DNG – Capítulo 11 – 3Lobos

DNG – Capítulo 11

A Pequena Diabinha

Se uma menina tão linda e encantadora caísse na frente dos olhos de alguém, quem não a seguraria? Isso sem mencionar que Han não era impotente em nenhum sentido (se é que você me entende). É claro que ele não a deixaria cair sem tentar impedir.

Han não disse nada, apenas agarrou a garota de cabelos loiros pela mão e a puxou para perto dele.

Ele estava um pouco nervoso com a situação e, acidentalmente ou não, usou um pouco de força demais. A menina chegou em seus braços com força, permitindo que ele sentisse seus dois pêssegos balançando com o impacto. Han não tinha como negar que era muito agradável.

Se alguém presenciasse a cena naquele momento, veria faíscas entre Han e a menina. Literalmente, não metaforicamente. Quando a pele dos dois se tocou no momento em que Han agarrou a mão dela, faíscas azuis apareceram ao redor de seus dedos. Naturalmente, Han não sentiu nada, então ele não deu muita bola para o mero efeito visual.

Ele então teve a chance de olhar para o rosto bonito da menina, de pertinho, como se admirando uma obra de arte. Havia garotas bonitas em todos os lugares, mas aquela era perfeita demais. Ela tinha lábios carnudos, nem muito grandes nem muito pequenos, suas sobrancelhas não eram nem muito longas nem muito curtas, uma pequena mudança em seu rosto em qualquer lugar seria desnecessária, porque ela já possuía uma beleza celestial. Mesmo o comprimento do cabelo era perfeito. Alguém maravilhosa desse jeito só devia existir em animes …

Para ser honesto, a moça era um pouco estranha. Ela estava usando roupas de couro da cabeça aos pés, com apenas o rosto e as duas mãos expostas. Han pensou que se ela por acaso usasse um vestido para mostrar seu corpo perfeito, ela ficaria linda.

Ele tentou chacoalhar a cabeça para afastar seus pensamentos pervertidos, e então percebeu que o corpo da garota estava gelado, dando a impressão de que ele estava segurando um iceberg.

— Ela provavelmente está doente. — Han rapidamente usou a mão da moça para apertar o botão de retorno junto com a dele.

*Fuooooooon*

À medida que Han recuperou sua visão ele percebeu que havia incontáveis ​​olhos focados neles. Já que ele estava segurando aquela delícia, ele facilmente presumiu que as pessoas estavam pensando coisas pervertidas.

Han não era um cavalheiro, mas não era estúpido. Mesmo que ele não se importasse com toda essa fofoca, se as pessoas começassem a espalhar que essa garota estava com um cara, isso iria prejudicar a sua reputação.

Pensando nisso, ele colocou a garota na praça central, virou-se e saiu como se nada tivesse acontecido. Afinal, as pessoas ainda podiam sentir dor no mundo virtual, mas não podiam morrer. Han sabia que a menina iria acordar depois de descansar por um tempo.

Depois de descobrir como voltar, Han foi para o teleportador que ficava na direção do sol. Ele olhou brevemente para trás e reparou no painel virtual pairando sobre a menina inconsciente.

O nome dela é Ye Weiwei. Hmmm, parece um nome muito bonito. — Han sorriu levemente e pensou.

 

— Minha senhora.

— Minha senhora!

Depois de repetir várias vezes, a menina dentro da capsula de avaliação finalmente acordou. Ela era a garota que acabara de ser salva por Han. Em casa, ela também estava usando roupas de couro, mas havia um par de luvas do mesmo material em suas mãos. Quem a acordou foi um criado idoso já careca que tinha uma barbicha branca.

— Não preciso de ajuda. — Han estava certo, Ye Weiwei era cabeça-dura. Ela viu que o criado estava prestes a vir ajudá-la a se levantar e imediatamente recusou.

Ela primeiro checou suas luvas e viu que elas ainda estavam bem firmes em suas mãos. Ela então agarrou os dois lados da capsula e lentamente puxou seu torso para cima. Parecia que usar luvas era muito importante para ela.

— Eu desmaiei? — Ye Weiwei perguntou ao velho servo.

— O mar estava extremamente frio, e minha senhora não quis usar os raios para proteger seu corpo, então desmaiou. Felizmente um jovem senhor salvou você, e minha senhora alcançou o 4º posto de controle, conseguindo, assim, 90 pontos. — O criado respondeu em sua voz grave.

A beldade franziu suas belas sobrancelhas. Ela suspirou de leve e disse:

— Ele deve ter ficado muito mal por causa de mim. Bem feito pra ele, quem mandou me ajudar.

O criado sorriu.

— Minha senhora, embora aquele senhor tenha sentido a eletricidade quando ele tocou sua mão, ele está perfeitamente bem.

Ye Weiwei ficou chocada por um segundo, mas disse friamente:

— Isso é impossível. Você não precisa mentir, eu não vou me sentir mal por ter machucado alguém.

O servo respondeu muito sinceramente:

— É verdade, e minha senhora em verdade desmaiou a um metro do 4º posto de controle. Também foi aquele jovem que segurou sua mão e empurrou o botão por você, caso contrário minha senhora não teria obtido os 90 pontos.

— Não acredito! — Ye Weiwei ordenou inconformada, — Me mostre a gravação.

— Sim, minha senhora. — O criado lhe mostrou a gravação de todo o incidente.

Quando ela viu a mão de Han segurando a sua própria e as faíscas azuis resultantes, Ye Weiwei sentiu um prazer maquiavélico. Afinal ela era a garota da tempestade de raios, e o poder que ela tinha era absolutamente dominante. Ninguém poderia tocar o corpo de Ye Weiwei. Independentemente de ser homem ou mulher, todos seriam feridos pela tempestade de raios que a acompanhava.

Julgando por este lado, Ye Weiwei era realmente poderosa, mas também solitária. Ela não podia tocar em ninguém, e em contrapartida ninguém poderia tocá-la. Era uma barreira que não podia ser violada. Uma menina intocável pelo resto de sua vida. Será que isso era realmente uma coisa boa?

Ye Weiwei ficou atônita, porque ela notou que Han tocou sua mão e nada aconteceu com ele. Ele até mesmo descaradamente pegou sua mão para apertar o botão de retorno e trazê-la em segurança. O que era ainda mais irritante é que, depois que eles voltaram para a praça central, Han apenas a jogou no chão e foi embora sem sequer olhar para ela uma segunda vez!

— Que sujeito cara de pau! — Ye Weiwei ficou vermelha e gritou de raiva.

O velho criado estava um pouco confuso.

— Minha senhora, afinal de contas o jovem senhor a salvou. Olhe os fatos, se não fosse por ele, minha senhora não teria conseguido 90 pontos. Não fosse pelo fato que ele quisesse ajudá-la a voltar, ele poderia ter continuado andando, provavelmente alcançando o máximo de 100 pontos.

— Eu não me importo, ele é um sem vergonha! Quem foi que pediu pra ele ajudar? Eu pareço precisar de ajuda de outras pessoas? — Ye Weiwei, toda hominho, continuou a argumentar.

— Minha senhora tem o coração de ouro. Se minha senhora quisesse usar os Raios Guardiões, não haveria nenhuma dificuldade em percorrer todo o percurso. Só porque minha senhora é benevolente e temia que os raios pudessem se espalhar debaixo d’água e ferir outras pessoas, ela não usou o seu poder.

A menina sacudiu o rabo-de-cavalo e terminou de sair da capsula. Suas pernas estavam um pouco bambas, mas ela ainda fingiu estar bem.

— O que há de errado com esse tal Han Lang? Seu índice de energia é de apenas 27, mas ele não se assustou com a minha tempestade de raios? Será que existe uma conspiração por trás dessa história?

— Não deve ser uma conspiração. Vocês dois se encontraram sem nunca terem se conhecido antes. Talvez seu poder seja realmente estranho, porém, infelizmente, de acordo com as regras só podemos conhecer seu nível, e não seu tipo de poder.

Ye Weiwei zombou.

— Resistir a um poder de tempestade de raios de classificação SSS? Isso por acaso é possível?

O velho criado hesitou e respondeu:

— Provavelmente não. Mesmo que houvesse um poder que pudesse resistir ao poder de minha senhora, eles poderiam, no máximo, reduzir o dano, mas jamais evitá-lo completamente.

— Então, você vai ter que investigar isso! — Ye Weiwei ordenou, virou a cabeça e saiu.

O velho e fiel criado soltou um leve suspiro, — Minha senhora é quase perfeita, apenas sua personalidade que é um pouco teimosa.

Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: