Arifureta – Volume 1 – Capítulo 1 (Parte 12 de 17) – 3Lobos

Arifureta – Volume 1 – Capítulo 1 (Parte 12 de 17)

Capítulo 1: Invocado a Outro Mundo com uma Classe Comum (Parte 12 de 17)

 

— Seu idiota! Entendo por que ficou furioso, mas não pode usar habilidades como essa em uma passagem estreita! Você podia ter trazido toda a caverna abaixo sobre nós! — Os lamentos do Kouki morreram em sua garganta com as palavras de repreensão do Capitão Meld, e ele pediu desculpas desajeitadamente. Todas as garotas sorriram jocosamente e tentaram o reconfortar.

Então, de repente, a Kaori se virou para olhar a seção desmoronada da parede.

— …O que é aquilo? É muito brilhante… — Com essas palavras, todo mundo se virou para olhar na direção que ela estava apontando.

Havia um mineral estranho emitindo um brilho azul-pálido, saindo da parede como uma flor a florescer. Parecia como um cristal com Indicolita enterrada no seu centro. Todas as garotas, incluindo a Kaori, estavam fascinadas pela beleza da gema.

— Oh, isso é um cristal glanz[1]. E um bem grandão por sinal. Que raro, — o Capitão Meld disse.

Os cristais glanz eram basicamente um tipo de pedra preciosa bruta. Apesar de não possuírem propriedades especiais, seu brilho e esplendor os fizeram popular entre as damas nobres e suas filhas. Eles eram frequentemente transformados em anéis, brincos, pingentes, e bem como outras joias para serem dadas como presentes. Aparentemente, a maioria das garotas ficavam muito felizes ao receber joias glanz como presentes. Elas estavam entre as três primeiras joias usadas em anéis de compromisso.

— Isso parece tão adorável… — A Kaori corou quando ouviu a explicação do Capitão Meld, tendo ficada igualmente fascinada pela pedra. Ela então roubou um olhar para o Hajime. Foi tão rápido que quase passou despercebido. Contudo, a Shizuku e uma outra pessoa definitivamente tomaram nota.

— Nesse caso, eu vou o buscar para nós! — O Hiyama subitamente correu até ela após dizer isso. Ele subiu rapidamente pelos escombros da parede desmoronada, indo em direção ao cristal glanz tão rápido quanto possível. O Capitão Meld apressadamente tentou o impedir.

— Ei! Não corra sozinho! Nem temos certeza de que é seguro ainda! — Contudo, o Hiyama fingiu não ouvir, e ele estava parado em frente ao cristal pouco depois.

O Capitão Meld correu atrás do Hiyama na tentativa de o impedir. Ao mesmo tempo, um dos cavaleiros pegou sua Lente Justa e sondou a área à volta do cristal. Pouco depois, seu rosto ficou pálido.

— Capitão! É uma armadilha!

— O que!? Pare! — Porém, tanto o Capitão Meld quanto o aviso do cavaleiro chegaram tarde demais.

Assim que o Hiyama o tocou, um círculo mágico apareceu no centro do cristal. A armadilha tinha sido estabelecida para qualquer pessoa tola o suficiente de tocar o cristal glanz. “Se parece bom demais para ser verdade, então provavelmente é”. Essa era uma das regras de ouro do mundo.

O círculo mágico brilhou intensamente, então se tornou grande o suficiente para abranger toda a sala. Era exatamente como o dia em que eles foram invocados.

— Merda, retirada! Todos saiam agora! — As palavras do Capitão Meld estimularam todos a se moverem, e todo mundo correu desordenadamente para a saída… mas não conseguiram a tempo.

Luz preencheu a sala, e pouco depois o branco era a única coisa que alguém conseguia ver. Todos foram assolados por um momento com a sensação de serem presos.

O Hajime e os outros conseguiram sentir a atmosfera mudar. Pouco depois, todos caíram no chão com uma pancada.

O Hajime gemeu de dor quando ele sentiu seu traseiro doendo, depois ele olhou à volta. A maioria dos seus colegas de classe ainda estavam no chão, mas o Capitão Meld e seus cavaleiros, junto com o Kouki e os outros lutadores vanguardistas já estavam de pé, examinando seus arredores.

O círculo mágico de há pouco deveria ter contido um feitiço de teletransporte. A magia da Era dos Deuses era notável porque podia facilmente fazer coisas que nenhum mago moderno podia.

O Hajime e os outros tinham sido teletransportados para uma ponte de pedra enorme. Tinha por volta de cem metros de comprimento. O teto também se elevava a vinte metros acima deles. Abaixo da ponte não havia um rio, mas em vez disso um abismo escuro sem fim visível. O abismo se parecia como as próprias profundezas do inferno.

Embora a ponte tivesse dez metros de largura, não tinha uma grade sequer, então se alguém escorregasse, não haveria nada para se segurar. O Hajime e os outros tinham sido mandados para o meio da ponte. Um lado da ponte estava uma passagem para adiante, enquanto a escada que conduzia para cima estava na outra extremidade.

Depois de confirmar a situação, o Capitão Meld deu as ordens rapidamente.

— Todo mundo, se levantem e se dirijam à escada! Agora! — Sua voz saiu mais alto que um trovão, e os estudantes se apressaram em seguir suas ordens.

Todavia, as armadilhas do labirinto não eram tão fáceis de escapar. Eles não seriam permitidos se retirar tão facilmente.

Novos círculos mágicos apareceram subitamente em ambos os lados da ponte. O círculo mágico no lado da passagem da ponte tinha dez metros de largura. Os que estavam no lado da escada tinham apenas um metro cada, mas haviam muitos.

Os círculos mágicos vermelho-escuros se pareciam com poças de sangue, e davam um sentimento sinistro. Eles pulsaram uma vez, e ondas de monstros começaram a aparecer em frente.

Dos inúmeros círculos mágicos perto da escada veio uma horda de esqueletos empunhando espadas, Soldados Traum[2]. Suas cavidades oculares vazias brilhavam com a mesma luz vermelho-sangue dos círculos de onde eles vieram, e eles também se mexiam como olhos de verdade. Em questão de segundos, a escada estava repleta com quase uma centena de criaturas, e mais ainda estavam surgindo.

Apesar de seus números, o Hajime pensava que o que estava vindo do lado da passagem da ponte era muito mais ameaçador.

De dentro do círculo mágico de dez metros emergiu um monstro tão grande quanto o círculo que o tinha invocado. Ele se encontrava sobre quatro patas e tinha uma espécie de capacete na cabeça. Para o Hajime, a coisa que mais se parecia com isso era um triceratops. Contudo, ao contrário de um triceratops, seus olhos brilhavam em vermelho-vivo, e quando ele estrepitou as malvadas garras afiadas e presas, chamas brotaram do chifre em sua cabeça protegida com capacete.

Todos olharam para ele boquiabertos de horror, e o sussurro aterrorizado do Capitão Meld ressoou surpreendentemente bem por todo o local.

— Oh meu deus… É… um Beemote…

Uma onda de mal-estar atingiu os alunos quando eles viram que o Capitão Meld, o capitão fiável que sempre tinha sido seus pilares tranquilizadores de apoio, começou a suar frio.

O Kouki percebeu que estava enfrentando um adversário verdadeiramente temível, e se virou para perguntar ao Capitão Meld sobre suas propriedades.

No entanto, o Beemote, um monstro que tinha até mesmo feito o cavaleiro mais forte do reino tremer na base, se recusou a conceder ao Kouki o luxo do tempo. Ele sugou uma enorme quantidade de ar, depois soltou um rugido gutural, sinalizando o começo da batalha.

— Graaaaaaaaaaaaaaaah!!!

— Hã!? — O rugido trouxe o Capitão Meld de volta ao juízo, e ele rapidamente começou a dar ordens.

— Alan, pegue as crianças e atravesse a linha dos Soldados Traum! Kyle, Ivan, Bael, criem uma barreira! Temos de parar aquela coisa, não importa o que! Kouki, vá para a escada com o resto dos estudantes!

— Espere por favor, Meld-san! Vamos ajudar também! Aquela coisa dinossauro é ainda muito pior! Também vamos…

— Idiota! Se essa coisa é realmente um Beemote, crianças como vocês não têm qualquer chance! Esse é um monstro que aparece no sexagésimo quinto piso! Até o aventureiro lendário, que todos chamam de o mais forte do mundo, não pôde contra! Agora saiam daqui! Eu definitivamente não vou deixar que vocês morram!

O Kouki vacilou momentaneamente pela intensidade do olhar do Capitão Meld, mas ele se recusou a sair. O Capitão Meld abriu a boca para gritar para o Kouki, mas antes que ele pudesse dizer alguma coisa, o Beemote rugiu outra vez e investiu… direto para os estudantes que recuavam.

A fim de proteger seus heróis invocados, os guerreiros mais fortes de Heiligh entoaram juntos, em uma tentativa de formar uma barreira.

— Conceda a vossa proteção aos teus filhos amados, Ó Deus! Rejeite toda a malícia e deixe isso ser um solo sagrado que nega a passagem de vossos inimigos! Solo Consagrado! — O feitiço tinha quatro versos longos, inscritos em um círculo mágico de dois metros de comprimento, e desenhado no papel mágico de mais elevada classe. Além disso, tinha sido invocado por três pessoas em paralelo. Embora pudesse ser utilizado apenas uma vez, e durasse só por um minuto, ele criou uma barreira impenetrável que não podia ser destruída.

Um domo brilhante de luz se materializou, parando o Beemote no meio do caminho. Uma imensa onda de choque se propagou quando ele se chocou contra a barreira, pulverizando o chão perto do impacto. Apesar de ser feita de pedra, toda a ponte tremeu um pouco. Os estudantes se retirando gritaram, e alguns deles caíram.

Os Soldados Traum eram monstros poderosos que apareciam no trigésimo oitavo piso e nos mais fundos. Eles eram muito mais fortes do que qualquer coisa que os alunos tinham enfrentado até agora. Com o seu caminho à frente bloqueado por uma horda de esqueletos medonhos, e uma besta pesada em suas costas, os alunos ficaram em pânico.


 

 

[1] グランツ鉱石 (gurantsu kouseki), glanz (グランツ — gurantsu) em alemão significa brilho, lustro, resplendor, pompa. 鉱石 (kouseki) significa cristal nesse caso.
[2] トラウムソルジャー (Toraumu Sorujā), Traum (トラウム — Toraumu), significa “sonho” em alemão. ソルジャー (Sorujā) significa aqui Soldado.

KakaSplatT
Técnico em eletromecânica e tradutor quando possível…
FONTE
Cores: