Arifureta – Volume 1 – Capítulo 2 (Parte 6 de 11) – 3Lobos

Arifureta – Volume 1 – Capítulo 2 (Parte 6 de 11)

Capítulo II: O Monstro do Abismo (Parte 6 de 11)

 

Finalmente a dor diminuiu, e o Hajime despencou ao chão. Seu cabelo tinha se tornado branco, e por baixo de suas roupas, veias de mana vermelho-escura percorriam seu corpo. Tal como os Lobos Cauda-dupla, ou os Coelhos Mestrepernada ou os Garrursos.

A mão direita do Hajime se contraiu. Ele lentamente abriu os olhos, depois olhou groguemente para sua mão direita, e, por fim, arranhou o chão, dobrando lentamente seus dedos em um punho.

Ele abriu e fechou sua mão várias vezes, confirmando que ainda estava de fato vivo, e que seu corpo ainda o respondia, antes de se levantar devagar.

— Agora que penso nisso, acho que não deveria comer carne de monstro… Não acredito que fiz algo tão retardado… Bem, de qualquer forma, eu não teria durado muito mais sem comida… — Exausto, o Hajime sorriu autodrepeciativamente.

Sua fome tinha desaparecido, e o espectro do seu braço esquerdo já não o afligia também. Pela primeira vez no que parecia ter sido uma eternidade, ele estava livre da dor. Na realidade, seu corpo parecia surpreendentemente leve, e poder estava transbordando de dentro dele.

Por mais que a dor constante tivesse o mentalmente exaustado, ele se sentia melhor do que ele já esteve em toda a vida. Ele olhou para seu braço, depois para sua barriga, e viu músculos muito proeminentes. Ele tinha crescido um pouco também. Ele tinha originalmente apenas 1 metro e 65 centímetros de altura, mas ele tinha crescido uns bons dez centímetros.

— O que aconteceu com meu corpo? Me sinto diferente de alguma forma… — E não era só por fora. O interior do corpo do Hajime parecia diferente de alguma forma também. Era ao mesmo tempo quente e frio, uma sensação indescritivelmente estranha. Se ele se concentrasse, ele poderia forçar veias vermelho-escuras surgir na superfície do seu braço.

— Uwaaah, qu-que nojento! É como se tivesse me transformado em um monstro ou algo parecido… É melhor que eu não tenha, isso iria ser uma piada horrível. Ah, é, eu deveria checar minha placa de status… — Ele procurou por perto pela sua placa de status que ele tinha esquecido completamente, eventualmente a puxando do seu bolso. Parecia que ele não tinha a perdido. Ele analisou suas estatísticas atuais, imaginando que isso iria lhe dar alguma ideia das mudanças em seu corpo.



Hajime Nagumo / Idade: 17 / Homem / Nível: 8

Classe: Sinergista

Força: 100

Vitalidade: 300

Defesa: 100

Agilidade: 200

Magia: 300

Defesa Mágica: 300

Habilidades: Transmutar — Manipulação de Mana — Estômago de Ferro — Campo Elétrico — Compreensão de Linguagem



— Mas que diabos? — Um pouco do antigo Hajime voltou quando o choque o fez falar em seu sotaque esquisito. Suas estatísticas tinham todas aumentado astronomicamente, e ele tinha três novas habilidades. Mas seu nível só tinha aumentado até o oitavo. Já que o nível de uma pessoa representava a proporção do potencial total que eles tinham atingido, parecia que os limites de evolução do Hajime tinham aumentados também.

— Manipulação de Mana? — Se ele tomasse ao pé da letra, isso queria dizer que o Hajime tinha adquirido o poder para controlar diretamente a mana.

Poderia aquela sensação estranha que tenho estado sentindo ser a mana? O Hajime pensou, então tentou ativar sua habilidade Manipulação de Mana.

Quando ele se concentrou, o Hajime viu aquelas veias vermelha-escuras aparecer na superfície da sua pele outra vez. Ele se concentrou em uma imagem daquela sensação percorrendo à sua mão direita de uma só vez. Quando ele o fez, a sensação estranha, ou melhor, sua mana, começou a fluir lentamente para a sua mão.

— Quê? Oooooooh! — Ele gritou inconscientemente por causa da sensação inexplicável da mana se movendo por todo o corpo. Então, de repente, sua mana verteu o círculo mágico inscrito na luva que ele estava usando sem ele ter dito nada. Surpreso, o Hajime tentou transmutar qualquer coisa. O chão se ergueu sem ele dizer uma única palavra.

— Sem chance. Nem sequer precisei entoar um encantamento? Eu pensava que controlar a mana diretamente não deveria ser possível para ninguém, exceto monstros…? Isso quer dizer que absorvi as capacidades especiais de um monstro por o comer? — Isso era realmente o caso. O Hajime tinha adquirido o poder dos monstros. Ele então se mexeu para testar a outra de suas habilidades novas, Campo Elétrico.

— Hmm… como posso usar isso? Como está escrito Campo Elétrico, deve ter algo a ver com eletricidade, certo? Será possível? Eu tenho a mesma habilidade que o lobo usou quando reuniu eletricidade em sua cauda? — Ele tentou várias coisas, mas nenhuma delas parecia fazer qualquer coisa. Diferente da Manipulação de Mana, ele não podia sentir fisicamente a habilidade dentro dele, então ele não sabia ao certo como deveria ativar ela.

Enquanto matutava consigo mesmo, ele se lembrou de quando estava transmutando, ele precisava sempre de uma imagem mental do efeito que ele estava tentando elaborar. Quanto menos alguém recorria ao círculo mágico para definir as características de um feitiço, mais eles precisavam de uma imagem mental para orientar sua criação.

O Hajime formou uma imagem da eletricidade estática crepitando em sua mente. Subitamente, uma corrente elétrica vermelha começou a se formar nas pontas dos dedos.

— Oooh, eu consegui! Entendi. Então, para usar uma magia de monstro, preciso de uma boa imagem mental das propriedades. E agora que olho mais atentamente… minha mana se tornou avermelhada assim como as dos monstros. — Ele continuou praticando, fazendo descargas elétricas várias vezes. Todavia, ao contrário dos Lobos Cauda-dupla, ele era incapaz de lançar a eletricidade que podia gerar. De como soava o nome “Campo Elétrico”, o Hajime supunha que poderia só se envolver em eletricidade, e os transferir por contato direto. Então ele praticou o ajuste do fluxo de corrente, bem como a tensão da eletricidade que ele poderia produzir.

A habilidade Estômago de Ferro muito provavelmente fazia exatamente o que seu nome sugeria. O Hajime certamente não queria sofrer aquela dor infernal por comer carne de monstro de novo. Entretanto, não parecia haver qualquer outra fonte de alimento no labirinto. O que implicava que ele seria forçado a escolher entre a inanição ou a dor agoniante. Afortunadamente, ele presumiu que a sua habilidade o impedia de ter que fazer esse tipo de escolha.

Ele pegou outra tira de carne de lobo e a tostou com o seu Campo Elétrico. Já que não estava mais quase louco de fome, ele se deu conta de que não era preciso comer a carne crua. Ele tentou ignorar o odor pungente da carne queimando enquanto fritava a carne. Então ele se preparou, dando uma mordida na carne.

Alguns segundo se passaram… um minuto… dez minutos… e ainda nada aconteceu. O Hajime assou mais carne e a comeu. E mesmo assim não houve dor. Ele não tinha certeza se era devido ao seu Estômago de Ferro, ou se o seu corpo tinha simplesmente se adaptado à carne do monstro. Ele também não se importava muito. Ele estava satisfeito por poder comer de novo, sem ter que sofrer sempre que o fazia.

Depois que ele tinha comido até ficar cheio, o Hajime voltou à sua base. Como ele estava agora, poderia até ter uma chance contra aquele urso. No entanto, ele decidiu passar algum tempo treinando suas novas habilidades.

Ele voltou para onde tinha deixado os cadáveres dos lobos e cortou suas carnes em fatias. Ele teve muito mais facilidade em retirar suas peles dessa vez. Ele empilhou tanta carne quanto pôde aguentar dentro de outro dos seus recipientes de pedra, e o levou cuidadosamente para sua base.

Já em segurança na sua base com o suprimento de comida, o Hajime passou os dias seguintes treinando diligentemente suas habilidades.

Todas as suas habilidades aumentaram em um ritmo acelerado. Sua habilidade de transmutação sofreu uma mudança também. Parecia que tinha a dominado ao ponto em que habilidades derivadas começaram a surgir. A habilidade derivada que ele tinha aprendido dela foi “Avaliação de Minério”. Era uma habilidade derivada de alto nível que era rara mesmo entre os ferreiros reais.

A magia de avaliação era geralmente muito mais complexa do que magia ofensiva, pois, requeria círculos mágicos grandes para ativar. Por essa razão, apenas certas instalações acadêmicas e grandes instituições tinham círculos mágicos de avaliação. Todavia, pessoas com habilidades de avaliação podiam avaliar qualquer coisa no âmbito dos seus domínios de analise com um círculo mágico pequeno e encantamentos simples, desde que eles estivessem tocando o alvo. Sendo uma habilidade derivada, então era por definição, impossível de possuir naturalmente. Só através de longos anos de treinamento de transmutação poderia se obter a habilidade.


KakaSplatT
Técnico em eletromecânica e tradutor quando possível…
FONTE
Cores: