Arifureta – Volume 1 – Capítulo 1 (Parte 14 de 17) – 3Lobos

Arifureta – Volume 1 – Capítulo 1 (Parte 14 de 17)

Capítulo 1: Invocado a Outro Mundo com uma Classe Comum (Parte 14 de 17)

 

O Ryutarou e a Shizuku recuaram assim que o Kouki acabou de entoar. Eles estavam em mau estado e não teriam durado muito mais tempo. Embora tivesse sido por pouquíssimos segundos, eles tinham sofrido uma boa quantidade de dano do Beemote.

O bombardeamento de luz se chocou contra o Beemote com um barulho ensurdecedor. Ele foi coberto por uma camada de branco quando a luz o envolveu. Fissuras começaram a aparecer na ponte.

— Isso deve ter sido suficiente… Haah… Haaah…

— Haah… Haaah… Sim, isso deve ter o matado, certo?

— Prefiro pensar que sim, mas… — O Ryutarou e a Shizuku voltaram para onde o Kouki estava parado. Ele estava ofegando bastante depois de lançar tal feitiço poderoso. Esse último ataque tinha sido a carta na manga do Kouki. Ele tinha usado quase toda a sua mana restante. O Capitão Meld se levantou atrás dele, com suas feridas curadas.

Gradualmente a luz começou a desvanecer e a poeira em torno do Beemote abaixar. E o Beemote… nem sequer tinha um arranhão.

Ele soltou um rosnado baixo, e a mana vermelho-escura que era única dos monstros começou a jorrar de seu corpo. O olhar assassino destinado ao Kouki era tão intenso que ele sentiu que poderia morrer só de olhar para ele. Em seguida levantou a cabeça bem alto, e o seu chifre começou a liberar um zumbido agudo enquanto brilhava de vermelho-escaldante. O vermelho se alastrou para o resto do seu capacete até parecer que toda a sua cabeça fosse uma bola brilhante de magma.

— Não fiquem aí parados! Corram! — O grito do Capitão Meld trouxe o Kouki e os outros de volta ao juízo. Finalmente acabou o choque de que o Kouki não tinha conseguido sequer o arranhar, eles se prepararam para correr. Mas foi nesse momento que o Beemote decidiu investir. Antes de chegar ao Kouki, ele saltou para o ar e se arremessou na direção deles, de cabeça para baixo, como um meteoro em chamas.

Eles foram capazes de saltar para o lado para evitar um golpe direto, mas as ondas de choque do impacto lançaram o Kouki e os outros para longe. Eles rolaram pelo chão como pinos derrubados, e ficaram cobertos de ferimentos da cabeça aos pés quando eles finalmente pararam.

O Capitão Meld ainda conseguia de alguma forma ser capaz de se mover e correu até os outros. O resto dos cavaleiros ainda estavam sendo curados pela Kaori. O Beemote forçava as pernas e tentava puxar sua cabeça do buraco que tinha aberto com seu golpe na ponte.

— Vocês ainda conseguem se mexer!? — As únicas respostas que o Capitão Meld teve foram gemidos. Seus corpos tinham sido paralisados pelas ondas de choque, assim como a equipe do Capitão Meld tinha sido há pouco. Seus órgãos internos tinham levado um grande golpe também.

O Capitão Meld se virou para chamar a Kaori. Mas as palavras morreram em sua garganta quando viu o Hajime correndo em sua direção.

— Garoto! Chame a Kaori para ajudar você a carregar o Kouki para fora daqui! — O Meld decidiu pedir ao Hajime em alternativa.

Ele pediu Hajime para levar o Kouki, e só. Em outras palavras, suas ordens implicavam a impossibilidade de salvar mais de uma pessoa nessa situação. O Capitão Meld mordeu os lábios com tanta força que arrancou sangue e levantou forçadamente seu escudo, lamentando não poder salvar todo mundo. Ainda assim, ele resolveu dar a vida para parar a besta durante o maior tempo possível.

Não obstante, em vez de obedecer, o Hajime desesperadamente gritou um plano alternativo. Era possivelmente a única maneira de todos ser capaz de escapar com vida. Contudo, era um plano imprudente e insano com chances de sucesso que eram para lá de pequenas. E, ainda por cima, o Hajime mesmo teria de desempenhar o papel mais perigoso.

O Capitão Meld hesitou por alguns segundos preciosos, que foi tempo suficiente para o Beemote desencalhar a cabeça. Seu capacete começou a brilhar vermelho-vivo mais uma vez. O Meld estava sem tempo.

— …Tem certeza que consegue fazer isso, garoto?

— Tenho. — O Meld riu e abriu um sorriso quando viu a determinação no olhar do Hajime.

— Nunca pensei em confiar minha vida a você, de todas as pessoas… Prometo não o deixar para trás. Por isso… não me decepcione, garoto!

— Sim senhor! — O Capitão Meld terminou de falar e foi até o Beemote. Ele lançou um feitiço fraco nele, provocando sua ira. Parecia que o Beemote tinha uma tendência a se focar no que estava o atacando. O feitiço funcionou, e o olhar do Beemote travou no Capitão Meld.

Ele terminou de carregar seu capacete, se precipitou à frente, e pulou. O Meld estava planejando chamar sua atenção durante o maior tempo possível e entrou em uma postura evasiva quando o Beemote se lançou na sua direção. Ele então sussurrou um cântico curto.

— Seja varrido, Parede de Vento! — O Meld saltou rapidamente para trás depois de entoar esse feitiço.

O Beemote se chocou contra o chão, pulverizando o lugar que o Capitão Meld tinha estado parado menos de um segundo antes. A onda de choque e os escombros foram parados pela parede de vento, impedindo o Meld de se ferir mais. Com o quão preciso os ataques do Beemote eram, até um feitiço fraco era o suficiente para ajudar a evitar danos indiretos. Mas se o Meld tivesse sido forçado a defender o Kouki e os outros, ele teria sido totalmente esmagado.

Enquanto o Beemote ainda estava preso no chão, o Hajime saltou em cima dele. O calor residual queimou sua pele quando pousou sobre ele. Contudo, ele ignorou a dor enquanto reunia a sua mana azul-celeste, e entoou. Ele não disse não mais do que o nome do feitiço. Era, afinal de contas, a magia mais básica e simples.

— Transmutar! — O Beemote, que tinha estado com dificuldades para retirar a cabeça do chão, subitamente parou de se mexer. Isso porque sempre que tentava se deslocar mesmo um pouco, o Hajime reformava a pedra à sua volta, mantendo a cabeça do Beemote enterrada.

Ele forçou as pernas, tentando usar o peso de todo o seu corpo para liberar sua cabeça, só para descobrir que o chão em torno de suas pernas tinha sido transmutado também. As pernas do Beemote tinham afundado um metro completo no chão. E para ter certeza absoluta de que não seria capaz de se libertar, o Hajime endureceu a pedra em volta delas também.

Mesmo assim, a força do Beemote era assustadora, e o Hajime sabia que mesmo um momento de lapso de concentração permitiria o Beemote se libertar. Continuando a forçar, rachaduras se formavam continuamente na sua prisão de pedra, mas o Hajime continuava a transmutar implacavelmente o chão para os reparar. O resultado final era que o Beemote foi incapaz de retirar a cabeça. Se não fosse uma questão de vida ou morte, teria parecido bastante cômico.

Enquanto isso, o Capitão Meld reuniu os cavaleiros recuperados e a Kaori, e então começaram a carregar o Kouki e os outros para um lugar seguro. Parecia que alguns dos estudantes tinham finalmente recuperado sua compostura, já que eles estavam trabalhando em conjunto para empurrar os Soldados Traum para trás. Aquele que tinha mobilizado eles, era na verdade a estudante que o Hajime tinha salvado mais cedo. Apesar da sua fraqueza, ele ainda tinha contribuído bastante.

— Espera! O Nagumo-kun ainda está lá! — A Kaori começou a argumentar com o Meld, que estava tentando fazer todos recuarem.

— Isso é tudo parte do plano do garoto! Vamos passar pelos soldados e montar uma linha defensiva para então os magos o bombardear com feitiços! Claro que, isso depois dele sair de nossa linha de fogo! Então ele vai correr para nós enquanto mantemos o Beemote ocupado com uma barragem de feitiços e vamos todos bater em retirada juntos!

— Então vou ficar para trás com ele!

— Não, não pode! Assim que tivermos chegado em um lugar seguro, você tem que curar o Kouki, Kaori!

— Mas… —, os protestos irritados da Kaori foram interrompidos pelas próximas palavras do Meld.

— O que você está fazendo não é mais do que cuspir na determinação dele!

— Ah…

Depois do Capitão Meld, o membro mais forte do seu grupo era sem dúvida o Kouki. Eles precisariam de cada pouquinho de poder de fogo que conseguissem obter para segurar o Beemote à distância com apenas magia. A condição do Kouki significava a diferença entra a vida e a morte do Hajime, e era por isso que a Kaori precisava estar curando ele o tempo todo enquanto recuavam. O Beemote estaria livre assim que a mana do Hajime acabasse e já não pudesse continuar a transmutar.

— Ó sopro da vida, conceda socorro a esta alma ferida, Benção do Céu! — A Kaori começou a entoar, com lágrimas nos olhos. Seu artefato, um cajado branco, brilhou fracamente, e envolveu o Kouki em uma luz suave. A Benção do Céu era um feitiço de cura de nível elevado que restaurava a mana, além de curar ferimentos.

O Capitão Meld agarrou os ombros da Kaori e assentiu encorajadamente para ela. A Kaori assentiu de volta, depois se virou para olhar para o Hajime, que ainda estava transmutando desesperadamente o chão. Então, ela começou a recuar da ponte, juntamente com o Capitão Meld e os cavaleiros, que estavam carregando o Ryutarou, a Shizuku e o Kouki.

Os Soldados Traum ainda estavam se multiplicando. Havia mais de duzentos deles enchendo o local de entrada nessa altura. Haviam tantos que uma parte deles tinham caído da ponte sozinho.

Contudo, na verdade era uma bênção disfarçada. Se eles tivessem se espalhado devidamente, eles teriam sido facilmente capazes de cercar e subsequentemente massacrar os estudantes que investiam contra suas fileiras. Afinal, um bom número de estudantes tinha feito exatamente isso quando os cem primeiros tinham aparecido.


KakaSplatT
Técnico em eletromecânica e tradutor quando possível…
FONTE
Cores: