei.

Han e Ye Weiwei eram de dois mundos diferentes. Han vivia em uma pequena casa na Terra e não possuía uma capsula de avaliação ou simulação própria. Assim, ele teve que ir para o Centro de Administração Esper para usar a capsula pública.

Mas Ye Weiwei vivia em uma mansão que poderia ser comparada ao palácio de um rei, e ela possuía não apenas uma cápsula de simulação, mas também salas específicas para armazenar capsulas com tamanhos e propósitos diferentes.

Agora, Ye Weiwei havia retornado do Teste de Tensão, mas ela não saiu da sala, e ao invés disso caminhou até a janela, abrindo-a. Ela olhou para o campo plano de grama verde e a floresta nos arredores de sua casa. As montanhas e cachoeiras ao longe, até mesmo os pássaros voando no céu, eram todos posses da família Ye.

Ye Weiwei apoiou suas mãos enluvadas na janela e olhou para fora. Nas experiências que teve em toda a sua curta vida, ela nunca experimentou nada tão emocionante quanto hoje. Nascida na riqueza, o que ela queria não eram roupas bonitas nem comida gourmet, mas sim liberdade.

Ela conseguiria facilmente tudo neste mundo, exceto liberdade. A liberdade de usar vestidos curtos como as outras garotas, a liberdade de pegar um coelhinho e ter algumas vaquinhas na casa, eram coisas que Ye Weiwei nunca poderia ter.

Embora a mansão da Família Ye fosse gigantesca, não havia nela um único animal de estimação. Quando Weiwei era muito pequena, seu pai lhe deu uma vez um cachorrinho de estimação. Era um cão de caça galático branco e bonito, com os olhos grandes, redondos, e vívidos, além de um rabo pequeno que abanava sem parar.

Entretanto, quando o gracioso filhote pulou nos braços de Weiwei para ganhar carinho, uma tragédia aconteceu. O terrível poder da menina da tempestade matou o filhote num piscar de olhos. Weiwei olhou para o cachorrinho morto em seus braços e se afundou na tristeza por muito tempo. Foi também a partir desse dia que ela percebeu que ia ficar sozinha pelo resto de sua vida.

Até hoje. Weiwei conheceu um cara, uma pessoa muito especial. Han não era como aqueles príncipes encantadores em cavalos brancos, mas ele não tinha medo dela, ao contrário dos outros caras que se esconderiam em algum lugar de medo sempre que a vissem, com os olhos cheios de desprezo.

Pensando nisso, Weiwei abaixou a cabeça para olhar suas mãos pequenas. Um par de mãos brancas e bonitas, mas não eram mais ingênuas. Um menino segurou elas hoje.

Ye Hua, um servo idoso e fiel da família, se esgueirava atrás da porta, tentando espiar para ver o que estava acontecendo.

— O que o senhor está fazendo? — O enorme capitão da guarda, Ye Xiangdong, perguntou, curioso.

Ye Hua sorriu.

— Olhando para Minha Senhora. Hoje alguém tocou a mão de Minha Senhora.

Ye Xiangdong ficou furioso imediatamente, seu rosto assumiu uma feição sombria.

— Quem foi?! Quem é o maldito bastardo?! Eu vou matar ele pessoalmente!

Ye Hua franziu o cenho.

— Cala essa matraca! Você não consegue perceber a situação da nossa família? Se uma moça de outra família fosse tocada por pessoas de fora, então realmente seria um crime, mas alguém que seja capaz de tocar Minha Senhora é um presente dos céus! Seu estúpido, não consegue usar a cabeça de vez em quando?

Ye Xiangdong pensou um pouco e finalmente ligou os pontos. Imediatamente, este homem crescido desatou a chorar de emoção.

— Ele não tem medo da tempestade da Minha Senhora? — Ele perguntou surpreso.

— Aparentemente não. — O velho servo Ye Hua respondeu, — Este jovem pode ter um poder único que pode controlar a terrível tempestade de Minha Senhora. Ele pegou Minha Senhora pela mão e a levou até o último ponto de controle da terceira rodada.

O rosto de Ye Xiangdong estava coberto de lágrimas. Ele não conseguiu se conter e gritou:

— Os céus finalmente nos ouviram! Alguém realmente consegue controlar a tempestade de Nossa Senhora; nossa Família Ye está salva! A qual família pertence este príncipe? Se ele não concordar, eu posso levar uma equipe e capturá-lo para trazê-lo para cá!

— Capturar uma ova! — O rosto de Ye Hua demonstrou raiva,— Esta pode ser a única oportunidade da nossa Família Ye, então você vai ficar quieto! Se você arruinar a oportunidade de Minha Senhora, vai se arrepender do que eu vou fazer com você!

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: