DNG – Capítulo 109 – 3Lobos

DNG – Capítulo 109

Sistema Zagreb

Depois de não dormir durante vários dias e noites, Han deu uma olhada por cima em todos os diagramas dentro da Marca Lunar.

Agora, as coisas mais valiosas nas mãos de Han eram esses diagramas. Os valores dos diagramas de naves começavam em dezenas de bilhões de galacticoins. Quanto aos diagramas de sistemas de radar, de reatores, e de motores de transição, eram bem mais baratos, mas poderiam ainda ser vendidos por centenas de milhões ou mesmo bilhões de G$.

Se Han quisesse trocar algo por dinheiro, esses diagramas seriam a escolha mais segura.

Afinal, ele realmente precisava de um número tão grande de diagramas?

Ele precisaria de diagramas, sim, mas não nesse tanto. Só de diagramas de fragatas, por exemplo, após um exame mais aprofundado, Han descobriu que havia 68 modelos, e será que a Terra realmente precisava de tantos tipos de fragatas? Não, de jeito nenhum!

Principalmente porque Han tinha uma opção melhor: as naves de 2ª geração!

Após analisar com cuidado, Han percebeu que as chamadas naves agressoras eram evoluções das fragatas de assalto. O projeto era realmente sofisticado. Seja defesa, mobilidade, ou poder de fogo, os indicadores de desempenho das naves de 2ª geração ultrapassavam em muito as da 1ª geração, com a percentagem de melhoria superior a 100%.

Atualmente, Han tinha três preciosas naves de 2ª geração. A capacidade da nave agressora era semelhante à de uma fragata, a da agressora pesada era semelhante à de um cruzador, e a da classe reconhecença era equivalente à de uma nave da classe destroyer. Assim sendo, a capacidade era considerável, mas e quanto ao poder de fogo?

Em geral, as naves de guerra de 2ª geração eram todas capazes de operar um nível acima. Por exemplo, as naves agressoras não só iriam estuprar qualquer fragata, mas eram fortes o suficiente para aniquilar naves da classe destroyer, que estavam um nível acima dela.

As naves agressoras pesadas eram ainda mais interessantes. Além de demolir instantaneamente qualquer nave fragata ou destroyer, elas derrotariam facilmente um galeão, que era teoricamente muito superior, e seus indicadores de desempenho demonstravam que ela ultrapassava a performance do galeão em aproximadamente 50%.

Quanto à nave de classe reconhecença, era a versão de 2ª geração das naves espaciais de reconhecimento. Tinham um tamanho menor, mas seu alcance de detecção e precisão eram muito maiores. Era um tesouro raro.

Com estas, a Terra seria inteiramente capaz de construir uma frota naval com as naves de guerra de 2ª geração como força principal. Essas naves proporcionavam melhor mobilidade e também ataques mais poderosos.

E já que Han decidiu produzir naves de 2ª geração em massa, esses diagramas de naves de 1ª geração não teriam muito valor para ele, e poderiam ser vendidos para comprar equipamentos que a Terra necessitava desesperadamente naquele momento.

Mesmo se Han quisesse construir uma fragata de 1ª geração, ele não precisaria construir todos os 68 tipos, ele só precisava selecionar alguns com valor tático e seria suficiente.

Artilharia, armas de partículas, armas eletromagnéticas, canhões, canhões de fogo rápido, armas laser, lançadores de mísseis, tipos diferentes de artilharia, mas cada um tinha seu propósito específico. Se Han decidisse instalar armas laser, então ele teria que instalar um reator de fusão grande o suficiente dentro da nave estelar para fornecer energia. Se Han optasse por equipar um tipo de artilharia, então deveria haver um depósito grande o suficiente dentro da nave para armazenar a munição.

Não se poderia querer tudo ao mesmo tempo. Se a nave estivesse equipada com diversas armas diferentes, ela não seria eficaz, porque a questão da logística seria muito difícil de lidar.

O mesmo se aplicava aos sistemas de radar. Depois de instalar um radar de varredura óptico, não haveria motivo para instalar um radar com varredura por ondas gravitacionais.

Depois de estudar e filtrar cuidadosamente, Han percebeu que, apesar de ser um tanto impressionante alguém ter um conjunto completo de diagramas, muitos deles eram bastante inúteis para ele. Dos 13.000 tipos de diagramas, já estaria de bom tamanho ficar com 5.000 deles.

Não era sensacional que houvesse um armazenamento tão abundante de diagramas na relíquia?

Claro, diagramas eram muito eficientes, já que um disco de memória pequeno que cabia na palma da mão poderia ser vendido por dezenas de bilhões de G$. Se Han estivesse disposto a vender um dos diagramas de naves, seria possível obter uma frota inteira de naves para a Terra.

Vendo um futuro brilhante à frente, Han sorriu e pegou o ovo escuro com a mão.

Tudo que Han trouxe da A19 era muito útil, com exceção dessa… coisa. Han ainda não sabia o que havia lá dentro. Jogá-lo fora seria uma pena, e claramente, aos olhos de Kunlun, todos os diagramas juntos ainda não tinham o valor daquele ovo. Não jogar ele fora também era muito perigoso, pois talvez um monstro chocasse dele.

Além disso, era muito estranho que o ovo parecesse ter entrado em um estado de hibernação, e Han simplesmente não conseguia despertá-lo. Depois de considerar um pouco a respeito, Han decidiu colocar o ovo no seu anel dimensional menor, que agora estava especificamente reservado para armazenar o ovo.

Um anel dimensional continha uma dimensão separada, e por isso mesmo se o ovo rachasse e um monstro saísse de dentro dele, Han não precisaria se preocupar e poderia simplesmente jogar fora o anel.

Han só queria esperar e ver o que havia realmente dentro do ovo, e no caso de aquilo não ser inerentemente maligno demais, talvez ele conseguisse até treinar a criatura. Se isso acontecesse, Han teria ganhado na loteria mais uma vez, e era por isso que ele não queria desistir facilmente.

Na parte mais exterior da Via Láctea, dentro do Sistema Zagreb, Han e o comerciante de escravos Horton concordaram em se encontrar.

Depois que a nave de classe Falcão pousou em um aeroporto remoto no planeta 13 daquele sistema, Han desceu sozinho e disse a Rhodes, que o acompanhou até ali, para que não esperasse por ele e voltasse para ajudar Pan Yulin imediatamente. Afinal, ainda havia um monte de coisas que precisavam ser resolvidas por parte deles. Eles precisam levar o Dragão Celeste de volta à Terra e comprar um monte de suprimentos necessários ao planeta.

Han pediu um táxi flutuante no aeroporto e chegou a um penhasco próximo ao mar, onde eles haviam concordado em se encontrar. Um pequeno pavilhão havia sido construído naquele penhasco.

Parado ali olhando para o longe, Han pôde ver uma enorme e antiga cidade do Sistema Zagreb. Em comparação com o próspero Sistema da Estrela Milagrosa, Zagreb podia ser simplesmente descrito como pobre para dar com balde. O céu era cinzento e sombrio, os edifícios na cidade eram antigos, e as ruas estavam cheias de lixo.

As pessoas que viviam às margens da galáxia eram geralmente muito pobres. Muitos fora-da-lei conhecidos na Dark Net escolheriam viver em um lugar como aquele. Embora este lugar fosse a definição de pobreza, havia também liberdade. A lei da Aliança Via Láctea não chegava a um lugar tão pobre e recluso.

O sinal de contato já estava ligado. Han se sentou e esperou no pavilhão até que os funcionários de Horton viessem pegá-lo.

De repente, Han pensou em Ye Weiwei, aquela linda. Ele ainda não sabia como aquela menina estava agora… Sem Han por perto, aquela garotinha não tinha escolha a não ser se cobrir de camadas de proteção e ter ainda menos liberdade.

Além disso, Han também estava muito confuso sobre o porquê de Ye Weiwei de repente decidir não ir para a relíquia. Todas as bestas sombrias dentro da relíquia estavam em frenesi. Parecia até que a família Ye sabia daquilo, já que Ye Hua até pediu encarecidamente a Han para não ir para a A19.

Han não sabia onde a família Ye tinha conseguido aquela informação, ou como eles tinham previsto que um massacre iria acontecer na A19.

— Será que eu deveria fazer uma visita à família Ye no meu caminho de volta? — Han se perguntou.

*Shua*

Justo quando Han estava tendo pensamentos aleatórios, uma fragata modificada da classe Cão de Caça de repente apareceu, subindo do fundo do penhasco. A porta se abriu e um cara enorme usando óculos escuros saltou e foi direto para o lado de Han. Ele devia ser alguém que trabalhava para o grande traficante de escravos, Horton.

As transações na Dark Net não podiam operar às claras. Embora Han tivesse acabado de ficar famoso no Torneio Galático, ele ainda estava com medo de ser reconhecido. Como é que alguém iria mostrar o verdadeiro rosto durante transações ilegais como aquela? Então, Han tinha tomado uma pílula de reconfiguração facial. Agora ele parecia um homem de meia-idade meio acabado, e mesmo pessoas que estavam familiarizadas com Han não seriam capazes de reconhecê-lo.

— Voz do Vento? — perguntou o grandalhão de óculos de sol.

— Sim, eu tenho uma reunião com o mestre. — Han respondeu.

Andarilho Noturno orientou Han que Horton não gostava que outras pessoas o chamassem de patrão, e por isso era melhor chamar ele de mestre, muito apropriado para o mestre dos escravos, aliás…

— Venha comigo.

O grandalhão de óculos escuros concordou, pegou Han e embarcou na nave, jogando uma venda para ele.

— Ponha isso. É melhor não ver coisas que você não deveria.

Han não disse nada, mas simplesmente cobriu os olhos com a venda.


Agora acho que é um bom momento para dar uma explicação sólida para os tipos de naves. Existem tipos, que determinam o porte da nave, e existem as classes, que são os modelos das neves e suas especificações. Dentro de um tipo de nave existem várias classes, onde cada classe é feita a partir de um mesmo diagrama, sendo bem parecidas se tiverem a mesma classe. Por exemplo, o Atlântico, que foi a nave que Ke Lake ganhou no Torneio Galático anterior, era um cruzador, da classe Fortaleza Espacial. Entre os tipos de naves, a ordem de porte é a seguinte, da menor para a maior:

  • Nave de patrulha
  • Corveta
  • Fragata
  • Destroyer
  • Cruzador
  • Galeão
  • Encouraçado
  • Porta-naves
Vermillion
Domina Inglês e Português. Spymaster nas horas vagas.
FONTE
Cores: